<
>

Flamengo cria hegemonia inédita de títulos em quase 30 anos no Brasil e se aproxima do São Paulo de Telê

play
Ao melhor estilo LeBron James, Marcos Braz celebra título do Fla com charuto e na parceria com Bruno Henrique (0:05)

Dirigente do Flamengo comemorou a conquista da Supercopa sobre o Palmeiras nos pênaltis - via @Flamengo (0:05)

A Supercopa do Brasil está longe de ser considerada uma conquista de peso, daquelas de "parar trânsito" país afora, ainda mais para quem se acostumou tanto a ganhar como o Flamengo. Só que, justamente por ser o Rubro-Negro, o título ganho no domingo (11), contra o Palmeiras, nos pênaltis, tem uma proporção maior.

Esse foi o oitavo título do Flamengo em 12 competições disputadas desde a temporada 2019, que marcou o início da geração liderada por Gabigol, Bruno Henrique e Arrascaeta: duas vezes o Campeonato Carioca, outras duas o Campeonato Brasileiro, duas edições da Supercopa do Brasil, uma Conmebol Libertadores e uma Recopa Sul-Americana.

Juntas, as estrelas garantem ao time carioca uma hegemonia que o futebol brasileiro não via há praticamente 30 anos.

O último time que ganhou tantos troféus em um espaço parecido foi o São Paulo. Dirigido por Telê Santana e com jogadores do quilate de Zetti, Cafu, Raí e Müller, o Tricolor abocanhou nove títulos em 1991, 1992 e 1993.

Aquele São Paulo venceu o Campeonato Paulista e o Brasileiro na primeira temporada, depois ganhou Estadual, Libertadores e Mundial Interclubes na sequência e fechou o terceiro ano dourado com as taças de Libertadores, Mundial, Supercopa da Libertadores e Recopa Sul-Americana. Ao todo, o time de Telê venceu 9 de 14 títulos entre 1991 e 1993.

Desde então, vários times tiveram uma era de conquistas, mas não com tantos troféus. Três clubes chegaram mais perto, ao ganhar seis títulos. São eles:

  • Santos de Neymar, Paulo Henrique Ganso e companhia: três Paulistas, uma Copa do Brasil, uma Libertadores e uma Recopa Sul-Americana entre 2010 e 2012.

  • Cruzeiro de 1996 a 1998, com: uma Libertadores, uma Recopa Sul-Americana, uma Copa do Brasil e o tricampeonato mineiro.

  • Grêmio de 1995 a 1997, com: uma Libertadores, uma Recopa Sul-Americana, um Brasileirão, uma Copa do Brasil e dois Gaúchos.

O próprio São Paulo também ganhou seis, mas no período de quatro anos, entre 2005 e 2008: Paulistão, Libertadores, Mundial de Clubes e um tricampeonato brasileiro, algo inédito até a unificação de torneios nacionais promovida pela CBF.

O Palmeiras, entre 1993 e 1994, foi campeão cinco vezes (dois Paulistas, dois Brasileiros e um Rio-São Paulo), mas passou em branco nos anos anterior ou posterior a esses. Cinco também foi o número de taças levantadas pelo Corinthians entre 2011 e 2013 (Brasileirão, Paulista, Libertadores, Mundial e Recopa Sul-Americana).

Se já deixou todos esses para trás, o Flamengo tem a oportunidade de superar o São Paulo de Telê, já que a temporada 2021 está apenas no começo. O time de Rogério Ceni ainda tem pela frente o Carioca, a Libertadores, o Brasileirão e a Copa do Brasil (título que ainda falta para essa geração).

O Palmeiras é quem pode entrar na briga por essa hegemonia. Campeão paulista, da Libertadores e da Copa do Brasil na temporada passada, o Verdão precisa de um só empate para faturar a Recopa Sul-Americana contra o Defensa y Justicia, na quarta-feira (14), em Brasília, e também tem uma temporada quase inteira pela frente.

Independentemente se haverá uma disputa ou não pela hegemonia no Brasil ou se a era de conquistas do Flamengo parar por aí, é inegável que essa geração já está na história. E não só do clube carioca.