<
>

Ex-Athletico-PR, Matheus Rossetto quase foi para o Grêmio antes de ir para os EUA: 'Estava praticamente certo'

play
Torcida rival tira sarro de Beckham na arquibancada da MLS da maneira mais americana possível (0:26)

É possível imaginar uma torcida sul-americana pegando leve assim? (0:26)

Após quase defender o Grêmio em 2019, Matheus Rossetto vai para a sua segunda temporada no Atlanta United, que disputa a Major League Soccer, dos Estados Unidos. Revelado pelo Athletico-PR, o meia de 24 anos começou no futsal em Florianópolis muito cedo e não tinha a intenção de ir para o futebol de campo. Um convite feito pelo "Furacão" para fazer testes, porém, o fez mudar de planos. Depois de ser aprovado, ele fez todas as categorias de base na equipe rubro-negra.

"Subi aos profissionais em 2015 e fiz minha estreia. Deu tudo certo. No decorrer do ano tive uma lesão que me afastou um pouco, mas consegui dar a volta por cima. Em 2016, fui emprestado para jogar o Paulistão pela Ferroviária. Fiz um grande campeonato e voltei bem entusiasmado ao Athletico-PR", contou, ao ESPN.com.br.

Comandado pelo técnico Fernando Diniz, o meio-campista exerceu outras posições em campo.

"O Diniz me ajudou muito e é uma pessoa extraordinária. Aprendi muito com ele e fiz outras funções como ala e como meia e segundo volante. Ele te faz enxergar coisas que você ainda não viu e sabe explorar suas qualidades”, afirmou.

Com a efetivação de Tiago Nunes como técnico, o Athletico deslanchou e venceu a Copa Sul-Americana, a Copa Suruga e a Copa do Brasil em apenas dois anos.

“A gente estava encaixando o time e conseguiu acertar os detalhes. Tanto é que vencemos os títulos. O grupo passou a se fechar mais e a se conhecer mais dentro e fora de campo. Nós fizemos jogos marcantes nesse período porque nos unimos até nos momentos de dificuldade”, afirmou.

Em 2019, Matheus Rossetto esteve muito perto de ir para o Grêmio em uma troca com Thonny Anderson.

“Estava fazendo bons jogos e surgiu a chance de ir trabalhar com o professor Renato. Vi com bons olhos. No fim, o Thonny veio ao Athletico, mas eu não sai. Eu estava praticamente certo com o Grêmio. Umas coisas extracampo não deram certo. Foram coisas de negociações e valores que ficaram pendentes entre os lados e não foi feita a operação. Tive a cabeça no lugar, conquistei a Copa do Brasil e foi um ano bem diferente”, explicou.

Durante a pré-temporada no ano passado na Argentina, Rossetto recebeu uma oferta para jogar no Atlanta United-EUA.

“Eles tinham um projeto muito grande e gostei muito. Fui pesquisar sobre o clube e como funciona a MLS. Deu tudo certo na transferência e foi algo bem bacana. Estou muito feliz. Nosso estádio é lindo e a torcida é bem fanática . Eles jogam junto com a gente e sempre lotam nas partidas".

Rossetto tem um contrato de três temporadas com a equipe norte-americana.

“Estou adorando morar nos EUA, é uma grande experiência. Ainda não sou fluente no inglês, mas estou aprendendo. Sofri um pouco no começo para conversar. Fui bem recebido por todo mundo e a minha adaptação foi bem rápida”.

No Atlanta, ele foi treinado pelo holandês Frank de Boer (ex-zagueiro de Barcelona e Ajax), que hoje dirige a seleção holandesa. Na próxima temporada, o brasileiro será comandado por Gabriel Heinze (ex-defensor de Manchester United e Boca Juniors).

"Temos uma expectativa muito boa para 2021 e não vejo a hora de voltar aos treinamentos. Temos jogadores de expressão e sempre brigamos por títulos. O Atlanta é muito forte e todos sabem que não é fácil jogar contra o nosso time. Damos muito trabalho", finalizou.