<
>

Fórmula 1: Mercedes protesta contra Verstappen no GP de Abu Dhabi após perda de título de Hamilton; entenda a polêmica

play
Fórmula 1: Verstappen supera Hamilton e é o grande campeão! Renan do Couto analisa temporada do holandês (4:28)

Um dos melhores campeonatos da história da Fórmula 1 terminou neste domingo (12) (4:28)

Em decisão emocionante, Verstappen conseguiu retomar a liderança na última volta, ultrapassou Hamilton e conquistou o título mundial


A Mercedes apresentou dois protestos contra o carro de Max Verstappen na tentativa de mudar o resultado do Grande Prêmio de Abu Dhabi, que deu o título do Mundial de Pilotos ao holandês da Red Bull na disputa contra Lewis Hamilton.

Começou! Até meia-noite de domingo (12) tem Star+ Acesso Livre. Muito esporte AO VIVO, séries e filmes. Acesse agora e aproveite de graça toda a programação.

A escuderia alemã, que faturou o Mundial de Construtores, com base nos artigos 48.8 e 48.12 do regulamento da Fórmula 1. Eles tratam, respectivamente, de ultrapassagens com o safety-car na pista e do procedimento com retardatários na relargada.

A polêmica acontece porque um acidente a cinco voltas para o final do GP final da temporada, com Nicholas Latifi, acabou mudando os rumos do campeonato, que parecia mais próximo de Hamilton.

Àquela altura, o britânico liderava a corrida com mais de 11 segundos de vantagem para Verstappen. A Red Bull, porém, apostou em uma troca de pneus para o holandês, enquanto Hamilton seguiu na pista. Na relargada, já na última volta, o piloto da RBR deixou o inglês para trás e ficou com o título.

A possível violação de Verstappen ao artigo 48.8 aconteceu quando o safety-car apagou suas luzes, indicando que sairia da pista. Nesse momento, não é permitido ainda ultrapassagem sobre o líder, então Hamilton. E é o primeiro colocado que passa a ditar o ritmo aos demais pilotos.

Nesse momento, Verstappen chegou a colocar o carro do lado de Hamilton, o que a Mercedes acredita ter sido uma violação. O regulamento, contudo, também dá margens à defesa do holandês, já que diz apenas que, por questões de segurança, os pilotos “devem seguir em um ritmo que não envolva acelerações ou frenagens erráticas”.

Já o artigo 48.12 fala sobre o procedimento a ser adotado após a saída do safety-car. Em Abu Dhabi, a FIA chegou a anunciar inicialmente que os retardatários não poderiam ultrapassar o líder, Hamilton, o que manteria quatro carros separando a Mercedes da Red Bull de Verstappen.

A escuderia austríaca protestou, e a decisão foi revista, liberando o tráfego entre os dois líderes. No regulamento da Fórmula 1, a segurança é o elemento principal para a liberação ou não da passagem dos retardatários. A avaliação cabe ao diretor de prova – no caso, Michael Masi.

Com a saída dos retardatários, Verstappen partiu para o tudo ou nada contra Hamilton e conseguiu a ultrapassagem e a vitória que lhe deram seu primeiro título mundial na Fórmula 1.