<
>

Circo da NBA: Durant diz que era 'diferente' de astros dos Warriors e que nunca voltará a Oklahoma

Kevin Durant não se sentia tão bem quanto poderia no Golden State Warriors. Bicampeão da NBA e duas vezes MVP das Finais com a franquia californiana, o atleta de 30 anos decidiu não renovar e assinar com o Brooklyn Nets para a próxima temporada.

Em entrevista publicada nesta terça-feira pela revista WSJ, do Wall Street Journal, o ala de 2,06m disse que jamais conseguiria ser totalmente parte dos Warriors.

“Conforme o tempo passava, comecei a perceber que sou diferente do resto dos caras. Não é uma coisa ruim. Só minhas circunstâncias e como eu apareci na liga. E ainda por cima, a mídia sempre olhava como se fosse o KD e os Warriors. Então era como se ninguém conseguisse me aceitar 100% lá”, disse Durant.

O jogador que usará a camisa sete em Brooklyn disse também que o carinho da torcida dos Nets teve um grande impacto na sua decisão. Todas as vezes que jogou no Barclays Center, em Nova York, mesmo de visitante, se sentiu muito amado.

Claro, além do fato de jogar com Kyrie Irving, a quem chamou de seu "melhor amigo na liga”.

Thunder? “Não confio em ninguém lá”

As vibrações positivas com os Nets não são as mesmas que Durant deixou no seu primeiro time, o Oklahoma City Thunder, de onde saiu muito queimado.

“Eu nunca terei ligação com essa cidade por causa disso”, afirmou o jogador. “As pessoas vindo à minha casa e pichando as placas de ‘à venda’ no bairro. As pessoas fazendo vídeos em frente à minha casa queimando meu uniforme e me xingando de todo tipo de nome.”

“Foi um sentimento tão tóxico quando eu entrei naquela arena”, recordou Durant sobre seu primeiro jogo na Chesapeake Energy Arena com a camisa dos Warriors. “E a organização, os treinadores, os roupeiros, esses caras bravos comigo? Sem falar comigo? É assim que vai ser? Só porque eu deixei o time e fui jogar em outro?”, questionou.

“Eu queria voltar à cidade e ser parte da comunidade e da organização, mas eu não confio em ninguém lá. Aquela m... deve ter sido falsa, o que eles dizem que estavam fazendo. A organização, o gerente-geral, eu não falei com ninguém, nem tive nenhuma troca com essas pessoas desde que saí”, contou.

“Odeio o circo da NBA”

Durant adora basquete, mas não necessariamente aprecia tudo o que vem com o jogo profissional.

“Às vezes eu odeio o circo da NBA”, disse. “Às vezes, eu odeio que os jogadores deixam o negócio da NBA, a fama que vem como negócio, alterar sua mente sobre o jogo. Às vezes eu não gosto de estar perto de executivos e a política que vem com isso. Eu odeio”, revelou.

“Nós falamos muito sobre saúde mental, mas só quando se refere aos jogadores. Precisamos falar sobre isso também com executivos, mídia, torcedores”, justificou Durant.