<
>

Xodó de Adriano Imperador no Corinthians quase foi ao Palmeiras; hoje, joga em Portugal

play
Já vai, Gamarra? Carlos Tévez marcou gol espetacular em clássico contra o Palmeiras há 15 anos (0:18)

Com a camisa do Corinthians, o astro argentino deixou três defensores para trás e venceu Marcos para anotar uma pintura no Morumbi (0:18)

Campeão da Copa São Paulo de futebol júnior em 2012 pelo Corinthians, Douglas Tanque era comparado no começo de carreira ao atacante Adriano Imperador por causa da força física. Hoje jogador do Paços de Ferreira-POR, ele sonha em se destacar na Europa.

Depois de começar aos 14 anos na base do Guarani, o jovem subiu aos profissionais em 2010 com o técnico Vágner Mancini para a disputa da Série A do Brasileirão.

“Fiz cinco partidas no final do campeonato e fui contratado pelo Corinthians com aval do Tite para o time sub-20. Eu disputava os torneios de base, mas treinava três vezes na semana com a equipe principal”, disse Douglas, ao ESPN.com.br.

Nesta época, ele passou a ser chamado de “Imperador Mirim” devido ao porte físico semelhante ao do atacante Adriano, que estava no clube alvinegro.

“Eu queria ter meu próprio apelido para não ter comparações. Meu empresário me batizou de Tanque porque eu dava uns chutes fortes que pareciam uns mísseis (risos)”, explicou.

“Quando eu ia treinar, o Adriano brincava me chamando de filho. Eu brincava dizendo que já tinha o meu pai. Ele era um cara muito bacana e me dizia que tínhamos o porte físico grande e não poderíamos apanhar dos zagueiros, mas bater neles (risos). E eu levo isso comigo até hoje. É melhor bater do que apanhar”, afirmou.

Logo após ser campeão da Copinha de 2012 sobre o Fluminense, Douglas Tanque foi buscar espaço e foi emprestado para Paraná, Ipatinga e Guaratinguetá, pelo qual fez 11 gols na Série B do Brasileiro de 2013.

Reintegrado ao Corinthians após a lesão de Guerrero, o jovem não teve chances no time alvinegro.

“Fui para o banco de reservas nos jogos contra o São Paulo e o Grêmio, quando fomos eliminados na Copa do Brasil. Pude aprender muito com jogadores consagrados”, afirmou.

“O Tite falava que era para trabalhar firme que ia chegar uma chance. Nunca baixei a guarda, mas sabia que era difícil ele tirar o Pato e o Guerrero do time”, explicou.

Em 2014, o jogador foi emprestado ao Penapolense para jogar o Estadual.

“Nós não acertamos para renovar o contrato com o Corinthians e quase ao Palmeiras, mas não deu certo. Foram detalhes de valores com o outro empresário que eu tinha e não soube disso. Eu teria aceitado porque estaria indo para outro clube grande”, lamentou.

play
0:18

Já vai, Gamarra? Carlos Tévez marcou gol espetacular em clássico contra o Palmeiras há 15 anos

Com a camisa do Corinthians, o astro argentino deixou três defensores para trás e venceu Marcos para anotar uma pintura no Morumbi

Fora do Brasil

Douglas foi para a Ponte Preta e conseguiu o acesso para a série a do brasileiro. Logo em seguida, o atacante transferiu-se para o Thespa Kusatsu, do Japão, onde viveu o momento mais difícil da carreira.

Depois de apenas três jogos, ele sofreu duas lesões seguidas de ligamento que o deixaram quase um ano e meio parado.

“Precisei operar e fiquei muito triste, mas minha esposa me ajudou a ficar mais forte e me motivou para nunca desistir de nada. Foram nove meses desempregado porque meu contrato venceu, mas meu empresário falou com o Rodrigo Caetano [então diretor do Flamengo], que me abriu as portas para me tratar no clube. Fui me condicionando para voltar a jogar em alto nível”, recordou.

“Depois, descobrimos que a minha esposa estava grávida da nossa filha, que está com três anos. Hoje, elas são as minhas inspirações”, afirmou.

Em 2017, Douglas retomou a carreira no Cafetaleros de Tapachula, do México, no qual fez 10 gols antes de ser contratado pelo Albirex Niigata, do Japão.

Sem muitas chances na equipe japonesa, ele foi para o Police United, da Tailândia.

“Eu não me adaptei bem e recebei uma oferta de três anos de contrato com o Paços de Ferreira. Era uma segurança para a minha família”, contou.

Douglas foi artilheiro da equipe e campeão da Segunda Divisão Portuguesa. Com o destaque saíram rumores na imprensa de que o Santos teria ido atrás dele em 2019. “Fui cogitado, mas não chegou nada oficial pra mim nem para o meu empresário”, garantiu.

Na atual temporada, o brasileiro tem seis gols e espera se destacar até o fim da Liga Portuguesa.

A partir de dezembro deste ano, ele já poderia assinar um pré-contrato, já que o vínculo com o clube vai até junho de 2021.

“Estou muito bem e a equipe está entrosando os jogadores. Eu não recebi proposta de renovação, mas não estou preocupado com isso. Estou focado em terminar bem a temporada”, finalizou.