<
>

Ex-presidente do Barcelona cita brasileiro e revela maior erro que cometeu no clube: 'Escutei os jogadores e tomei uma má decisão'

Josep Maria Bartomeu disse que deveria ter feito uma renovação no elenco após a derrota por 4 a 0 para o Liverpool e a eliminação na Uefa Champions League


Apontado como um dos pilares da maior crise institucional e financeira da história do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, ex-presidente do clube, concedeu entrevista ao Esport3, canal de televisão da Catalunha.

O fã do esporte assiste ao clássico entre Barcelona e Real Madrid, em LaLiga, com transmissão ao vivo pela ESPN no Star+, no próximo domingo, às 11h15.

Apesar de todos os problemas institucionais e até mesmo a acusação de crimes cometidos no comando do Barcelona, Bartomeu aponta uma falha de gestão como seu maior arrependimento em todo o período que presidiu o clube.

"Não decidir, depois da derrota para o Liverpool, que era preciso uma mudança (no plantel) foi um erro. Devia ter feito uma mudança de geração. Escutei os jogadores e tomei uma má decisão", explicou Bartomeu.

Na temporada 2018/2019, após vencer por 3 a 0 no Camp Nou, o Barcelona conseguiu levar a virada do Liverpool, em Anfield. A impressionante derrota por 4 a 0 credenciou a classificação dos ingleses à decisão da Uefa Champions League naquele ano.

Bartomeu explicou ainda que a pandemia da COVID-19 contribuiu e muito para um agravamento da crise financeira do Barcelona. "Estávamos no limite economicamente e a pandemia nos pegou de surpresa". Além da paralisação do futebol por conta da doença, outro fator preponderante para os problemas financeiros do clube foi o excesso de contratações exorbitantes.

O ex-presidente explicou a razão de ter ido ao mercado e contratado nomes badalados na época como Philippe Coutinho, que estava no Liverpool, Ousmane Dembélé, ex-Borussia Dortmund, e Antoine Griezmann, do Atlético de Madrid.

"Alguns não corresponderam às expectativas. Jogadores que custaram muito dinheiro. Mas são coisas que acontecem no futebol. Foram contratações que todos aplaudiram. Compramos o Philippe Coutinho porque o Iniesta estava de saída. Era o melhor jogador da Premier League na altura. Dembélé chegou para o lugar de Neymar… Segundo os especialistas, as possibilidades de acertar e errar são de 50 por cento".

"Em relação ao Griezmann, foi um pedido da comissão técnica durante todo o ano. Consideravam-no imprescindível, muito porque o Luis Suárez esteve muitas vezes lesionado naquela temporada. Era um atacante diferente e um craque mundial, um jogador de equipe", finalizou.