<
>

De LeBron James a Stephen Curry: decodificando os rabiscos dos tênis das estrelas da NBA

Description: Tênis de LeBron James durante partida pela NBA. Getty Images

Ao longo da história da NBA, os tênis têm sido uma maneira dos jogadores mostrarem seu próprio estilo e individualidade na quadra.

Alguns atletas ganham seus próprios exemplares exclusivos e outros recebem edições exclusivas para jogadores. Ainda assim, muitos jogadores da NBA, até mesmo da elite, têm necessidade de resolver o problema com suas próprias mãos, literalmente. Observe atentamente os tênis que piscam para cima e para baixo na madeira e você encontrará mensagens escritas, cada uma com um significado pessoal para quem a escreveu antes de pisar na quadra.

Mas o que todos esses nomes, frases e hashtags significam? Aqui está um guia para algumas das mais notáveis personalizações que você encontrará nas quadras da NBA.

LeBron James

Bronny Bryce Zhuri

Mama James

Queen James

#JamesGang

#SFG #Fab5

#4HM

#RWTW

“Man In The Arena” (Homem na arena)

Último a adotar a tendência de rabiscar, LeBron James aproveitou ao máximo sua tela de tamanho 49 nesta temporada, trazendo mais nomes, frases e siglas do que qualquer outra pessoa na liga.

Os textos mais simples destacam seus três filhos, junto com a mãe Gloria e sua esposa Savannah, respectivamente apelidadas de “Mama James” e “Queen James” na 15ª tela de LeBron que exibe #JamesGang. Cada modelo é uma temporada, e o craque chegou a 15 em sua carreira como profissional.

As anotações mais sutis vistas frequentemente neste ano incluem #SFG, abreviação do mantra de LeBron “Strive For Greatness” (lutar pela excelência). Os #Fab5 e #4HM remontam à sua formação em St. Vincent-St. Mary High School e aos Quatro Cavaleiros, amigos que estavam ao seu lado quando ele entrou no campeonato aos 18 anos. #RWTW é o slogan “Roll With The Winners” (faça parte dos vencedores), compartilhado por seus amigos íntimos e parceiros de negócios Maverick Carter, Rich Paul, Paul Rivera e outros.

Por último, há a mensagem “Man In The Arena” (homem na arena), que se refere a um discurso icônico do ex-presidente Theodore Roosevelt, feito em 1910: 100 anos antes de LeBron tomar sua famosa “decisão” de assinar com o Miami Heat. Depois de enfrentar uma votação inédita para a mudança, LeBron lembrou-se do discurso como inspiração, tirando força daquelas palavras. “Não é o crítico que conta”, começa "The Man In The Arena", “o crédito pertence ao homem que está realmente na arena, cujo rosto é marcado por poeira, suor e sangue”.

“Até você estar diante da batalha ou adversidade, você não entende”, disse LeBron.

O discurso tem sido uma fonte de inspiração nos bastidores por anos, pois ele aceitou a alternância entre vitórias e derrotas em Finais durante sua carreira. Agora, em sua 15ª temporada, a mensagem ainda o incentiva, sendo o principal faturamento dos seus tênis nessa temporada.

Stephen Curry

“I Can Do All Things...” (Tudo posso...)

WSC

Fil 4:13

Romanos 8:28

Pouco antes de sua primeira faculdade em Davidson, há mais de uma década, Stephen Curry ligou o telefone e notou uma mensagem de texto de sua mãe, Sonya.

Ela havia enviado seu verso bíblico favorito, Romanos 8:28, como uma forma de encorajar o filho mais velho antes que ele embarcasse em uma carreira universitária repleta de descrentes e incertezas. Ela, então, o encorajou a procurar sua própria fonte de inspiração.

Curry baseou-se em Filipenses 4:13: “Eu posso fazer todas as coisas através de Cristo que me fortalece” - e, desde então, ele vem escrevendo uma variação de cada versículo bíblico em seus tênis pouco antes de pisar na quadra, junto com suas iniciais “WSC”, em todos os jogos.

“É o meu mantra e algo que me orienta a cada dia”, disse Curry. “Espero que inspire as pessoas a encontrar algo que as motive, seja um verso ou alguma outra força que as mantenha na busca e as direcione. Esse é o meu, e você pode escolher o que quer que seja e deixar que isso o guie também, enquanto você continua com o basquete ou em qualquer campo em que estiver em sua vida”.

Enquanto a série de tênis assinados de Curry atinge seu quinto modelo, a Under Armour está consciente de seu ritual pré-jogo, deixando um espaço na frente de cada tênis para escrever. A versão de Curry vendida nas lojas tem a mensagem “I Can Do All Things...” pré-impressa nesse espaço.

Russell Westbrook

Why Not? (Por que não?)

KB3

É uma das anotações mais fáceis de perder de vista nos tênis, talvez do jogador mais chamativo da liga: um simples “KB3” em texto pequeno gravado por Russell Westbrook todas as noites em seus Jordans.

As iniciais têm profundo significado para o atual MVP, homenageando Khelcey Barrs III, melhor amigo de infância e companheiro de escola, que faleceu durante um jogo em 2004, aos 16 anos de idade. Os membros da equipe da época costumam dizer que o Barrs “4x4” foi o melhor jogador da escola.

Os dois tinham o mesmo sonho de um dia jogar juntos na UCLA. Após Barrs desmaiar na quadra, mais tarde, foi descoberta sua doença de “coração aumentado”.

Westbrook manteve sua memória viva desde então, também usando uma pulseira personalizada “RIP KB3” (Descanse em paz KB3) ao longo de sua carreira. Perto do “KB3” em seus pés, você também encontrará muitas vezes uma rápida anotação “Por que não?”. O mantra guiou a estrela sete vezes; agora é o nome de sua fundação de caridade que quer influenciar as crianças tanto em Oklahoma City quanto em Los Angeles.

Com o primeiro lançamento de sua marca Jordan no início da primavera nos EUA, não demorou muito para que seu modelo Why Not Zer0.1 apresentasse um tributo a Barrs. Com os tons em azul, dourado e vermelho da Leuzinger High School, o tênis incorpora “KB3” na lingueta com a caligrafia de Westbrook.

Stanley Johnson

Sharron Victoria Karen SJI

LOVE!

“Improvise Adapt Overcome” (Improvisar Adaptar Superar)

O ala-armador do Detroit Pistons, Stanley Johnson, sempre foi motivado pelas pessoas mais próximas a ele. Nas últimas duas temporadas, ele começou um ritual pré-jogo de escrever uma homenagem à sua família na entressola do tênis direito.

“Tudo isso é meu sangue: minhas irmãs, mãe e pai,” disse Johnson. Suas cores personalizadas da NIKEiD dos modelos de assinatura Paul George e Kyrie Irving da marca também incluíram “LOVE!” sublinhado na frente, no calcanhar do tênis esquerdo.

“O amor é a emoção mais forte,” ele disse. “Se eu posso jogar com o amor que sinto por eles, posso tornar o impossível possível”.

Kelly Oubre Jr.

Wave Papi

Mindfulness

New year, Same wave (Ano novo, mesma onda)

Dope$oul

Positivity (Positividade)

Enquanto o ala do Washington Wizards continua sua ascensão na NBA após ser selecionado na metade da primeira rodada do Draft de 2015, Kelly Oubre Jr. também se tornou um dos líderes da liga em pontos de estilo dentro e fora das quadras.

Oubre tem uma linha de moda novinha chamada Dope$oul, e é conhecido por roupas pré-jogo arrojadas, com tudo: desde casacos de pele a macacões com todas as estampas e variedade de joias. Ele vem acrescentado seu próprio toque aos calçados, sempre usando o tênis de modelo “Vol. 1” da Adidas, de James Harden.

“Harden é o cara. Ele é o cara em quem me inspiro na liga. Eu o respeito muito e gosto de jogar contra ele”, Oubre contou a Nice Kicks. “Ele está na família Adidas e eu uso seus tênis porque gosto de cano baixo. Eu personalizo os bicos de todos os meus tênis, e esses são uma ótima tela para criar”.

Oubre tem sido sincero nas recentes conversas sobre saúde mental da liga, e suas mensagens de “mindfulness (atenção plena)” e “positividade” refletem isso. Ele também comemora seu amor pela moda e estilo, destacando o apelido que ele mesmo se deu: “Wave Papi”.

Kyrie Irving

Whiplash

AKI

Mi Amor, Te Amo

Depois de perder os cinco jogos decisivos das Finais da NBA de 2015 com uma lesão no joelho, Kyrie Irving recorreu a um de seus jogadores favoritos para uma inspiração extra. Foi no documentário de Kobe Bryant, "Muse", que Irving descobriu o amor de Kobe pelo filme "Whiplash".

“Foi tipo, 'cara, eu preciso assistir esse filme'. Eu não tinha ideia do que ia acontecer”, disse Irving no podcast “Holding Court”, apresentado pelo treinador de basquete feminino de Connecticut, Geno Auriemma. “Acabei assistindo e daí assisti de novo e de novo, provavelmente, umas seis vezes”.

O filme vencedor do Oscar conta a história de um baterista adolescente de jazz que, em conjunto com seu professor implacável, esforça-se ao máximo para aprimorar seu ofício e superar seu potencial. Uma vez de volta à quadra, Irving começou a escrever “Whiplash” em letra de mão na entressola de seu Nike, em frente a uma homenagem à sua jovem filha, Azurie, e à tradução em espanhol de “My love, I love you”.

Irving credita ao filme o molde de sua melhora pessoal. “É sobre a motivação de ser excelente”, ele disse a Dave McMenamin, da ESPN.

Na primavera seguinte, ele fez a cesta de 3 pontos que decretou seu primeiro título da NBA em Cleveland e agora espera repetir esse sucesso como líder de sua nova equipe em Boston.

“Para a perfeição, em qualquer coisa que as pessoas estejam fazendo na vida, é preciso muito sacrifício e estar longe de coisas que pessoas normais gostariam de fazer”, disse Irving.