<
>

Depois de 24 anos preso, pai realiza sonho: ver seu filho, Terry Rozier Jr., jogar na NBA pela primeira vez

O último domingo foi apenas mais um dia de pré-temporada da NBA para a maioria dos fãs de basquete. Porém, para um torcedor em especial do Boston Celtics, o jogo com o Cleveland Cavaliers foi inesquecível. Ele é Terry Rozier Sr., pai do armador Terry Rozier Jr., que, passou 24 anos de sua vida na cadeia e, pela primeira vez, conseguiu ver seu filho disputar um jogo oficial.

Menos de dois meses após o nascimento de seu filho, Terry Rozier foi preso e condenado por roubo. Passou oito anos na cadeia e foi solto, no que o próprio jogador descreve como "o melhor verão de sua vida", já que passou junto com seu pai. Nove meses depois, porém, ele voltou a se envolver em coisas erradas, já que, ao lado de dois amigos, sequestrou e roubou um casal e, na ocasião, um garoto de 17 anos acabou morto por um disparo de um dos comparsas de Rozier. Por causa disso, em 2005, ele foi condenado a 13 anos de prisão, que estão se encerrando agora.

Por isso, ele foi um dos presentes à Quicken Loans Arena para acompanhar a vitória dos Cavaliers para cima dos Celtics, por 113 a 102. O placar, porém, foi o menos importante. Antes do jogo começar, o atleta, que aquecia para entrar em quadra, foi até onde seu parente estava no ginásio e deu um abraço mais do que especial para os dois, como descreve Rozier pai ao jornal Boston Globe.

"Admiro o jovem que meu filho se tornou. Se parece comigo em muitos aspectos, mas em outros é muito diferente. É uma pessoa muito melhor do que eu fui", admite ele, reconhecendo seus erros e com a convicção que destruiu uma parte de sua vida por causa deles. Desde que deixou a prisão, Rozier pai tenta reconstruir a sua vida. E conta com a ajuda do filho, que lhe comprou uma casa nos arredores de Cleveland, em Ohio, onde ele nasceu.

Depois do jogo encerrado, o jogador deu a camisa utilizada ao seu pai e o convidou para assistir uma partida em Boston, o que só poderá ser feito a partir do dia 24 de outubro, quando ele estará liberado para deixar o Estado de Ohio.