<
>

Vasco: Salgado diz que clube passará por reestruturação, cita R$ 200 milhões 'contra' e expectativa por resposta da Justiça: 'Providências estão sendo tomadas'

play
Presidente diz que Vasco não mereceu rebaixamento e espera CBF e Justiça: 'Era para terminar com 48 ou 50 pontos' (1:25)

Jorge Salgado deu entrevista nesta sexta-feira, após a última rodada do Brasileirão (1:25)

Nesta sexta-feira (26), um dia após a confimação do quarto rebaixamento do Vasco na história do Brasileirão, os principais membros da diretoria do clube concederam entrevista coletiva para falar sobre o futuro. Presidente para o triênio 2021-2023, Jorge Salgado foi um dos presentes e deu declarações sobre os rumos da equipe carioca a partir de agora.

Apesar do fim do campeonato, o Vasco tenta junto à Justiça a impugnação da partida contra o Internacional, em São Januário, pela penúltima rodada, por conta da atuação do VAR no jogo, que na visão do clube carioca, prejudicou a equipe na competição. Sobre o processo movido pelo Cruz-Maltino, Salgado falou sobre a expectativa para que se tenha uma resposta o quanto antes.

"Tivemos 18 intervenções de VAR contra a nossa equipe, em três ou quatro fomos seguramente prejudicados, inclusive neste contra o Internacional. Então vamos aguardar o que a Justiça vai decidir. As providências estão sendo tomadas", disse.

"Não é ficar chorando o leite derramado, mas o Vasco não merecia em hipótese alguma esse rebaixamento", prosseguiu.

Em relação aos próximos passos do Vasco, o mandatário deixou claro que o clube passará por um processo de reestrutuação para a próxima temporada. E que uma das premissas da atual gestão é lidar com o aumento da dívida, a perda de receita, que junta já chegam a R$ 200 milhões, além de colocar as contas em dia.

"O Clube está pronto para começar um período de reestruturação, com muito trabalho, com muita luta. Vamos ter que combater o desperdício, fazer um ajuste muito grande do ponto de vista financeiro em todas as áreas. Atletas, funcionários, fornecedores", disse.

"A nossa meta é perseguir o pagamento do salário de funcionários e jogadores em dia. Combater o desperdício. Melhorar a eficiência em todas as áreas e reconstruir o nosso clube, para fazer ele voltar a Série A", prosseguiu.

"Estamos adequando o nosso orçamento, o endividamento aumentou R$ 100 milhões e perda, com rebaixamento, de R$ 100 milhões, então são R$ 200 milhões contra", concluiu.

Em relação à busca por um novo treinador, que falou foi o executivo de futebol Alexandre Pássaro. Após a decisão pela saída de Vanderlei Luxemburgo, o dirigente deixou claro que o processo para encontrar um novo comandante já começou.

"Já iniciamos a busca por um novo treinador. Não é um processo aleatório. Já falei com alguns deles. Essa decisão vai ser explicada por um processo", finalizou.