<
>

Copa América: Fred explica sua função na seleção e rebate críticas por convocação para Copa-2018

play
Fred elogia o 'sensacional' Tite ao ser perguntado sobre Renato Gaúcho: 'Estamos de mãos dadas com ele' (1:01)

Volante da seleção concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira (1:01)

Em coletiva nesta terça-feira, o volante Fred, da seleção brasileira, explicou detalhadamente qual é sua função na equipe armada por Tite.

O meio-campista do Manchester United é muito apreciado pelo treinador. Prova disso é que ele foi titular nas últimas três partidas do Brasil: vitórias sobre Equador e Paraguai, pelas eliminatórias da Copa do Mundo 2022, e Venezuela, na estreia da Copa América.

"Minha função na seleção, e que venho trabalhando no United nas últiams temporadas, é primeiramente defender bem o meio-campo e dar mais liberdade para os armadores. No caso da seleção, o Neymar, o Paquetá, o Everton Ribeiro, todo o pessoal da frente, eu trabalho para que eles tenham mais liberdade para jogar", afirmou.

"Essa é minha função aqui. Eu venho marcando de trás para frente para deixá-los com essa liberdade. E, na saída de bola, fazer a bola chegar mais clara para eles, para que eles possam jogar", seguiu.

"Nos últimos jogos, tive algumas mudanças táticas. Contra o Paraguai, joguei um pouco mais ao lado do Casemiro. Contra a Venezuela, jogamos com três no meio-campo, e eu fiquei mais aberto para marcar o lateral e deixar o Neymar mais por dentro, para que, quando ele tive a bola, ele possa jogar com a qualidade que ele tem", complementou.

play
1:25

Fred relembra convocação ao lado de Taison para Copa de 2018: 'Não foi injusto, nós merecemos'

Volante da seleção relembrou ida para o Mundial da Rússia

O meio-campista também lembrou a situação incômoda que viveu na última Copa do Mundo, em 2018, na Rússia.

Convocado enquanto estava atuando pelo Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, Fred ouviu muitas críticas, já que atuava em um campeonato que tinha nível técnico não tão destacado - a situação foi idêntica à do atacante Taison, também jogador do clube ucraniano.

Para piorar, o mineiro sofreu uma lesão no ligamento do tornozelo durante a preparação da seleção para o Mundial, e sequer conseguiu entrar em campo.

Três anos depois, ele passou a questão a limpo, assegurou que mereceu a convocação na ocasião e lamentou o fato de não ter conseguido mostrar seu futebol na Rússia.

"Gostam de colocar muitas coisas na mídia... Estávamos fazendo um grande trabalho na Ucrânia. Fizemos uma ótima Champions naquela temporada. Fomos campeões do Ucraniano e da Copa da Ucrânia. Não acho que nossa convocação foi injusta. Nós trabalhamos muito para estar na convocação e, se a gente foi para o Mundial, foi porque a gente realmente mereceu estar lá", observou.

"Claro que, na Copa, a situação que eu vivi foi bem complicada, mas eu tento deixar para trás. Agora, é focar nessa Copa América para a gente continuar bem e depois nas eliminatórias. Venho de uma temporada muito boa com o United, foram vice-campeões na Premier League a na Europa League. Infelizmente não conseguimos os títulos, mas foi uma boa temporada para nós, e para mim particularmente", finalizou.

O Brasil treina nesta terça-feira, às 15h30 (de Brasília), na Granja Comary.

Na quarta-feira, a seleção realiza novo trabalho e em seguida viaja ao Rio de Janeiro, onde passa a noite.

Na quinta-feira, a equipe comandada por Tite enfrenta o Peru, no estádio Nílton Santos, às 21h (de Brasília), pela 2ª rodada do grupo B da Copa América. A ESPN Brasil e o ESPN App transmitem a partida.