<
>

Como os Patriots chegaram até aqui? 30 eventos que explicam como a maior dinastia da NFL sucumbiu

Ao longo de 18 temporadas, com Tom Brady como quarterback titular, o New England Patriots só não foi além da rodada de Wild Card em três ocasiões. A derrota de sábado para o Titans marcou a primeira vez em uma década que Brady e os Patriots não estrão jogando na rodada Divisional dos playoffs da NFL. Por 'culpa' de um padrão estupidamente alto, a temporada 2019 dos Patriots deve ser considerada uma decepção.

Quando os Patriots perderam para os Ravens em casa na rodada de wild card durante os playoffs de 2009, foi um final frustrante da temporada e nada mais. Brady estava com 32 anos e prestes a assinar uma extensão de quatro anos no valor de US $ 72 milhões. O fim de Belichick-Brady estava muito distante e, na verdade, acabou durando até mais do que se imaginava naquele tempo.

Agora, o futuro é muito mais sombrio. Brady tem 42 anos. Seu contrato deixará de existir após o fim da temporada, e os Patriots não podem colocar a tag no hexacamepão do Super Bowl. Sua performance caiu drasticamente durante a temporada. Sua mansão em Boston está no mercado. A noite de sábado poderia muito bem ter sido o último jogo de Brady vestindo o uniforme dos Patriots.

As questões que levaram à derrota de New England vão além do que aconteceu durante o jogo. Vamos dar uma olhada cronológica no que levou os Patriots a perderem para os Titans, o que poderia ter mudado e como isso poderia impactar o futuro:


2009

Maio: Rob Gronkowski sofre uma lesão nas costas enquanto fazia academia em Arizona. Um Gronk de 19 anos estava saindo de uma temporada brilhante com os Wildcats quando machucou as costas na inter-temporada. Ele rompeu um disco nas suas costas e, eventualmente, perdeu a temporada de 2009 inteira após passar por cirurgia.

A temporada perdida e as preocupações sobre suas costas são provavelmente o que levou Gronkowski a cair para a segunda rodada do draft de 2010, onde os Patriots subiram duas posições para selecionar o futuro membro do Hall da Fama com a 42ª escolha. Gronk teria uma carreira brilhante, mas a lesão nas costas continuou a aparecer nos anos que seguiram e certamente o ajudou a se aposentar aos 30 anos.


2013

Junho: Rob Gronkowski passa por cirurgia nas costas. Depois de quebrar o antebraço em janeiro e passar por várias cirurgias, Gronkowski passou por outra também em junho para reparar vértebras fraturadas nas costas. Ele faz o seu primeiro jogo na semana 7 e acaba rompendo os ligamentos do joelho em uma jogada com TJ Ward em dezembro.


2015

18 de janeiro: os Colts são destruídos pelos Patriots na final da Conferência Americana e reportam à NFL que várias das bolas usadas durante a partida estavam murchas. Quase oito anos depois que o caso Spygate atingiu a NFL, os Patriots se viram envolvidos em um novo escândalo. Depois de perder por 45-7, os Colts pedem à NFL que inicie uma investigação sobre as bolas usadas durante o jogo em Foxborough.

30 de abril: os Giants usam sua primeira escolha do draft em Ereck Flowers. Precisando desesperadamente de um left tackle para substituir Will Beatty, o gerente geral dos Giants, Jerry Reese, usa a nona escolha geral daquele draft no jogador. Flowers iria envergonhar repetidamente a organização antes de ser dispensado em 2018. O fracasso de Flowers nos Giants fez com que eles fossem atrás de um left tackle nos anos seguintes.

11 de maio: A NFL aplica a punição do Deflategate. A NFL tira a escolha de primeira rodada dos Patriots em 2016 e a quarta escolha em 2017. A liga também suspende Brady pelos quatro primeiros jogos da temporada de 2016, que são mantidos após apelação.

O Deflategate tem dois impactos significativos nos Patriots. Um deles é a escolha que a NFL tirou. O jogador que os Patriots teriam escolhido com a 29ª escolha da primeira rodada entraria no quarto e último ano de seu contrato de estreante nesta temporada. Enquanto a parte inferior da primeira rodada daquele ano consistia em jogadores decepcionantes como Paxton Lynch, Joshua Garnett, Robert Nkemdiche e Vernon Butler, a segunda rodada estava cheia de estrelas. Os Patriots poderiam ter usado sua primeira escolha em Jaylon Smith, Xavien Howard ou Chris Jones? Se eles estavam procurando armas para Brady, os próximos três recebedores draftados foram Hunter Henry, Sterling Shepard e um tal de Michael Thomas. Cada um desses caras teria um enorme valor para os Patriots de 2019 se saudáveis.

Enquanto isso, a suspensão de Brady introduziu Jimmy Garoppolo para o cenário nacional. Garoppolo começou apenas dois dos quatro jogos antes de machucar o ombro, mas mostrou o suficiente nessas duas partidas para inspirar uma disputa no mercado para contar com ele, que acabou indo para San Francisco. Vou falar sobre essa troca logo.

Sem o Deflategate, Garoppolo não conseguiria provar o que pode fazer em um papel significativo. Ele provavelmente passaria as temporadas de 2016 e 2017 sendo reserva de Brady e jogando uma ou duas vezes quando as partidas já estivessem decididas. Há uma chance razoável de que os Patriots pudessem assinar novamente com Garoppolo por um preço razoável e mantê-lo como seu substituto e possível herdeiro de Brady. Embora eu não acredite que Brady esteja jogando tão mal como dizem por aí, seria no mínimo interessante ter Garoppolo ali como substituto.

9 de setembro: Nate Solder assina uma extensão de dois anos no valor de US $ 20 milhões. O segundo left tackle da carreira de Brady - depois de começar com Matt Light - Solder assinou uma extensão amigável para a equipe. O contrato manteve o Solder com os Patriots até a temporada de 2017, mas impediu os Patriots de colocar a tag em seu left tackle na temporada seguinte.


2016

15 de março: os Patriots trocam Chandler Jones para os Cardinals pelo guard Jonathan Cooper e pela 61ª escolha geral. Com o seu pass-rusher entrando na opção de contrato, os Patriots decidem pegar algo por ele antes de perder o jogador na free agency.

Cooper seria cortado sem nunca jogar um jogo pelos Patriots. Eles finalmente conseguiram um guard neste acordo, mas foi através de uma segunda troca; Belichick enviou a escolha que ele recebeu dos Cardinals para os Saints, que negociaram e Vonn Bell. Os Patriots transformaram as escolhas da terceira e quarta rodada que receberam de New Orleans em Joe Thuney e Malcolm Mitchell.

Thuney se mostrou um sólido guard, mas isso não funcionou bem para New England. Belichick geralmente é um mestre em negociar jogadores no momento certo e tem o hábito estabelecido de deixar os corredores de ponta partirem, mas Jones desfrutou da melhor carreira pós-Patriots de qualquer estrela que Belichick trocou. Jones acumulou 60 sacks nos seus quatro anos em Arizona, incluindo 19 em 2019.

Os Patriots tiveram uma excelente defesa sem um pass-rusher de elite em 2019, e eles foram capazes de usar o dinheiro que economizaram trocando Jones em outro lugar, mas ele fez falta em uma partida onde Ryan Tannehill foi sackado apenas uma vez.

13 de novembro: Earl Thomas bate em Rob Gronkowski. Quando os super-heróis colidem, o impacto geralmente deixa uma cratera. Não foi diferente para esses dois futuros membros do Hall da Fama, quando Thomas acertou um Gronkowski vulnerável na semana 10. Os Seahawks finalmente venceram os Patriots fora de casa por 31-24, mas a lesão de Gronk se tornou a história maior.

Inicialmente, ele perdeu um jogo com um pulmão perfurado. Quando voltou para o jogo com o Jets, saiu com uma lesão nas costas e nunca mais voltou. Gronkowski sofreu outra lesão no disco e perdeu o restante da temporada de 2016, levantando mais preocupações sobre seu futuro a longo prazo na NFL.


2017

27-29 de abril: Belichick tem seu pior draft com os Patriots. Enquanto os Pats já estavam sem sua primeira escolha depois de negociar com Brandin Cooks, é difícil encontrar um draft no qual Belichick encontrou menos do que os Pats obtiveram em 2017. Escolhendo por último após vencer o Super Bowl, Belichick negociou a 64ª escolha para os Panthers pela 72ª escolha e o defensive end Kony Ealy, que foi cortado antes do começo da temporada. Os Saints e Panthers usaram as escolhas que receberam dos Pats em Ryan Ramczyk e Taylor Moton, dois dos melhores jovens right tackles da liga.

Belichick negociou novamente com os Titans, que contrataram Taywan Taylor, e depois usou a escolha de Tennessee no defensive end Derek Rivers, que jogou 78 snaps defensivos ao longo de três temporadas nos Pats. Duas escolhas depois, Belichick negociou com os Lions para draftar o tackle Antonio Garcia, que perdeu toda a temporada de estreante com coágulos sanguíneos nos pulmões antes de ser cortado sem jogar na NFL. Detroit usou a escolha de terceira rodada que os Pats trocaram em um recebedor que teria ajudado nesta temporada, Kenny Golladay.

Os Patriots usaram uma escolha da quarta rodada em Deatrich Wise Jr., que se tornou o único colaborador notável à equipe desse draft. Houve um grande buraco no elenco dos Patriots neste ano, e o draft de 2017 poderia ter impedido isso.

7 de setembro: Malcolm Mitchell entra na lista de contundidos. Um dos muitos jogadores da Geórgia que Belichick draftou nos últimos anos, a escolha de quarta rodada impressionou durante sua temporada de rookie, recebendo 32 passes para 401 jardas e quatro touchdowns. Ele foi titular na final da AFC e no Super Bowl, recebendo seis passes para 70 jardas contra os Falcons, e parecia ser um recebedor confiável logo em sua primeira temporada.

Infelizmente, o Super Bowl foi o último jogo que Mitchell disputou. Ele havia sofrido uma lesão no ligamento do joelho na faculdade e sempre lutou contra os problemas no joelho, antes de ser colocado na lista dos contundidos antes do jogo contra os Chiefs, na semama 1. Mitchell perdeu todo o ano de 2017, foi cortado pelo Patriots em agosto de 2018 e passou por outra cirurgia no joelho antes de se aposentar em março de 2019. Mitchell provavelmente estaria em campo contra os Titans se estivesse saudável.

31 de outubro: os Patriots trocam Garoppolo para os 49ers por uma escolha na segunda rodada. Com Garoppolo supostamente recusando prorrogações de contrato e Brady no meio do que seria uma campanha de MVP, os Patriots ficam com pouca escolha a não ser abrir mão daquele que poderia ser o futuro da sua franquia. Um furioso Bill Belichick resolve mandar Garoppolo para os 49ers por uma escolha de segunda rodada.

Belichick negociou com os Bears em duas ocasiões diferentes sozinho como parte do acordo e ainda deve sua escolha na quarta rodada no draft de 2020. As escolhas que Belichick adquiriu tiveram um papel fundamental nos drafts de Duke Dawson, Joejuan Williams, Damien Harris, Christian Sam e Byron Cowart.

Os jogadores draftados em posições mais altas foram Dawson e Williams, um par de defensive backs de segunda rodada. Dawson perdeu toda a sua temporada de rookie com uma lesão antes de ser negociado com os Broncos por uma escolha de sexta rodada, enquanto Williams serviu como reserva nesta temporada. Harris, uma escolha da terceira rodada, jogou apenas cinco snaps no ano.

Claro, Garoppolo foi ótimo em 2017 e se machucou durante a maior parte de 2018, antes de impressionar nesta temporada para os Niners, que tiveram a melhor campanha da NFC. Realisticamente, os Patriots esperaram muito tempo para fazer essa jogada, o que era óbvio na época. Os Patriots deveriam ter conseguido uma escolha na primeira rodada por Garoppolo durante a primavera de 2017, o que lhes permitiria possivelmente adicionar um jogador muito mais valioso no draft daquele ano.


2018

6 de fevereiro: Josh McDaniels renuncia ao seu acordo para se tornar técnico do Colts. Dois dias depois que os Patriots perderam o Super Bowl LII para o Eagles, eles receberam uma boa notícia quando McDaniels decidiu retornar ao time. O ex-técnico dos Broncos e atual coordenador ofensivo dos Pats parecia estar a caminho de Indianápolis, com o Colts aguardando o término dos playoffs antes de anunciar oficialmente McDaniels como seu próximo treinador. Em vez disso, apesar de McDaniels já ter recrutado treinadores para sua nova equipe em Indianápolis, o técnico de 41 anos recebeu um aumento para voltar à New England.

14 de março: os Giants assinam com Nate Solder por US $ 62 milhões. Com os Pats incapazes de colocar a tag Solder sob os termos de sua antiga extensão, eles ficam presos deixando seu melhor protetor de Tom Brady chegar ao mercado. Uma guerra de três equipes brota entre Belichick, Bill O'Brien, de Houston, e o novo gerente geral do Giants, Dave Gettleman. No final, deu Giants.

O acordo de Solder acabou sendo um desastre para os Giants. A Stats LLC sugere que ele tenha permitido 12,5 sacks nesta temporada, mais do que o permitido por mais de 35 jogos nas últimas três temporadas com o Patriots. Ele não recebeu muita ajuda de seus quarterbacks, mas os números são decepcionantes mesmo assim.

Solder teria piorado drasticamente se tivesse ficado com os Patriots? É impossível dizer, mas dada a presença de Brady e a tutela do lendário Dante Scarnecchia, estou inclinado a pensar que não. Manter Solder teria forçado os Patriots a fazer outros cortes, e embora eles tenham escolhido um jogador diferente, eles provavelmente ainda seriam forçados a fazer esse movimento.

3 de abril: os Patriots mandam Brandin Cooks para os Rams. Apenas um ano depois de adquirir Cooks dos Saints, Belichick decide trocar seu recebedor número 1, enviando ele e uma escolha de quarta rodada para Los Angeles por escolhas de primeira e sexta rodada. Os Patriots usam a escolha da primeira rodada que recebem dos Rams em Isaiah Wynn, que foi draftadp para assumir o cargo de left tackle após a saída de Solder.

É impossível dizer se Cooks teria feito diferença nos Pats em 2019. Os Patriots o negociaram depois que ele sofreu uma concussão durante a derrota no Super Bowl para o Eagles, e enquanto eu duvido que Belichick tenha projetado que Cooks continuasse lidando com lesões na cabeça, o destaque do Rams sofreu duas concussões em 2019 e não conseguiu chegar aos 60 jardas recebidas em um jogo após a semana 4. Sinto-me confiante em dizer que Belichick preferiria ter Cooks a alguém como N'Keal Harry ou Mohamed Sanu na escalação para o jogo contra os Titans.

26 de abril: os Pats usam uma escolha de primeira rodada em Sony Michel. Como uma equipe que raramente investiu recursos significativos em running backs, foi um choque ver os Patriots usarem uma escolha de primeira rodada em um jogador que provavelmente serviria como seu corredor de explosão, um papel que os Pats haviam desempenhado nos últimos anos com caras como LeGarrette Blount e BenJarvus Green-Ellis. Foi realmente apenas a terceira vez que Belichick fez um grande investimento nessa posição, depois de negociar por Corey Dillon e usar uma escolha de primeira rodada em Laurence Maroney.

Após uma temporada de novato competente, Michel assumiu e se destacou como o principal corredor dos Pats durante a pós-temporada de 2018, acumulando 336 jardas corridsa e seis touchdowns.

Mas Michel entrou em colapso. Aquela explosão sumiu, e ele teve apenas 3,7 jardas por carregada no ano. Ele foi um desastre como recebedor, recebendo três passes em apenas 20 alvos.

Os jogadores que foram draftados logo após Michel podem ter mudado a franquia. Depois de Michel, o escolhido foi Lamar Jackson, que provavelmente vencerá o MVP da liga em seu segundo ano como profissional. O próximo corredor selecionado foi o 35º escolhido geral, Nick Chubb, que provou ser um corredor muito mais dinâmico do que seu companheiro de equipe na Geórgia. Michel ainda tem tempo para mudar essa história, mas podemos dizer que os Pats não foram bem nessa escolha.

19 de outubro: Gronkowski aparece no relatório de lesões com um problema nas costas. Enquanto lidava com uma lesão no tornozelo, Gronkowski foi listado no relatório de lesões em 2018 com um problema nas costas. Enquanto jogava com a lesão no tornozelo, ele perdeu os quatro jogos seguintes por conta das costas. Quando ele voltou, teve apenas média de 39 jardas por partida na temporada regular.

30 de outubro: o período de trocas se encerra sem um acordo por Derrick Henry. Enquanto nosso Chris Mortensen relatou que os Titans estavam 'vendendo' sua segunda escolha em 2018, o gerente geral Jon Robinson não conseguiu encontrar um acordo que ele gostasse para a ex-estrela do Alabama. Os Titans decidiram manter Henry, embora ele estivesse servindo de apoio a Dion Lewis, um ex-jogador dos Patriots.

Naquela época, Henry parecia pouco mais do que um running back de rotação. Ele teve números competentes fazendo isso com DeMarco Murray em 2016 e 2017, mas quando assumiu a função de titular para começar 2018, decepcionou.

Henry continuou servindo como a mudança de ritmo até um fatídico jogo de quinta-feira à noite contra o Jaguars, em dezembro. Com Lewis carregando a bola 10 vezes por apenas 13 jardas, Henry marcou um touchdown na campanha de abertura e, em seguida, correu 99 jardas para marcar outro touchdown. Ele terminou com 238 jardas e voltou para a equipe titular na semana seguinte, onde reside desde então.

Desde o jogo dos Jaguars na semana 14 de 2018 até o final da temporada regular de 2019, Henry acumulou 2.125 jardas, 329 a mais do que qualquer outro na liga. Seus 23 touchdowns são seis a mais do que qualquer outro jogador, também. Ele então dominou os Patriots no wild card, acumulando 208 jardas e um touchdown em 35 toques de scrimmage. Será que os Titans teriam esse jogo terrestre avassalador se tivessem trocado Henry?


2019

3 de fevereiro: os Patriots vencem o Super Bowl. Uma vitória por 13-3 contra os Rams deu a Brady e Belichick o sexto anel de campeão do Super Bowl. Logo após a partida, rumores sugerem que Gronkowski vá se aposentar.

11 de março: Adam Humphries diz 'não' aos Patriots e assina por 36 milhões de dólares com os Titans. Não fiquei empolgado pelos Titans quando isso aconteceu, em parte porque senti que equipes como os Patriots tinham demonstrado a capacidade de elevar recebedores no slot. Como se viu, os Patriots estavam realmente interessados em assinar com Humphries e ofereceram mais dinheiro a ele, mas quando expressaram seu interesse, ele já havia fechado com os Titans.

Humphries também admitiu que recusou os Patriots por medo de que Brady não fosse o quarterback deles por muito mais tempo, o que parece ainda mais interessante agora. O primeiro ano de Humphries com o Titans foi decepcionante, com o jogador de 26 anos recebendo 37 passes para 374 jardas e recebendo dois touchdowns em 12 jogos antes de sofrer uma entorse no tornozelo, o que o levou a perder o último mês da temporada e a vitória sobre os Pats.

É muito difícil falar que Humphries também cairia de produção com o uniforme dos Patriots, ainda mais com Julian Edelman presente no slot. Os Patriots poderiam usar formações diferentes com os dois para confundir a defesa, mas acho que nunca saberemos, ao certo, o que poderia ter acontecido.

15 de março: os Dolphins trocam Ryan Tannehill com os Titans. Em um sinal de quão fraco era o mercado para um QB titular, os Dolphins pagaram US $ 5 milhões dos US $ 7 milhões que Tannehill venceu após a reestruturação de seu contrato e enviaram uma escolha da sexta rodada para os Titans por escolhas de quarta e sétima rodada. Nenhuma equipe da liga estava disposta a enviar uma escolha da quarta rodada aos Dolphins pelo privilégio de conseguir um cara que era um quarterback titular de baixo nível no que equivalia a um contrato de US $ 2 milhões em um ano.

É claro que esse movimento acabou sendo o melhor negócio da offseason para os Titãs. Tannehill jogou em alto nível por 10 semanas e levou Tennessee aos playoffs. E enquanto ele fez pouco contra os Patriots no domingo, o sucesso do jogo corrido veio em parte porque os Patriots tinham medo do que Tannehill era capaz de fazer no play-action.

24 de março: Rob Gronknowski se aposenta. O tight end deixa a liga aos 30 anos após uma temporada que mostrou uma queda significativa de rendimento na temporada regular. Nos playoffs, a coisa foi diferente. Gronk jogou bem e nos fez lembrar que ele era um recebedor e um bloqueador de elite. Especulações de que ele poderia voltar na temporada seguinte duraram a temporada inteira, mas nada aconteceu. Os Patriots terminam a temporada com 419 jardas para tight ends, a terceira pior marca da NFL.

25 de abril: Os Patriots usam sua primeira escolha em N'Keal Harry. Depois de passar 11 drafts sem usar uma escolha da primeira rodada em WR/RB, os Patriots selecionam Harry na 32ª escolha geral. O produto de Arizona State é visto como um mismatch para defensores menores e um complemento inteligente para Julian Edelman.

Ele se machucou antes de a temporada começar.

Depois de voltar no meio da temporada, ele até foi bem, mas ficou claro que Belichick o via apenas como um jogador situacional. Harry jogou apenas dois snaps ofensivos na derrota para o Chiefs e não conseguiu chegar as 30 jardas em nenhum jogo durante sua temporada de rookie.

É muito cedo para fazer qualquer tipo de julgamento a longo prazo sobre Harry, mas é justo dizer que outros recebedores causaram mais impacto a curto prazo durante suas primeiras temporadas. Um desses foi AJ Brown, dos Titans, que foi a minha escolha para Novato do Ano depois de acumular 1.051 jardas recebidas e nove touchdowns. Brown foi escolhido 19 escolhas atrás de Harry, e outros jogadores como Deebo Samuel, DK Metcalf e Terry McLaurin também fizeram diferença como estreantes. Brown teve um jogo apagado contra os Patriots, mas isso se deve ao jogo monstruoso de Derrick Henry.

Agosto: O center David Andrews é hospitalizado. Um dos jogadores mais subvalorizados e subestimados do elenco, Andrews é colocado na lista dos contundidos e fica fora de toda a temporada. Ele é substituído por Ted Karras, que também se machuca. James Ferentz, terceiro reserva, se torna o titular.

9-20 de setembro: Antonio Brown é contratado e dispensado pelos Patriots. Em um ano bizarro para Brown que exigiria outra matéria inteira, os Patriots atacaram depois que os Raiders dispensaram a ex-estrela dos Steelers e assinaram com Brown por um ano no valor de US $ 15 milhões. Brown fez sua estreia pelos Patriots na semana 2 e pegou quatro passes para 56 jardas e um touchdown.

Cinco dias depois, depois que surgiram as alegações de que Brown havia sido acusado de agressão sexual e de enviar mensagens de texto ameaçadoras para uma segunda mulher, os Patriots dispensaram Brown. Atualmente, ele está envolvido com uma queixa na tentativa de obter o dinheiro que os Patriots garantiram quando o contrataram; Parece que os Pats devem US $ 10,5 milhões em dinheiro a Brown.

O comportamento fora de campo de Brown tem sido ao mesmo tempo abominável e descontrolado. Se ele de alguma forma encontrou uma maneira de se comportar durante seu tempo no Patriots, é difícil imaginar um ajuste mais perfeito para o que os Pats acabaram precisando. Mesmo quando Brady teve proteção durante a segunda metade da temporada, ele raramente tinha um recebedor capaz de criar separação e ficar livre além de Edelman. Brown teria sido esse jogador. Em vez disso, sua breve passagem pela equipe acabou sendo vergonhosa.

23 de setembro: James Develin e Isaiah Wynn se machucam contra os Dolphins. Enquanto a vitória dos Patriots por 43 a 0 sobre os Dolphins na semana 2 foi uma caminhada no parque, custou a eles duas peças críticas para o ataque. Develin, o fullback titular da equipe, sofreu uma lesão no pescoço que lhe custou o restante da temporada. Wynn, que estava iniciando sua segunda carreira depois de perder todo o ano de 2018 com uma lesão no tendão de Aquiles, sofreu uma lesão no dedo do pé e perdeu as próximas 10 semanas.

Os Pats não se saíram bem em substituir nenhum dos dois. New England acabou usando o linebacker Elandon Roberts como seu novo fullback. Wynn foi substituído pelo agente livre Marshall Newhouse, que permitiu 5,5 sacks em nove partidas, segundo a Stats LLC.

2 de outubro: Stephen Gostkowski se machuca e vai para a lista dos contundidos. O kicker de longa data do Patriots voltou à equipe em abril em um contrato de dois anos, mas Gostkowski não estava de acordo com seus padrões habituais. O jogador de 35 anos perdeu quatro de seus primeiros 15 pontos extras e uma de suas oito tentativas de field goal antes de seguir para a lista dos contundidos com uma lesão no quadril. Os Pats passaram por outros três kickers, Kai Forbath, Nick Folk e Mike Nugent, mas Belichick mostrou pouca fé em seus substitutos.

22 de outubro: os Patriots trocam por Mohamed Sanu. Desesperado na posição de WR, os Patriots enviaram uma escolha de segunda rodada aos Falcons por Sanu. Não fiquei muito empolgado quando a troca foi feita, mas Sanu era um veterano de uma posição que precisava, urgentemente, de peças.

A chegada de Sanu acabou sendo uma grande decepção. Enquanto ele teve 10 recepções paras 81 jardas e um touchdown na derrota de New England por 37 a 20 para o Ravens, ele sofreu uma lesão no tornozelo e parece nunca ter se recuperado. Nos oito jogos finais, ele pegou 15 passes em 33 alvos para 114 jardas, incluindo uma recepção solitária de 11 jardas em cinco alvos contra Tennessee. Mesmo se você quiser culpar o tornozelo, Sanu não acabou fazendo muita diferença para os Pats.

31 de outubro: os Patriots dispensam Josh Gordon. Com Harry prestes a retornar da lista dos contundidos e Gordon sem causar grande impacto antes de sofrer uma pequena lesão no joelho, os Patriots decidiram cortar os laços com a ex-estrela do Browns. O potencial de Gordon para quem o viu se destacar na faculdade ou durante a temporada de 2013 é óbvio, mas ele se afastou da organização em 2018 e foi suspenso indefinidamente por outra violação da política de abuso de substâncias da liga depois de ingressar no Seahawks. Um saudável e produtivo Gordon poderia ter feito diferença nos Patriots, mas não está claro se Gordon jamais será esse jogador.

8 de dezembro: Julian Edelman sofre uma lesão no joelho na derrota por 23 a 16 para o Chiefs. Enquanto Edelman já estava lidando com uma lesão no ombro antes do jogo dos Chiefs, uma lesão no joelho sofrida durante a partida parecia realmente atrapalhar o último recebedor efetivo de Brady. Edelman terminou o jogo com 95 jardas recebidas e um touchdown, mas ele não era o mesmo cara depois da jogada. Nos quatro últimos jogos da temporada, ele somou apenas 137 jardas em 13 recepções. Quando você considera que dois desses jogos foram contra os Bengals e Dolphins, parece provável que ele estivesse bem abaixo de 100%. A duabilidade de Edelman deve ser respeitada, mas os Pats simplesmente não tinham mais recebedores saudáveis ​​depois que ele se machucou.

29 de dezembro: a defesa entrega a partida para os Dolphins. Os Patriots não deveriam perder a liderança no quarto período de uma partida na semana 17 que vale a folga na primeira rodada dos playoffs. Essa derrota foi uma marca de como eles haviam piorado desde a semana 2, quando Brady e companhia venceram os Dolphins por 41-0.

Eles não conseguiram. Ryan Fitzpatrick converteu duas terceiras descidas, mas esse não foi um esforço particularmente difícil ou heróico. Os Dolphins não tiveram problemas contra a defesa número um da liga em praticamente todas as métricas. New England estava a uma jogada de passar a rodada de wild card no sofá antes do que teria sido um jogo em casa contra os Texans. Em vez disso, estava tudo acabado no segundo dia dos playoffs.


2020

4 de janeiro: Michel não consegue entrar na end zone da linha de uma jarda. Se qualquer jogada explica o que deu errado para os Patriots nos meses (ou anos) que antecederam esse jogo e como isso mudou o ataque, essa jogada é Sony Michel sendo parado na porta da end zone.

Os Patriots correm por fora, coisa que fazem desde que Michel estava no jardim de infância. Não dá certo porque os bloqueios não funcionam. Karras, que substitui Andrews na posição de center, é derrotado pelo rookie Jeffery Simmons, que faz com que Michel tenha que cortar para dentro. Ali está Newhouse, que entrou nesta jogada como jogador de linha ofensiva adicional, mas ele é vencido por Harold Landry. Roberts, o fullback que está substituindo Develin, tenta bloquear Kevin Byard, mas mergulha e cai no chão sem nem encostar no defensor dos Titans.

Sendo encurralado pela defesa de Tennessee, Michel tem uma esperança: quebrar o tackle de Rashaan Evans para entrar na end zone. O jogador dos Titans faz a jogada e derruba Michel. Uma porção de reservas e jogadores decepcionantes foram vitais para que a jogada mais importante da partida para os Patriots não desse certo.

Como Nora Princiotti, do Boston Globe, observou, esta foi a primeira vez na era Brady-Belichick que os Patriots não conseguiram marcar um touchdown em uma campanha em que estiveram na linha de uma jarda do campo de ataque na pós-temporada. Os Pats chutaram um field goal, estenderam a liderança para 13-7 e nunca mais chegaram perto de marcar. Os Titans fizeram um TD antes do intervalo para recuperar a liderança, e os Patriots não conseguiram avançar a bola além da linha de 47 jardas do campo de Tennessee mais. Isso foi a diferença na partida. Isso e, é claro, a interceptação retornada para touchdown lançada por Tom Brady nos instantes finais.

No passado, uma jogada na linha de uma jarda não seria suficiente para destronar os Patriots. Eles continuariam vindo até você. Belichick teria confiança suficiente no seu ataque para converter a quarta descida. Os Patriots teriam buscado Gronkowski, o 'mismatch' ambulante, quando precisassem avançar com a bola no quarto período. Belichick teria pensado em alguma coisa para evitar a derrota.

Neste sábado, no entanto, finalmente vimos que a solução que todos esperávamos que os Patriots encontrassem depois de meses de perguntas sobre o ataque simplesmente nunca surgiu. E agora, ao enfrentarem a possibilidade de um futuro sem Tom Brady, essas perguntas parecem ainda mais irritantes. Os Patriots são legitimamente considerados organização mais inteligente da liga e acertam mais do que qualquer outra no futebol americano, mas uma combinação de erros no ataque e lesões fez com que eles caíssem diante dos Titans no wild card.