<
>

'O Ronaldo Fenômeno acabou de me contratar!': o atacante que era eletricista e agora vai enfrentar o Barcelona

Atualmente no Valencia, Marcos André conta como foi de eletricista ao time de Ronaldo Fenômeno


A vida de Marcos André deu muitas voltas até chegar ao Valencia, que enfrentará o Barcelona por LaLiga, neste domingo, às 16h (de Brasília) com transmissão ao vivo e exclusiva pelo Star+.

Nascido em São Luis-MA e criado em Coroatá-MA, o jovem que tinha o sonho de ser jogador desde cedo perdeu o pai com apenas nove anos. Depois de começar na escolinha de base do Sampaio Corrêa, ele fez vários testes em clubes de São Paulo, Paraná e Goiás até ser aprovado no Sobradinho-DF.

"Voltei para casa e falaram que iam me ligar. A ligação não chegou e tomei um choque de realidade. Só minha mãe estava trabalhando. Pedi para minha mãe me ajudar a conseguir um emprego porque eu sempre joguei, mas não ganhava dinheiro", disse ao ESPN.com.br.

Marcos passou a trabalhar como ajudante de eletricista da própria mãe em um hospital de Brasília.

"Minha mãe acordava às 3h da manhã. Às vezes eu nem tinha dormido ainda, ficava vendo televisão. Ela acordava muito cedo para fazer a comida para gente levar. Ela me deu muita bronca e pegava muito no meu pé (risos). Foi bom compartilhar estes momentos, mas ela sabia que não era o que eu queria", contou.

Um dia, um dirigente do Araguaína-TO ligou para o celular da mãe de Marcos e o convidou para a disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

"Minha mãe é muito importante na minha vida e sou muito grato por ela sempre ter me apoiado, apesar das condições. Sabia que teria três jogos para mostrar algo. Fui bem no último e um empresário da Espanha pediu meu DVD. Ele já tinha uns cinco atacantes na minha frente. Ele estava vendo o DVD à uma da manhã e eu não podia dormir. E às duas da manhã ele me ligou e disse que gostou muito de mim e queria me levar. Comecei a chorar porque é algo que eu nunca imaginaria. Eu já estava com o pensamento de voltar para casa", afirmou

Antes de viajar para a Espanha, Marcos ficou alguns meses no Guaratinguetá e fez um fazer um teste no time juvenil do Celta de Vigo. No entanto, foi emprestado para o Celta B e depois para o Órdenes, da quarta divisão espanhola.

No time de Ronaldo

Na temporada seguinte, foi para o UD Logroñés B, da quarta divisão, e chegou a fazer partidas pela equipe principal, que estava na terceirona. Depois de marcar 25 gols em duas temporadas, foi contratado em 2019 pelo Real Valladolid, presidido por Ronaldo "Fenômeno".

"Na primeira vez que encontrei com ele, perguntou se eu estava feliz. E eu dizia que eu era o cara mais feliz do mundo. Falei para minha mãe: “O Ronaldo acabou de me contratar!” E ela não acreditava. Eu disse: “É verdade. Vou te mandar uma foto. Falei com ele”", recordou.

Cedido primeiramente para a equipe B, jogava a terceira divisão espanhola, Marcos passou emprestado ao CD Mirandés, da segunda divisão espanhola, que foi a grande sensação da Copa do Rei. A equipe eliminou Celta e Sevilla e caiu apenas nas semifinais para a Real Sociedad.

Depois de marcar 12 gols e 3 assistências em 45 partidas, o brasileiro voltou em 2020 ao time Ronaldo "Fenômeno" e jogou a temporada completa de LaLiga.

Apesar do rebaixamento do Valladolid, Marcos se destacou com quatro gols e três assistências em 23 jogos e foi vendido ao Valencia.

"Foi um mês inteiro de negociação. Eu estava com a cabeça de que queria jogar na primeira divisão. Não sabia que o Valencia estava interessado e que vinha forte por mim. Fico muito feliz por ter meu trabalho reconhecido por um clube importante como o Valencia. A confiança que tiveram foi alta porque o clube não estava em um bom momento financeiro. Agora é tentar retribuir dentro do campo. É poder retribuir esse esforço que fizeram por mim", comemorou.

Com um contrato de cinco anos, o brasileiro espera se destacar em um dos times mais tradicionais da Espanha. Até o momento, ele entrou em seis partidas (uma como titular) e anotou um gol.

"Quando você chega em um clube como o Valencia, sua oportunidade de estar na seleção também aumenta. Ainda não tenho nacionalidade espanhola, mas sempre vou querer defender o Brasil porque é meu país. Seria incrível para mim. Tentar fazer o melhor no Valencia".

No domingo, Marcos espera jogar contra o Barcelona, que vive uma grande crise.

"É um jogo grande em que todo mundo vai estar te vendo. Vai ser um jogão. São dois grandes clubes e estamos preparados para fazer um bom jogo. Todos falam que eles não estão no melhor momento, mas a gente não encara dessa forma. Domingo vamos tentar os 3 pontos. Sabemos que não vai ser fácil, mas vamos com tudo", disse.