<
>

Presidente do Liverpool confirma que clube está à venda e diz se há prazo para isso acontecer

Portão principal do Estádio Anfield Road, do Liverpool, na Inglaterra (ING) Christopher Furlong/Getty Images

Presidente do Liverpool, Tom Werner confirmou que o Fenway Sports Group (FSG) busca a venda do clube da Premier League


Conforme antecipado pela ESPN na semana passada, o Liverpool está à venda. E a intenção do FSG (Fenway Sports Group), grupo dos Estados Unidos que é dono do clube, foi confirmada pelo presidente dos Reds, Tom Werner.

Em declarações ao jornal norte-americano The Boston Globe, o mandatário de 72 anos, que também presidente a franquia de beisebol Boston Red Sox, da Major League Baseball (MLB), foi o primeiro membro da diretoria do Liverpool a confirmar a intenção do FSG em relação ao clube da Premier League.

Werner, porém, deixou claro que não existe um "prazo" para que isso aconteça e tratou uma possível venda dos Reds como "normal".

"Estamos explorando uma venda, mas não há urgência, nenhum prazo para nós e, no que me diz respeito, é um negócio normal", disse.

"Um resultado pode ser nossa administração contínua por um bom tempo", complementou.

Werner é um dos fundadores do FSG, cujo dono principal é John Henry, presidente do grupo desde que o mesmo foi formado, em 2001.

Como reportou primeiramente o site The Athletic, o Liverpool já contratou os bancos de investimentos Goldman Sachs e Morgan Stanley para ajudarem na busca por compradores.

Pessoas ouvidas pela ESPN disseram que, ao mesmo tempo que o Fenway Sports Group deseja vender 100% de suas ações, o grupo também aceita ofertas por parte do controle da equipe.

Fontes disseram à reportagem que o Liverpool é avaliado no mercado em 4 bilhões de libras (R$ 23,17 bilhões) por três fatores: a tradição de vencer grandes troféus; a base de fãs global; e o valor da marca.

O FSG, que é de Boston, Massachusetts, nos Estados Unidos, adquiriu o Liverpool em 2010, à época por "apenas" 300 milhões de libras (R$ 1,9 bilhão nas cifras atuais).