<
>

Protestos da torcida, pressão no Brasileiro e classificação na Libertadores: como Flamengo chega às vésperas de 'Jesus Day'

Com 'prazo' dado por Jorge Jesus chegando ao fim, Flamengo tem dias movimentados nos bastidores


O Flamengo vai se aproximando do fatídico dia 20 de maio, data dita por Jorge Jesus como o limite para que ele possa retornar ao clube nesse momento. Nos bastidores, o cenário é conturbado para diretoria e Paulo Sousa.

Desde a última segunda-feira (16), quando torcedores iniciaram movimento nas redes sociais pela volta de Jesus, a pressão da torcida pela volta do ‘Mister’ vem aumentando, com o coro sendo ouvido nas arquibancadas na vitória sobre a Universidad Católica, no Maracanã.

Dentro de campo, porém, o que se viu foi bastante diferente no triunfo pela Conmebol Libertadores. Depois de muitas críticas nas partidas recentes, o time teve desempenho mais empolgante e conseguiu classificação e primeira posição antecipadas para as oitavas.

Após a vitória, Paulo Sousa chegou a comentar sobre a pressão, mas demonstrou confiança em seu próprio trabalho. “Me sinto com mais energia do que nunca. Desde ontem, estou com bastante energia. Eu paguei para estar nesse clube e eu vou ser feliz nesse clube", disse.

"Estou muito bem, sei que este é um clube que exige muito todos os dias, temos que estar preparados. Estou muito preparado para trabalhar com essa qualidade de jogadores e de seres humanos”, completou.

No Brasileirão, porém, a pressão na tabela ainda é grande. No sábado (21), a equipe receberá o Goiás no Maracanã precisando pontuar para se afastar da zona de rebaixamento. Atualmente, com somente uma vitória, o time é o primeiro fora do Z-4 com os mesmos seis pontos do Juventude.

Para conseguir se livrar de fantasma, Sousa terá a seu favor uma sequência de mais quatro partidas no Maracanã, incluindo a última rodada da fase de grupos da Libertadores e um clássico contra o Fluminense, local que foi exaltado pelo português em coletiva.

“Que grandeza é este nosso Flamengo. E vimos realmente uma grande energia no Maracanã, de uma forma a nos ajudar a ter uma qualidade de jogo como tivemos, de procurarmos constantemente o gol, de sermos felizes como fomos na parte final. Os jogadores merecem, porque tem vindo trabalhar para que as coisas venham a acontecer da forma que aconteceu hoje", afirmou.

Basta saber se, a partir de agora, o jogo vira para Paulo Sousa em sua relação com a torcida ou se as últimas horas até o fim do ’Jesus Day’ serão decisivas para seu futuro no Flamengo.