<
>

Tampa 'Brady' Buccaneers e a divisão mais forte da NFL; Curti analisa NFC Sul e Oeste

play
Entre medalhões e estrelas em ascensão, quem são favoritos ao MVP da NFL? (2:51)

Antony Curti elencou os principais nomes na corrida pelo prêmio de jogador mais valioso da liga (2:51)

NFC Oeste

Arizona Cardinals

Los Angeles Rams

Seattle Seahawks

San Francisco 49ers

O que mudou: Os Rams, campeões em 2018 da divisão e da NFC, sofreram mais perdas e contam com um miolo de linha ofensiva que segue sendo o calcanhar de Aquiles de Jared Goff. Os Seahawks querem ameaçar o melhor elenco da divisão, os 49ers, e para isso trocaram caro pelo safety Jamal Adams – o objetivo é formar uma defesa agressiva contra o bom ataque de Kyle Shanahan. Por fim, ainda temos um Arizona Cardinals em ascensão e com o calouro ofensivo de 2019, Kyler Murray, que agora tem um dos melhores recebedores da liga à disposição em DeAndre Hopkins.

O jogo para ficar de olho: San Francisco 49ers vs Seattle Seahawks, Semana 17. No ano passado, essa partida foi o fiel da balança e decidiu o título da divisão no Sunday Night Football. A mesma coisa pode acontecer neste ano – ou, ao menos, valer vaga nos playoffs.

O que esperar em 2020: A NFC West é a divisão mais forte da NFL em 2020. Por mais que haja equilíbrio em outras, como a NFC North e a AFC East, é possível dizer que o oeste da Conferência Nacional tem totais condições de mandar três times para a pós-temporada. No ano passado só não o fez, aliás, porque tínhamos seis vagas por Conferência e os Rams ficaram de fora.

No topo da divisão, por conta do elenco mais completo e uma comissão técnica formidável, podemos colocar o San Francisco 49ers – que além de ter a magia de Kyle Shanahan nas chamadas ofensivas ainda tem uma das melhores defesas da NFL com a agressividade de Nick Bosa e a experiência de Richard Sherman.

Seattle, porém, está no páreo: é impossível deixar de fora um time que tem um quarterback de elite como é o caso de Russell Wilson. Numa segunda prateleira – mas sem descarte, de verdade – temos os Rams e os Cardinals. No primeiro caso, muitas perdas e desconfiança em Jared Goff. No segundo, um time em ascensão que precisamos “pagar para ver” mas que pode surpreender muita gente graças a um ataque de alta octanagem.


NFC Sul

Tampa Bay Buccaneers

Atlanta Falcons

Carolina Panthers

New Orleans Saints

O que mudou: A chegada de Tom Brady e a saída de Cam Newton são as duas grandes novidades da NFC South para 2020. Brady chegou em contrato de 2 anos com o Tampa Bay Buccaneers e “trouxe” junto Rob Gronkowski, saído da aposentadoria e recém-trocado pelos Patriots – dado que ele só voltaria se fosse para jogar com seu antigo quarterback (ou com mais alegria no dia-a-dia do que o Do Your Job belichistico, entenda como quiser).

Carolina passa por uma gigantesca reestruturação a ponto de ser um dos times com menos snaps retornados entre os titulares – o time investiu literalmente todas as escolhas do Draft em posições defensivas. A chegada do head coach Matt Rhule vem junto de Teddy Bridgewater, quarterback competente – mas não brilhante – que espera renascer sua carreira após ter séria lesão em 2016.

New Orleans e Atlanta não trazem muitas novidades. No primeiro caso, a chegada de Emmanuel Sanders para desafogar Michael Thomas, onipresente em vários jogos e que nas derrotas dos Saints nos playoffs (desde 2017) não bateu as 100 jardas recebidas tão costumeiras. Em Atlanta, Todd Gurley é a expectativa para um jogo terrestre que teve problemas em 2019 e Dan Quinn foi mantido como head coach.

O jogo para ficar de olho: New Orleans Saints vs Tampa Bay Buccaneers, Semana 1: Isso, Semana 1 mesmo. Vamos ver do que o Tompa Brady Buccaneeers é feito e se/quanto os Saints são melhores. Marca na agenda.

O que esperar em 2020: Carolina é um time que praticamente colocamos fora da disputa por ser um elenco extremamente jovem e com praticamente nenhuma grande peça fora Christian McCaffrey, o melhor running back da NFL na atualidade.

Aí vem a prateleira “1B”, com um Atlanta Falcons que, honestamente, é uma incógnita. Talento ali tem – mas azar com lesões, também. Matt Ryan é um excelente – e subestimado – quarterback mas que sofreu com sua linha ofensiva no ano passado e que viu várias peças defensivas perderem jogos por lesões nas últimas temporadas. Se ele for bem protegido e a defesa não perder essas peças, Atlanta, que terminou bem a temporada e “carimbou” a campanha dos 49ers na reta final do ano, tem chances de brigar por playoffs em 2020.

A divisão, porém deve ficar entre New Orleans Saints e o “Tompa Brady Buccaneers”. O grande trunfo dos Saints é ter, além de Drew Brees, um dos melhores elencos da NFL no papel. Em um ano atípico com a pandemia, isso pode ser um senhor fiel da balança. Para além dos medalhões e nomes pesados no ataque, os Bucs têm em Mike Evans e Chris Godwin uma das (se bobear a melhor) dupla de wide receivers da liga e uma defesa jovem e em ascensão. Vai ser uma briga incrível e já na primeira semana tem Buccaneers at Saints, às 17:25 de Brasília. Marque na agenda.