<
>

O futuro da 'dinastia': após derrota do Super Bowl LII, restam muitas dúvidas nos Patriots

Não é só na derrota para o Philadelphia Eagles que a está a cabeça do torcedor do New England Patriots.

Após o revés no Super Bowl LII, por 41 a 33, na noite deste domingo, surgiram muitas dúvidas sobre o futuro da “dinastia” que, nos últimos 17 anos, disputou oito Super Bowls e conquistou cinco títulos.

As dúvidas começam pelo técnico Bill Belichick, passa pelo quarterback Tom Brady, o tight end Rob Gronkowski, o defensor Malcolm Butler, e também pela comissão técnica, que está de saída.

Belichick segue? E a comissão

“Obviamente, nós não fizermos um trabalho bom o suficiente no comando. Perdemos muitas oportunidades ofensivas no primeiro tempo, não jogamos bem na defesa, não fomos bem na equipe de chute”, disse Bill Belichick após a partida.

Após os rumores de conflito entre o treinador e o dono da franquia, Robert Kraft, não se sabe ao certo quanto tempo mais Belichick ficará em New England. Afinal, ele não é um homem de muitas palavras, muito menos de satisfações.

É certo que o coordenador de defesa, Matt Patricia, está de saída para ser o novo técnico do Detroit Lions. E o de ataque, Josh McDaniels provavelmente será treinador do Indianapolis Colts.

O “desmanche” na comissão técnica pode significar em algumas dificuldades na próxima temporada. Uma saída de Belichick, contudo, seria um problema bem maior.

O tempo vai chegar para Tom Brady?

A responsabilidade pela derrota para os Eagles está longe de passar pelo astro Tom Brady. No domingo, ele teve uma atuação digna de MVP de temporada, com 505 jardas lançadas e quatro passes para touchdown.

Se Gisele Bundchen tentou fazer o marido deixar a bola oval no passado, não parece ser após esta derrota que ela vai conseguir fazer isso.

“Eu espero voltar, mas nós vamos ver”, disse Brady. “Passaram apenas 15 minutos do fim da partida. Tenho que processar um pouco mais as coisas. Não vejo por que eu não voltaria”, completou.

Brady tornou-se o mais velho jogador não-kicker a disputar um Super Bowl, aos 40 anos. Agora resta saber se seu desempenho, que lhe valeu o prêmio de melhor jogador da temporada regular, vai se repetir aos 41 anos, idade que terá quando a bola voltar a voar, em setembro.

Gronk pendura as chuteiras?

Se Brady não pensa em parar já ultrapassando as quatro décadas, Rob Gronkowski não garante que estará em campo com 29 anos.

Depois de receber nove passes, 116 jardas e dois touchdowns no Super Bowl LII, ele foi para a entrevista coletiva garantindo que ira pensar melhor sobre seu futuro. “Eu vou, definitivamente, pensar sobre meu futuro. Vou sentar nas próximas semanas e ver como eu estou”, disse o tight end que quase ficou de fora do Super Bowl devido a uma concussão na final da AFC.

Quando questionado se aquilo poderia significar uma aposentadoria, o camisa 87 disse simplesmente que “não estava pronto para responder aquele tipo de questão naquele momento.

De herói a esquecido

Quem é praticamente certo que não voltará à Foxboro é o cornerback Malcolm Butler. Herói do Super Bowl XLIX, quando interceptou Russell Wilson dentro da endzone, ele não entrou em campo uma vez sequer contra os Eagles.

“Eles desistiram de mim. É isso o que é. Não sei o que foi. Acho que eu não não estava jogando bem, ou eles não se sentiram confortáveis”, disse o defensor após a derrota que assistiu da lateral do campo.

“Mas eu poderia ter mudado aquele jogo”, garantiu.

Butler se torna um agente livre nos próximos dias, podendo assinar com qualquer equipe, a menos que os Patritos usem a “franchise tag” nele , o que não parece provável de acontecer.