<
>

NBA: os favoritos, os veteranos dos Lakers, maiores salários e tudo o que você precisa saber sobre a temporada

Temporada 2021-22 da NBA começa nesta terça-feira (19) com transmissões pela ESPN a partir de quarta-feira


Enfim, a espera acabou. A NBA volta nesta terça-feira (19) para a sua mais nova temporada com LeBron James e o Los Angeles Lakers, Giannis Antetokounmpo e o Milwaukee Bucks, Kevin Durant e o Brooklyn Nets e todas as outras estrelas no aniversário de 75 anos da maior liga de basquete do mundo.

*Conteúdo patrocinado por Ágora, Vivo, Ford, Sadia e Samsung

Os melhores conteúdos em vídeo e texto o fã de esporte terá no ESPN.com.br, e a temporada completa da NBA, com 117 jogos de temporada regular, mais playoffs e Finais terão transmissão pela ESPN no Star+. Veja aqui todos os jogos que serão transmitidos.

Como funciona

A temporada começa em 19 de outubro com todas as 30 equipes jogando 82 vezes. Os seis melhores de cada conferência se classificam diretamente aos playoffs, que se iniciam em 16 de abril.

As duas últimas vagas de Leste e Oeste serão definidas através do "play-in". O time com a 7ª melhor campanha enfrenta o 8º, com o vencedor se classificando. O perdedor deste jogo encara o vencedor do duelo entre 9º e 10º e quem levar a melhor garante a última vaga para o mata-mata.

Como serão os protocolos de vacinação?

Cada região dos Estados Unidos tem suas próprias regras. Em Nova York, por exemplo, qualquer pessoa precisa de comprovação de ao menos uma dose de vacina contra a COVID-19 para poder entrar em ginásios fechados. Ou seja, Kyrie Irving, que tem publicamente admitido ser contra e não ter tomado o imunizante, não pode atuar nos jogos dos Nets em casa, nem contra os Knicks.

Isso fez com que a franquia anunciasse que ele não participaria de treinos ou de jogos da equipe até que fosse liberado para tal.

A NBA anunciou antes da temporada que qualquer jogador que opte por não cumprir os mandatos de vacinação locais não será pago pelos jogos que perder. No início do mês, a liga informou que 95% dos atletas já estavam completamente imunizados.

Alguns ainda resistem, casos de Kyrie Irving e Bradley Beal, que revelaram não ter se vacinado por uma decisão pessoal.

Jogadores totalmente vacinados evitarão testes regulares e podem sentar-se juntos no vestiário, nas refeições do time e durante as viagens. Eles também não precisam ficar em quarentena quando considerados em contato próximo, a menos que comecem a mostrar sintomas para COVID-19. Os jogadores não vacinados, por outro lado, deverão passar por testes em todos os dias que envolvam treino ou viagem, e eles podem ser testados várias vezes em dias de jogo. Aqueles sem vacinas devem manter distância social e quarentena se entrarem em contato próximo com alguém que teste positivo para COVID-19.

Os favoritaços

Los Angeles Lakers

LeBron James e Anthony Davis ganharam a companhia de outros All-Star, como Carmelo Anthony, Russell Westbrook, DeAndre Jordan e viram os retornos de Dwight Howard e Rajon Rondo. Tirando Davis, todo mundo aí tem (bem) mais de 30 anos, o que gera dúvidas, especialmente com a questão de saúde do elenco. Porém, todos sabem que a janela está fechando, e no caso de Westbrook pode ser a última chance de um título.

Apesar de estar perto dos 37 anos de idade, LeBron ainda é um monstro e tem "lenha" pra queimar após o "descanso" de ter caído cedo nos playoffs do ano passado.

Brooklyn Nets

Se o trio estiver saudável (e Kyrie Irving vacinado), não há dúvidas de que os Nets, com James Harden, Kevin Durant, Blake Griffin, LaMarcus Aldridge e companhia é o principal favorito ao título. O dedão "a mais" de Durant já evitou que isso acontecesse na última temporada. Podem esperar muitos atletas poupados durante a temporada regular porque o objetivo de Brooklyn é um só: o anel da NBA.

O quanto Kyrie Irving e sua novela da vacina será uma distração ainda não é certo.

Milwaukee Bucks

O atual campeão segue praticamente intacto. Logo, automaticamente os Bucks são favoritos ao título. Isso, claro, desde que Giannis Antetokounmpo esteja saudável. O elenco é praticamente o mesmo para Mike Budenholzer. Algo para ficar de olho são os número 2 e 3 de Milwaukee, Khris Middleton e Jrue Holiday. Ambos saíram diretamente das Finais no fim de julho e foram para Tóquio ganhar o ouro nas Olimpíadas.

A maratona dos dois e o pouco tempo de descanso entre uma temporada e outra podem fazer diferença no físico.

Quem também está na briga

Golden State Warriors

Lembra deles, que dominaram a NBA na década passada e ficaram de fora nos últimos playoffs? Sim, os Warriors devem ficar 100% completos nesta temporada. Klay Thompson está previsto para voltar ali pelo Natal. Steph Curry já mostrou na última temporada que tem potencial para ser MVP de novo, e Draymond Green ainda é muito efetivo. Andrew Wiggins enfim se vacinou, e Jordan Poole pode ser uma das surpresas da temporada. Steve Kerr está feliz de novo, e os Warriors como conhecemos estão de volta. Com o trio 100% saudável, esse time é um dos candidatos ao título, porém o elenco de apoio ainda deixa a desejar.

Phoenix Suns

Não era muita gente que no início da temporada apostava que os Suns chegariam nas Finais. O time chegou perto do título e agora tentará marchar novamente na conferência com Chris Paul aos 36 anos, mas com Devin Booker e DeAndre Ayton ainda podendo evoluir. O problema para Phoenix é que os Lakers se reforçaram e os Warriors devem ter de volta seu trio, mas a franquia certamente está na conversa entre os favoritos e quer mostrar que a vaga na decisão não foi um acaso.

Los Angeles Clippers

Há uma espécie de asterísco no favoritismo do time. E ele depende de como Kawhi Leonard vai se recuperar da lesão no ligamento do joelho que sofreu em julho. Há uma expectativa otimista que o ala volte a treinar em março ou abril, perto do início dos playoffs. Sem ele 100%, é difícil imaginar que Tyronn Lue consiga passar por todo mundo do Oeste com apenas Paul George sem um companheiro à altura na equipe.

Denver Nuggets

Denver tem batido na trave. E 2021-22 certamente não será mais fácil que em anos anteriores, apesar do atual MVP da NBA, Nikola Jokic, estar em forma e sedento por mais. Michael Porter Jr. deve evoluir muito, mas a grande dúvida é Jamal Murray. O armador passou por cirurgia no ligamento do joelho esquerdo no fim da última temporada e não tem ainda uma data certa para retornar. Se Murray entrar em forma a tempo dos playoffs, os Nuggets estão no páreo com MPJ, Jokic e ele.

Miami Heat

Finalista em 2020, o Miami Heat trouxe Kyle Lowry para parear com Jimmy Butler, Bam Adebayo, Tyler Herro e cia, além de PJ Tucker pra dar aquele "up" na defesa. Com um dos melhores técnico da NBA em Eric Spoelstra, o Heat novamente entra como um dos favoritos no Leste.

Os times mais gastões

Os jogadores mais bem pagos

O que esperar dos brasileiros

Começamos a temporada com dois representantes na NBA: Didi Louzada e Raulzinho Neto.

Didi atuou apenas em três partidas na última temporada pelos Ne Orleans Pelicans, tem apenas 22 anos e está no elenco novamente neste ano. A expectativa do brasileiro não é de fazer parte da rotação, a não ser que muitas lesões ocorram. Por isso, é importante para ele aproveitar e lutar pelo máximo de minutos que tiver.

Já Raulzinho chega na sua sétima temporada na liga e sua segunda com os Wizards, tendo sua maior média de minutos da carreira em 20-21 (21,9). Washington não briga por nada e, tirando Bradley Beal, não terá muito brilho. Porém, isso pode ser bom para o brasileiro para manter seu espaço na rotação e há a chance até de ser titular ao longo da temporada.

Calouros para ficar de olho

Cade Cunningham (Detroit Pistons)

Primeira escolha do Draft de 2021, Cade chega aos Pistons com a missão de mudar o status da franquia. Um dos mais completos atletas dos últimos recrutamentos, o armador com tamanho de ala é mais um daqueles que esbanja visão de jogo, além de ter um bom jogo de costas para a cesta. Espere até um triplo-duplo dele na temporada.

Jalen Green (Houston Rockets)

Green é, para muitos, o melhor cestinha dessa classe. Pontuador de praticamente qualquer lugar da quadra, o ala-armador deve liderar os calouros em pontos em 2021-22. Junto com Kevin Porter Jr., deverá formar uma das duplas mais divertidas de se assistir na temporada.

Jalen Suggs (Orlando Magic)

O armador ex-Gonzaga liderou os Bulldogs a uma campanha quase perfeita no College, que só foi parada na grande decisão contra Baylor, de Davion Mitchell e Jared Butler. Suggs é o jogador com a melhor visão de jogo e capacidade de armação de todo o recrutamento. Atlético, ataca a cesta com facilidade e tende a ser o principal expoente ofensivo do Magic já no seu primeiro ano de NBA.

Vale a pena acompanhar: Evan Mobley (Cavaliers), Scottie Barnes (Raptors), Josh Giddey (Thunder), Davion Mitchell (Kings), James Bouknight (Hornets), Cam Thomas (Nets), BJ Boston (Clippers) e Jared Butler (Jazz)

Quem será o campeão?