<
>

Élson ajudou a rebaixar Corinthians em 2007 e comemora até hoje: 'Foi melhor que ganhar Copa do Mundo'

play
Relembre Goiás x Inter de 2007, com pênalti triplo e rebaixamento do Corinthians (2:30)

O goleiro Clemer pegou duas penalidades de Paulo Baier; na terceira, Elson assumiu o posto e mandou para o fundo das redes coloradas (2:30)

Em 2 de dezembro de 2007, o Corinthians foi rebaixado para a Série B ao empatar por 1 a 1 com o Grêmio, no antigo Estádio Olímpico. No entanto, o gol que de fato colocou o Timão na 2ª divisão nacional foi marcado a muitos quilômetros dali, em Goiânia.

Paralelamente ao duelo em Porto Alegre, Goiás e Internacional se enfrentavam no Serra Dourada. O placar estava também em 1 a 1, quando o Esmeraldino teve um pênalti a seu favor.

A responsabilidade de bater caiu sobre os ombros do veterano Paulo Baier, que optou por bater forte, à meia-altura, no canto esquerdo. O goleiro Clemer, porém, foi bem na bola e defendeu.

Só que a arbitragem alegou que o goleiro se adiantou, e a cobrança teve que ser repetida. Dessa vez, Baier tentou batida resteira, no canto direito. Clemer voou e pegou mais uma vez.

No entanto, o juiz Djalma Beltrami Teixeira viu nova adiantada do goleiro colorado, e ordenou que o pênalti fosse batido pela 3ª vez.

Foi então que o meia Élson, que já havia marcado o gol de empate do Goiás em um toque de muita categoria no canto de Clemer, pediu a bola.

play
3:36

Em 2007, Corinthians empatou com Grêmio e foi rebaixado para a Série B

O atacante Jonas abriu o placar para o time gaúcho logo no começo da partida; o time paulista, que caiu naquele ano, chegou a empatar aos 29 minutos com Clodoaldo

Completamente abatido, Paulo Baier concedeu ao colega a responsabilidade de fazer o gol que livraria o Esmeraldino do rebaixamento.

Élson respirou fundo, correu e bateu firme, na bochecha direita da rede. Finalmente Clêmer era vencido, e o Goiás vencia o Inter por 2 a 1.

Com o resultado, o clube de Goiânia foi a 45 pontos e ultrapassou o Corinthians, que chegou a 44 com o empate no Rio Grande do Sul.

Desta forma, o Timão foi para a Série B, e a equipe do Centro Oeste se salvou.

13 anos depois, Élson, que também passou por Palmeiras e Cruzeiro no Brasil, além de ter jogado por muitos anos no Stuttgart, da Alemanha, ainda comemora esse gol.

Em entrevista à ESPN, o ex-meio-campista, que está aposentado desde 2017 e atualmente trabalha com construção civil, contou que, desde criança, é torcedor tanto do Palmeiras quanto do Goiás. Por isso, ele celebra até hoje a oportunidade de ter sido o "responsável" por colocar o Corinthians na Série B.

"Esse meu ano de 2007 no Goiás foi marcante. Tive a oportunidade de jogar num time que sempre amei desde a infância. E ainda fiquei marcado porque fiz os dois gols no jogo que rebaixou o Corinthians", celebrou.

"O Paulo Baier errou os dois pênaltis, aí eu pedi para bater o 3º. Eu assumi a responsabilidade, mas sabendo que aquela situação ali era o céu ou o inferno. Ainda bem que foi o céu (risos)", divertiu-se.

Élson, que atualmente vive em Juqueí, no litoral de São Paulo, relata que, sempre que é reconhecido por torcedores, a conversa sobre o rebaixamento do Timão inevitavelmente surge.

"Faz 13 anos que aconteceu isso, mas todo mundo lembra! Palmeirenses, são-paulinos, santistas... Só os corintianos que não gostam (risos)", gargalhou.

Ao comentar o lance, o ex-atleta se emociona e garante que rebaixar o Corinthians, rival de seu Palmeiras e de coração, foi melhor que ganhar uma Copa do Mundo.

"Rapaz, se eu tivesse vencido uma Copa do Mundo eu acho que não teria sido tão gratificante quanto foi essa 'parada' para mim. Não tem comparação", exaltou.

"Eu, um palmeirense, ser o grande responsável pelo rebaixamento do Corinthians, que é um time que eu não gosto... Não dá pra ficar melhor do que isso", celebrou.

Élson também relata que recebe muito carinho dos torcedores do Goiás por ter salvado a equipe da queda que parecia certa na última rodada do Brasileirão 2007.

E, como era de se esperar, ainda teve mais uma alfinetada no Corinthians...

"Eu joguei muito bem na reta final do Brasileiro de 2007. Por isso, sou lembrado até hoje pela torcida do Goiás. Claro que eu também queria ser lembrado por ganhar títulos lá, o que infelizmente não aconteceu. Mas, com toda a sinceridade: rebaixar o Corinthians foi melhor que ganhar título", finalizou.