<
>

PJ Walker, da XFL, já foi 'demitido' 5 vezes em 2 anos e quase acabou 'roubado' pelos Steelers; hoje, atrai olheiros da NFL

O Houston Roughnecks é o maior destaque da XFL após apenas cinco rodadas de sua ação. Entre os oito times da liga, a franquia texana é a única que ganhou todas as partidas, o que a colocou na liderança da conferência oeste – que além do melhor time da liga, é só decepção.

A defesa da equipe é sólida. Terceira da liga com menos jardas cedidas e líder em sacks e takeaways. No entanto, cede muitos pontos, média de 22,2 por jogo, na quinta posição. Mas não tem problema, porque o ataque compensa, não pelo chão (já que o jogo terrestre é o segundo pior em jardas até aqui), mas pelo ar.

O sucesso desse ataque, líder em pontos e jardas aéreas, tem nome, sobrenome e apelido: Phillip Walker Jr., PJ para os fãs de futebol americano.

O quarterback da equipe é a sensação da liga e principal candidato para MVP até agora, com certa tranquilidade, ainda.

Explosivo e elusivo, seu estilo é, coincidentemente, bem parecido com o de Deshaun Watson – o QB de Houston na NFL. Com o braço, PJ Walker lidera em jardas e em touchdowns; com as pernas, ele só não tem mais jardas na equipe do que o running back James Butler.

Temple

“O que PJ anda fazendo por nós não me surpreende”, afirmou June Jones, técnico dos Roughnecks em entrevista ao Inquirer. “Ele surpreendeu muitas pessoas, mas me lembro de assisti-lo de perto quando ainda era um calouro de 18 anos, jogando tão bem quanto um quarterback de primeiro ano. Acompanhei sua carreira depois disso”.

Jones foi quarterback na NFL e já tem um longo histórico como técnico. Quando viu Walker pela primeira vez, era head coach da Universidade de Southern Methodist (SMU), que enfrentaria Temple, liderada por Walker.

Naquela noite, em 2013, não deu para a equipe do QB, que saiu de campo com a derrota por 59 a 49, num verdadeiro tiroteio ofensivo. Mesmo sendo batido, Walker teve números impressionantes: 26 de 37 passes completos, quatro touchdowns, nenhuma interceptação e 293 jardas aéreas. Além do ganho de 92 jardas terrestres, com um TD.

Após quatro anos em Temple, com 10668 jardas, 74 touchdowns e 28 vitórias (ambas maiores marcas da equipe), Walker se inscreveu para o Draft de 2017 da NFL.

National Frustration League

Após 253 escolhas feitas no topo da escadaria do Museu de Arte da Philadelphia (aquela que Rocky subiu), nenhuma franquia quis PJ Walker.

Algumas semanas depois, porém, o Indianapolis Colts ofereceu um contrato ao jogador, mas isso estava longe de lhe garantir estabilidade.

Após três meses, começou sua incansável jornada em Indianapolis: ele foi liberado, admitido no dia seguinte pelo practice squad (elenco de treino), assinou um contrato de reserva/futuro, foi liberado de novo, mandado de novo para o practice squad, liberado mais uma vez, readmitido três dias depois, assinou novo contrato reserva/futuro, liberado pela quarta vez, practice squad no dia seguinte, e liberado definitivamente, já em 2019.

Depois de tanta incerteza na carreira, o jogador foi finalmente encontrado pela XFL. Com June Jones no comando, os Roughnecks não tiveram dúvidas ao selecionarem o quarterback.

No entanto, a NFL ainda não tinha saído de seu caminho.

Sofrendo com os quarterbacks reservas após lesão de Ben Roethlisberger, os Steelers jogariam contra os Ravens e queriam um jogador do estilo de Lamar Jackson. Para isso, ligaram para o escritório da XFL para tentar entrar em um acordo por Walker. Mas a liga não deu atenção ao pedido, pois já tinha assinado contrato com o jogador.

Daí para frente, sua carreira decolou, para a surpresa de todos, menos à de seu técnico e à sua: “Me preparo para isso durante toda a minha carreira, e agora consegui aproveitar bem a oportunidade”, disse também ao Inquirer.

Nos cinco jogos que fez com Houston, Walker já lançou 15 TDs, 1338 jardas e apenas 4 INTs. Rendendo um rating de 104.4.

Possível retorno à liga principal

É claro que a XFL não está no mesmo nível da NFL. Mas as atuações de Walker têm chamado a atenção da principal liga esportiva do país.

Olheiros do Seattle Seahawks foram assistir ao último compromisso dos Roughnecks, pela XFL, para observarem o quaterback. Walker começou mal, mas cresceu na partida e liderou o time à vitória por 32 a 23. Foram 351 jardas aéreas, três touchdowns e duas interceptações.

E mais olheiros da NFL deverão ir a Houston para conhecer melhor o jogador.