<
>

Apontados como zebras, Eagles fazem máscara de cachorro triplicar de preço

Neste domingo, às 21h40 (de Brasília), espere por uma arquibancada lotada de cachorros no Lincoln Financial Field, palco da decisão da NFC entre Philadelphia Eagles e Minnesota Vikings.

Tudo porque o tackle Lane Johnson e o defensor Chris Long decidiram comemorar a vitória sobre o Atlanta Falcons, no último sábado, usando uma máscara de pastor alemão, para destacar que os “underdogs” (a “zebra” deles), estava vivo na briga pelo Super Bowl LII.

Sem poder contar com o quarterback Carson Wentz, os Eagles tornaram-se o primeiro time a ter a melhor campanha na temporada regular e chegar aos playoffs como azarões nas casas de apostas em Las Vegas. Os Falcons eram favoritos por 3 pontos, e agora os Vikings aparecem na frente nas apostas por 3,5 pontos.

A máscara caiu no gosto da torcida e virou um sucesso de vendas. Com uma fábrica baseada na China, a CreepyParty não está dando conta de suprir a demanda, que fez cerca de 500 máscaras serem vendidas entre o sábado e a segunda-feira.

Como determina a regra do mercado, a alta procura fez crescer também o preço. Se antes o item era encontrado por US$ 16 (R$ 51,43), rapidamente subiu para US$ 39,99 (R$ 129,30). Nesta terça-feira, o produto só era encontrado em um fornecedor do site Amazon, que cobrava US$ 49,99 (R$ 161,63) por unidade.

Com a torcida abraçando esta ideia, o Philadelphia Eagles entrou na onda e já avisou que tais máscaras serão bem vindas no estádio, ressaltando ao torcedor apenas que eles terão que apresentar o item à equipe de segurança antes da entrada.

“Quando o Carson (Wentz) se machucou? Desde aquele momento ninguém nos deu uma chance”, disse Doug Pederson, treinador dos Eagles.

“Eu entendo que Carson é um grande jogador, mas todas as semanas nossos jogadores estão ouvindo a mesma coisa. Agora, depois de tudo, nós não somos bons o suficiente? Fomos 13-3, melhor campanha da temporada, com vantagem do mando de campo”, argumentou Pederson.

“Os rapazes vão se motivar com tudo aquilo que eles ouviram no último mês. Realmente não importa o que vocês falam, porque nosso vestiário está unido. Eu irei lutar por cada um dos nossos rapazes. Eu vou para a guerra por todos os rapazes no nosso vestiário”, disse o treinador.

A última vez que os Eagles foram para o Super Bowl foi na temporada 2004 quando, coincidentemente, deixou pelo caminho os mesmos adversários desta temporada, sendo que os Vikings foram eliminados no Divisional, e os Falcons os adversários na final de conferência.

Naquela ocasião, o adversário no Super Bowl foi o New England Patriots, que também sonha com uma vaga no Super Bowl LII, encarando o Jacksonville Jaguars na final da AFC. Em 2004, os Patriots ficaram com o título, o terceiro de Tom Brady e companhia.