<
>

Fora do jogo, Wentz tenta não ficar de fora da 'festa' com os Eagles no Super Bowl

A vaga do Philadelphia Eagles na pós-temporada, e consequentemente no Super Bowl LII, se deve muito ao quarterback Carson Wentz. Quando deixou a equipe, na semana 14, com uma grave lesão no joelho, o camisa 11 já havia conquistado 11 vitórias, e era um dos principais candidatos ao prêmio de MVP.

Recuperando-se da cirurgia pela qual precisou passar, o quarterback tentou ao máximo passar despercebido no Opening Night, evento que abriu a semana do Super Bowl em Minneapolis. Mas ele sabia que não havia como participar deste momento tão sonhado por qualquer jogador sem atrair a atenção da imprensa.

Assim que chegou ao local das entrevistas, montado no Xcel Energy Center, Wentz logo atraiu todas as câmeras e microfones. Afinal, o que passava pela cabeça do jogador por estar lá, mas não fazer parte daquilo como esperava?

“Eu não conheço ninguém mais competitivo do que eu. Querer estar lá é definitivamente difícil, mas eu superei isso rapidamente e apenas estou por perto deles e as coisas estão indo tão bem quanto podem ser”, disse Wentz.

O quarterback cruzou a multidão de repórteres com ajuda de seguranças, que abriram caminho para que pudesse dirigir-se para a arquibancada, onde sentou-se e conversou por cerca de meia hora. Ele fez questão de deixar claro que não queria tirar a atenção daqueles que estarão em campo.

“Vou usar isso como uma oportunidade de aprendizado e motivação. Estar aqui e acompanhar toda esta semana, isso vai me dar motivação para querer estar aqui de volta, sem sombra de dúvidas”, afirmou.

Wentz também teve que responder muito sobre Nick Foles, que assumiu a missão de comandar o ataque dos Eagles na reta final da temporada e também nos playoffs, sendo o destaque na vitória contra os Vikings na final da NFC.

“Estou super animado pelo time e por Nick. Somos muito próximos. Ele entende a pressão não apenas por jogar este esporte, mas por jogar na Filadélfia, e tudo o que isso envolve”, disse.

“Eu apenas disse para ele ser ele mesmo, jogar seu jogo e quando ele fizer isso, ele terá jogado muito bem. Eu não poderia estar mais feliz pelo sucesso dele. Ele é um grande cara”, completou.