<
>

Braithwaite faz revelação 'chocante' sobre mal-súbito de Eriksen e diz que viu meia morto em campo: 'Terrível'

play
'Estou bem': a mensagem publicada por Christian Eriksen alguns dias depois do mal-súbito (0:15)

O meio-campista postou uma foto em sua conta oficial da Instagram com um mensagem de agradecimento ao apoio dos fãs e de demais pessoas ligadas ao esporte depois do mal-súbito (0:15)

Passados quase dois meses desde a preocupante parada cardíaca de Christian Eriksen em campo, durante a disputa da Eurocopa 2020 com a Dinamarca, um dos companheiros do meia fez uma revelação chocante sobre o episódio. Em documentário produzido pela agência de mídia holandesa "433", o atacante Martin Braithwaite, do Barcelona, disse ter visto o camisa 10 da seleção dinamarquesa morto em campo logo após o desmaio no duelo contra a Finlândia.

Esta foi a primeira vez que o camisa 9 da Dinamarca falou sobre o episódio após a disputa da Euro e, segundo ele, presenciou uma das cenas mais terríveis da sua carreira. Vale lembrar que o atacante foi um dos primeiros que tentou socorrer o jogador caído em campo.

"Vivi uma das situações mais terríveis da minha vida. Aquilo que foi o acontecimento desportivo mais importante da história da Dinamarca e se transformou num pesadelo. O que aconteceu naquela noite foi um choque para muita gente. Houve um momento em que olhei para ele (Eriksen) e ele havia partido. Se você o visse ou visse o seu corpo... quando uma pessoa está morta, não há dúvida. Você sabe imediatamente. Foi o que eu vi", começou por dizer Braithwaite.

“Quando o vi comecei a rezar muito. Senti que era a única coisa que poderia fazer naquele momento. Olhar para Deus. Tínhamos todos os médicos trabalhando nele e aquela imagem ... é algo que eu faço questão e não quero que ninguém veja. No fim das contas, tivemos um final feliz. Christian está bem e estável e isso é a única coisa que queríamos", concluiu.

Neste momento, o meia de 29 anos ainda segue se recuperando da parada cardíaca e está em Copenhage, na Dinamarca. Nesta próxima semana, Eriksen é esperado na Inter de Milão, onde realizará uma nova bateria de exames para saber se poderá, ou não, voltar a jogar profissionalmente.

O meia da Inter precisou passar por uma cirurgia logo após a parada cardíaca, onde foi preciso colocar um desfibrilador no seu coração. A grande questão, porém, é que a Federação Italiana de Futebol não permite que qualquer jogador atue com este tipo de aparelho no país. Uma definição mais precisa sobre a situação só será conhecida nos próximos dias.