<
>

Abel de saída do Palmeiras? 'Vou precisar refletir muito sobre o que quero para mim e para o futuro', diz técnico bicampeão da Libertadores

Técnico do Palmeiras, Abel Ferreira deixou no ar a possibilidade de sair do clube após a conquista do bi da Conmebol Libertadores


Após a conquista do bicampeonato da Conmebol Libertadores pelo Palmeiras, neste sábado, com a vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo, o técnico do Verdão, Abel Ferreira, deixou no ar a possibilidade de deixar o clube alviverde.

Em entrevista à repórter Bibiana Bolson, dos canais esportivos do grupo Disney, o português disse que a forma como se vive o futebol no Brasil e na América do Sul é muito "intensa" e até "insana", e salientou que isso não faz bem à saúde.

Sem cravar seu destino, ele disse que irá pensar muito agora em sua continuidade no Palestra Itália, mesmo tendo contrato até o final de 2022.

"Grato por estar aqui mais uma vez, com mais uma medalha. Não me esqueço do próprio Flamengo, do Defensa y Justicia. E, quando estamos preparados para perder, estamos prontos para ganhar. Flamengo é um grande time, só valorizou nossa vitória. Todo o carinho do mundo aos nossos jogadores do Palmeiras. Estou em paz comigo, é um dever cumprido. A forma como vivemos o futebol é intensa. No Brasil é muito intenso. Vou ter que pensar muito o que quero para mim no presente e no futuro", disse Abel.

A conquista da Libertadores neste sábado, no Uruguai, garantiu ao Alviverde a entrada no grupo dos tricampeões do maior torneio de clubes da América do Sul.

Agora, são quatro clubes brasileiros que ostentam tal honraria. Pela ordem de conquista: São Paulo (1992, 1993 e 2005), Santos (1962, 1963 e 2011), Grêmio (1983, 1995 e 2017) e Palmeiras (1999, 2020 e 2021).

Além dos brasileiros, outros dois times possuem três títulos da Libertadores em sua história: Olimpia-PAR (1979, 1990 e 2002) e Nacional-URU (1971, 1980 e 1988).

O líder, inalcançável há anos, é o Independiente, com sete títulos (1964, 1965, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1984), seguido mais de perto pelo Boca Juniors, com seis (1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007).

Peñarol, com cinco (1960, 1961, 1966, 1982 e 1987), River Plate, com quatro (1986, 1996, 2015 e 2018), e Estudiantes, também com quatro (1968, 1969, 1970 e 2009), também o rol dos maiores campeões sul-americanos em todos os tempos.