<
>

NFL: Ravens do MVP Lamar Jackson favoritos e Watson tentando compensar as perdas: veja análise de Curti na AFC Norte e Sul

play
Entre medalhões e estrelas em ascensão, quem são favoritos ao MVP da NFL? (2:51)

Antony Curti elencou os principais nomes na corrida pelo prêmio de jogador mais valioso da liga (2:51)

AFC Norte

Baltimore Ravens

Cincinnati Bengals

Cleveland Browns

Pittsburgh Steelers

O que mudou: A volta de Ben Roethlisberger acaba sendo uma enorme mudança, queira ou não. O Pittsburgh Steelers sem ele foi sétimo na Conferência Americana no ano passado e pelo regulamento de 2020 estaria classificado. Não podemos esquecer dos Steelers para esta temporada. Cincinnati agora tem um franchise quarterback, em tese, em Joe Burrow – o melhor prospecto da posição desde Andrew Luck no Draft 2012 – AJ Green está saudável, olho nessa dupla.

Em Baltimore, o foco foi arrumar uma defesa que sofreu contra o jogo terrestre nos playoffs e que foi amassada por Derrick Henry – assim, draftaram um inside linebacker em Patrick Queen e trouxeram Calais Campbell por uma barganha. O corte de Earl Thomas foi inesperado e vale lembrar do fato. Por fim, Cleveland mandou Freddie Kitchens embora e trouxe Kevin Stefanski, ex-coordenador ofensivo de Minnesota. Stefanski deve reforçar as chamadas terrestres e do play-action – colocando Baker Mayfield, quarterback dos Browns, em situações melhores para vencer jogos.

O jogo para ficar de olho: Pittsburgh Steelers vs Baltimore Ravens, Semana 13: Ravens/Steelers é clima de Libertadores e mesmo sem Roethlisberger os Ravens tiveram trabalho no Heinz Field em 2019. Esse Sunday Night Football vai ser imperdível.

O que esperar em 2020: Baltimore tem o melhor elenco da divisão e mesmo o corte de Thomas não faz com que mudemos esse panorama. A pergunta de um milhão de dólares das defesas da NFL é “como parar Lamar Jackson?” e pontualmente isso vai acontecer caso o adversário force turnovers e corra como se não houvesse amanhã para deixar Lamar fora de campo – vide Titans. Mas fora isso, no dia-a-dia, não é toda hora que vai acontecer. Os Ravens não são apenas favoritos na AFC North, mas também na Conferência Americana junto de Kansas City.

Pittsburgh e Cleveland têm seus problemas e incertezas – como volta Big Ben? O ataque dos Browns agora engrena? – mas são dois times com totais condições de brigar pelo wild card e podem até brigar pela divisão. Ora, podem até mesmo tomar para si o rótulo de “terceira força” da AFC – algo que está aberto no momento.

Os Bengals vez ou outra devem dar trabalho mas brigar por playoff é algo bem difícil aqui. Ainda faltam muitas peças na defesa e o time conta com um quarterback calouro numa divisão difícil. Haverá, contudo, bons momentos de Cincinnati e de Burrow na temporada.


AFC Sul

Houston Texans

Indianapolis Colts

Jacksonville Jaguars

Tennessee Titans

O que mudou: A chegada de Philip Rivers em Indianapolis e a saída de DeAndre Hopkins de Houston são as duas grandes mudanças na divisão. Enquanto isso, Tennesssee manteve a dupla Ryan Tannehill e Derrick Henry como quarterback-running back e a promessa de continuidade nos Titans é o que anima o torcedor neste ano tão atípico. Os Jaguars, por sua vez, estão num fantástico tank e o objetivo de 2020 é estar no top 5 do Draft do ano que vem e, ao mesmo tempo, descobrir o que têm em Gardner Minshew.

O jogo para ficar de olho: Houston Texans vs Indianapolis Colts, Semana 12: Reta final da temporada e os dois times que julgo serem mais aptos a vencerem a divisão. É uma decisão antecipada (ou não, porque o cheiro de 9-7 para todos aqui fora os Jaguars é imenso).

O que esperar em 2020: Prever a AFC South é um tanto quanto difícil e esquisito. Houston tem o melhor quarterback da divisão em Deshaun Watson e embora haja jogos decepcionantes dos Texans contra os adversários de fora da divisão, contra a AFC South há uma certa dominância. O time, porém, tem vários buracos e a saída de Hopkins pode ser sentida por mais mágico que Watson seja.

No conjunto da obra, os Colts aparentam estar em boa posição. O time tem bons jogadores nas posições-chave e a troca por DeForest Buckner pode reforçar o pass rush na medida – bem como a chegada de Rivers trazer mais consistência ao ataque após o ano de altos e (mais) baixos de Jacoby Brissett.

Tennessee é um time cercado de desconfiança por muitos analistas pelo caráter de Cinderella que teve no ano passado – e isso não costuma se projetar bem no ano seguinte. Será que as defesas vão conseguir anular o fatal play-action de Tannehill? A defesa segura o tranco? O alto volume de carregadas de Henry acarretará problemas de lesões? Seja como for, ao menos playoffs podemos estimar para os Titans.

Por fim, os Jaguars – um dos elencos mais fracos da NFL neste ano. Já falei extensamente de Jacksonville neste post do blog. O futuro é o que resta pensar para o time.