<
>

NFL: Como a 'mente brilhante' de Alvin Kamara, running back dos Saints, o coloca 'dois passos à frente'

play
Com a NFL afunilando, Paulo Antunes faz seu top-5 dos quarterbacks que seguem em ação (4:46)

Semifinais de Conferência acontecem nesse final de semana, na ESPN e no ESPN App (4:46)

METAIRIE, Louisiana. - O técnico do New Orleans Saints, Sean Payton, estava correndo de volta para o vestiário para o intervalo da partida contra o Atlanta Falcons na semana 13, quando decidiu conversar com uma de suas mentes ofensivas mais confiáveis:

O running back Alvin Kamara.

“Foi uma conversa casual - por acaso ele estava ao meu lado caminhando para o vestiário. E eu disse, ‘O que você quer fazer no segundo tempo?'", disse Payton. "Nós conversamos sobre algumas corridas diferentes. E então ele me disse: 'Eu realmente gosto da mesma jogada que fizemos com o Taysom Hill”.

Com certeza, Payton seguiu o conselho de Kamara. Ele criou uma versão ajustada da jogada no intervalo - desta vez com Kamara recebendo a bola - e resultou em uma corrida de touchdown de 11 jardas na primeira campanha do terceiro quarto.

Kamara liderou a NFL com 21 touchdowns nesta temporada - três a mais do que qualquer outro jogador. Mas esse foi provavelmente o mais satisfatório.

“Eu estava saindo do campo e o Payton disse, 'Você chamou aquela jogada!'. Eu pensei, ‘Claro que sim!’”, lembrou Kamara.

"Talvez eu tenha algum dinheiro no banco agora", disse Kamara. "Eu posso chamar algumas jogadas durante os jogos”.

A verdade é que Kamara tem "dinheiro no banco" desde a primeira vez que Payton foi ao Tennessee para uma visita privada antes do draft de 2017.

Os Saints estavam apaixonados por Kamara - não apenas por causa de seus dons físicos, mas por causa da inteligência que ele mostrou ao sentar-se em uma reunião com o QB prospecto Joshua Dobbs e a maneira como ele pegou as coisas tão rapidamente quando Payton lhe pediu para comandar rotas no campo.

"O dia inteiro teve um impacto", disse Payton. "Eu percebi imediatamente que ele era alguém que aprenderia extremamente rápido”.

Menos de uma semana no primeiro training camp de Kamara, Payton comparou sua inteligência com a de Marshall Faulk, a quem Payton treinou no San Diego State e descreveu como "um dos jogadores mais inteligentes que já treinei”.

Payton tem elogiado rotineiramente a mente esportiva de Kamara desde então. Portanto, não deve ser nenhuma surpresa que Kamara ainda tocou na bola 25 vezes para um total de 116 jardas e um touchdown na vitória do último domingo sobre o Chicago Bears, apesar de não poder treinar enquanto estava na lista de lesionados / COVID.

"Existem alguns jogadores que podem ter afetado mais", disse Payton. "Mas ele é extremamente inteligente e pega as coisas muito rapidamente. Ele estava focado nas reuniões, assistiu aos treinos virtualmente por transmissão ao vivo. E ele é um daqueles jogadores que entende o que estamos fazendo na formação. Assim, a transição é mais suave”.

Regras estão aí para serem quebradas

A intuição de Kamara também ficou evidente na primeira vez que os Saints jogaram contra os Bears em Chicago na semana 8.

Na jogada final do primeiro quarto, Kamara correu em direção ao flat e viu Khalil Mack, dos Bears, cair para trás para cobri-lo enquanto um jogador extra atacava a linha dos Saints.

“O linebacker expandiu e ele expandiu. Portanto, o interior estava completamente aberto”, explicou Kamara. “Então eu fui um pouco paciente, olhei para ele e explodi”.

O resultado: um passe curto de Drew Brees, que reconheceu qual escolha Kamara estava fazendo em uma "rota de escolha" de três opções. E um ganho de 47 jardas no meio desse campo aberto.

Deuce McAllister, um ex-running back dos Saints e atual comentarista de rádio, riu ao explicar que Kamara é na verdade "um quebrador de regras" muitas vezes em rotas escolhidas.

“Quando digo isso, é porque ele é muito talentoso - e porque ele e Drew já fizeram isso tantas vezes. Então, normalmente em certas rotas, você não tem a opção de ir para dentro do campo, a menos que seja uma jogada pedida pelo treinador Payton”, disse McAllister. "Isso normalmente é visto como uma atitude errada, porque o quarterback não está esperando que você (A) veja isso e (B) tenha tempo suficiente para fazer isso.

“Mas Alvin é tão perspicaz e analisa tão bem as defesas. ... Ele vê, Drew também vê e eles se conectam”.

Brees disse que para escolher rotas como essa para funcionar, "é preciso um cara com grande sensibilidade, paciência, compreensão e timing”.

“Ele é um dos jogadores de futebol americano mais inteligentes que já conheci. Basta dizer a ele uma vez e ele entenderá. Ou ele pode apenas assistir o vídeo uma vez e pronto. E ele tem uma sensibilidade tão boa”, disse Brees. “Ele nem mesmo precisa treinar a jogada. Ele vai se lembrar. E eu acho que é uma característica rara”.

Brees e McAllister disseram que viram a intuição natural de Kamara amadurecer com quatro anos de experiência e tempo ao lado de treinadores como Payton, o coordenador ofensivo Pete Carmichael Jr. e o treinador de running backs Joel Thomas, além de companheiros veteranos como Mark Ingram II e Latavius Murray.

O center Erik McCoy também descreveu Kamara como "incrível" quando se trata de conhecer e entender a proteção do passe dos Saints.

“Quando você chega ao seu próprio ponto e seu nível de habilidade está no máximo, então você adiciona a experiência de passar quatro anos como um jogador da NFL e estar em um ataque como este ... é como quando todas as estrelas se alinham”, disse Brees. "Tipo, cara, ele está no auge. E ele está preparado para fazer praticamente qualquer coisa”.

Curando o tédio

O único problema com a mente de Kamara operando na mesma velocidade indescritível de suas pernas é que ele ficava entediado às vezes nos treinos.

Alguns anos atrás, Payton realmente deu a Kamara um spinner para brincar nas ocasiões em que sua mente começava a vagar.

"É uma piada constante comigo quando se trata de algumas dessas coisas", disse Kamara no início da temporada. "Eu meio que me orgulho de ser inteligente e ser capaz de guardar informações.

"Pode parecer que não, porque eu só tenho que tentar me divertir e manter a calma. Então, eles estão sempre vendo se eu estou prestando atenção, mas eu consigo”.

Kamara disse que sempre quis saber o máximo possível sobre o ataque e o que as defesas adversárias estão tentando fazer com ele. Ele disse que esse é o caso desde que se lembra. Mas aumentou especialmente devido ao nível de jogo na NFL - e porque ele começou a trabalhar ao lado de um jogador como Brees.

“Eu sempre o observo e como ele disseca o jogo e as jogadas. E eu sempre tento aprender as jogadas, e tento recitar tudo quando o Drew está no huddle. É preciso saber as coberturas, rotas, tudo”, disse Kamara. “Isso torna o jogo mais fácil. E torna divertido também, porque às vezes fico entediado”.

Kamara também revelou outro motivo pelo qual sempre abordou o jogo dessa forma.

“Eu vou ser honesto. Isso pode dar até algumas dicas sobre como eu penso e sobre o meu verdadeiro conhecimento do esporte. Então eu, eu não gosto de pessoas dizendo m*** para mim”, disse Kamara. “Quando pensamos em algo, tento dedicar um tempo para saber o que está acontecendo antes mesmo da jogada ser chamada. Quando ela for chamada, eu já sei, só estaremos executando. E então, quando eu entrar em campo, sei o que eu tenho que fazer.

Claro, também é divertido ver Kamara abrindo uma defesa porque simplesmente sabe o que eles vão fazer.

Kamara é o primeiro jogador na história da NFL a produzir pelo menos 500 jardas corridas e 500 jardas recebidas em cada uma de suas primeiras quatro temporadas. E ele já ocupa o segundo lugar na história dos Saints com 59 touchdowns totais.

“Muito disso começa identificando o que os adversários estão tentando fazer com ele - e então ser capaz de reagir”, disse McAllister. “Quando você vê o Alvin correndo, é quase como se ele estivesse planando – é tão natural e suave.

“É quase como se ele estivesse um ou dois movimentos à frente da defesa”.

play
0:23

Campeões da Divisão com os Saints, Drew Brees e até Sean Payton caem 'no passinho' nos vestiários

Time de New Orleans fez a festa após a vitória sobre os Vikings | Instagram - @pjwilliams_25