<
>

Diretor do Corinthians diz que Rafael Ramos negou ofensa racista e revela o que lateral teria dito a Edenilson

Durante partida entre Internacional e Corinthians, Edenilson relatou caso de racismo


Roberto de Andrade foi o primeiro dirigente do Corinthians a falar sobre a acusação de racismo de Edenilson, volante do Internacional, ao lateral Rafael Ramos. Durante o empate por 2 a 2 deste sábado (14), no Beira-Rio, pela 6ª rodada do Brasileirão, o jogador colorado disse ter sido chamado de "macaco" pelo adversário.

Após a partida, o diretor de futebol do Timão deu entrevista no estádio, dando esclarecimentos sobre o caso e apontando o que Rafael Ramos teria falado em vez de "macaco".

"O que ele falou na verdade tem até palavrão no meio. Posso falar aqui? Ele falou: 'Mano, caralho'. É um menino bom, assim como o Edenílson também é. Não estamos dizendo que um ou outro está mentindo, nada disso. Mas, às vezes, você fala alguma coisa rápido, ele (Rafael) tem sotaque português, então às vezes as pessoas entendem outra coisa. Eles conversaram nos vestiários e, aparentemente, ficou tudo resolvido", disse.

"Ele (Edenílson) entendeu outra coisa, por isso se deu esse fato. O Rafael pediu desculpas ao Edenílson se ele entendeu outra coisa, mas falou que não disse aquilo que o Edenílson alegou. Agora, fica na consciência dele (Edenílson) resolver o que vai fazer", completou.

Roberto de Andrade ainda falou sobre um possível inquérito policial, afirmando que o clube dará respaldo ao jogador em caso de comprovação de sua inocência.

"Vamos esperar, não vamos nos adiantar em nada. A gente acredita no que o Rafael disse, e (no vestário) ele repetiu as palavras que disse ao Edenílson. Não vamos julgar ninguém antes das coisas ficarem esclarecidas", afirmou.

"Não tenha dúvida (que Corinthians dará respaldo a Rafael Ramos). A gente está sempre apoiando. A gente acredita no atleta, o que ele falou eu já repeti aqui. Pode ter sido um mal-entendido, por que não? Vamos aguardar", finalizou.

O lateral Renê chegou a falar com o técnico Vitor Pereira sobre o fato: "Ele (Rafael Ramos) chamou o Edenílson de macaco", disse o jogador colorado ao português.

Edenílson e os jogadores do Internacional não falaram na saída do gramado. Os companheiros só irão se pronunciar após o volante falar algo. De acordo com apuração da reportagem da ESPN, a Polícia Civil local já se dirigiu ao vestiário colorado para poder colher depoimentos.