<
>

NFL: após superar lesão que quase lhe custou a vida, quarterback Alex Smith anuncia aposentadoria

play
NFL no Brasil? Paulo Antunes sugere 'um jogo por semana' em mercados internacionais quando o mundo voltar ao normal (1:08)

Comentarista falou sobre possíveis planos da NFL para o futuro além dos Estados Unidos (1:08)

Nesta segunda-feira (19) o quaterback Alex Smith, até então jogador do Washington, anunciou oficialmente a sua aposentadoria da NFL. Através das redes sociais, o atleta de 36 anos anunciou que deu um ponto final à carreira, mesmo após ter se recuperado de uma séria lesão que quase lhe custou a vida.

"Eu quero agradecer, independentemente se você é torcedor dos 49ers, Chiefs ou Washington, e a todos àqueles que pude jogar ao lado, por acreditarem em mim. Obrigado por me fazerem acreditar em mim e no impossível. Depois de 16 anos dando tudo o que tenho a este jogo, eu não posso esperar para ver o que mais é possível, mas antes, vou tirar um tempo para dar algumas voltas com a minha mulher, e meus filhos não têm ideia do que está por vir no meu quintal", disse Smith, em vídeo emocionante publicado no seu Instagram.

Em 18 de novembro de 2018, o quarterback do Washington se machucou no terceiro quarto de um jogo da Semana 11 contra o Houston Texans. A lesão foi grave. Smith precisou de 17 cirurgias para corrigí-la e uma infecção quase fez com que os médicos decidissem por amputar a sua perna.

Smith teve uma placa de titânio colocada em sua perna, e os médicos disseram que não há nenhum risco que seja maior para ele do que para qualquer outro jogador.

O quarterback evoluiu rápido e foi liberado pelo time em 16 de agosto de 2020 para retornar às atividades completas de um jogo de futebol americano. Exatos 693 dias depois, Smith retornou ao campo de futebol americano, em outubro do ano passado, contra o Los Angeles Rams.

Ao longo dos seus 16 anos de carreira, Smith, que foi a primeira escolha do San Francisco 49ers, no draft de 2005, nunca conquistou um Superbowl. Em 2011, disputou o título da NFC contra o New York Giants, mas acabou derrotado.

Entre as conquistas individuais, foi três vezes selecionado para o Pro Bowl, em 2013, 2016 e 2017.