<
>

Jackie Chan: conheça o xará do astro do cinema que duela com Whattimen para seguir na Série D do Brasileirão

play
No Histórias da Bola, Jackie Chan explica origem do apelido: 'A resenha pegou!' (1:07)

O atacante Ivanilson Barbosa Chaul, do Nacional-AM, se tornou o 'Jackie Chan do Amazonas' (1:07)

Para chegar à fase de grupos da Série D do Brasileiro, o Nacional-AM conta com a ajuda de Jackie Chan. Mas não se trata do famoso ator e lutador de kung-fu conhecido pelos filmes “Bater ou Correr” ou o “O Terno de 2 Bilhões de Dólares”, que misturam artes marciais e humor.

O xará do astro é Ivanilson Barbosa Chaul, que ganhou o apelido ainda nas categorias de base do Penarol-AM. A ideia surgiu do técnico Igor Cearense, ex-atacante do Flamengo entre 2003 e 2004.

“Eu disse que me chamava Ivanilson. Ele viu meus olhinhos puxados e o cabelo de lado e disse: ‘Isso é nome? Sua mãe estava com preguiça de escolher? É Jackie Chan, pô!’”, contou.

“No começo eu não gostava muito, mas a resenha pegou. Agora sou bastante conhecido no Norte como Jackie Chan do Amazonas (risos)”.

Natural de Boavista-RR, Jackie Chan passou a infância em Barcelos-AM. Depois de jogar no futebol amador, ele foi descoberto pelo fisioterapeuta do Penarol para fazer testes na base. Após ser aprovado, o atacante se profissionalizou.

Depois, Jackie Chan rodou por Fast Clube-AM, no qual foi campeão estadual sub-20, da Copa Norte sub-20 e da Copa Amazonas, já no profissional.

Grande fã de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, ele ainda passou pelo Nacional-AM, Pinheirense-PA e Paragominas-PA antes de voltar ao Nacional-AM.

“Sou um atacante velocista que joga pela esquerda, sou driblador e sempre procuro o gol. Estou numa fase que os gols estão vindo e estou feliz”, disse.

No último domingo, o Nacional-AM perdeu fora de casa para o Ji-Paraná-RO por 2 a 1 e precisa vencer em casa para avançar na seletiva para a Série D do Campeonato Brasileiro.

“É um desafio muito grande. Estamos nos dedicando muito nos treinos e conseguir depois o acesso para a Série D. Perdemos o primeiro jogo em Rondônia, mas temos total condição de reverter o placar”, analisou.

O jogo ganhou projeção no Brasil por que, além de Jackie Chan, os dois gols do Ji-Paraná foram marcados pelo atacante Whattimen, "xará" do famoso personagem dos quadrinhos.

“Acho que isso repercutiu muito no fim de semana e fico bem feliz. O futebol brasileiro respira isso. Futebol sem resenha não é nada. Eu não sei lutar, só jogar bola mesmo.”

Apesar disso, o jogador é fã dos filmes do astro chinês. “O meu preferido é 'O Terno de 2 Bilhões de Dólares'. A galera adora brincar comigo quando eu estou me trocando: ‘Tira a casa. Bota a casaca’. É uma cena desse filme”, revelou.

O jogador tem o sonho de um dia chegar a um grande time de Série A do Campeonato Brasileiro.

“Quero dar continuidade na minha carreira e dar uma maior estabilidade para minha família”, finalizou.

play
0:31

Histórias da Bola: Watthimen Ranney, do Ji-Paraná, explica origem do nome

O atacante espera usar seus "super-poderes" para classificar o Ji-Paraná para a Série D do Brasileiro

O segundo duelo da batalha entre Jackie Chan e Whattimen tem data marcada: domingo, 13 de setembro, na Arena da Amazônia. Quem levará a melhor no encontro entre esses verdadeiros heróis do futebol nacional?