<
>

Brasileiro que Jesus quer no Benfica é filho de ex-Flamengo, nasceu na Alemanha e ficou 'rico' em vestiário no Rio

Contratado sem custos pelo Benfica para a próxima temporada, Rodrigo Pinho, do Maritimo, tem feito muito sucesso em Portugal. Tanto é que o o técnico Jorge Jesus deseja a ida imediata do atacante de 29 anos revelado no Bangu, apesar do vínculo com o clube da Ilha da Madeira encerrar-se apenas em junho.

"Depois do pré-contrato, acabou por surgir essa possibilidade. Não sei como, porque não falei com o Marítimo ou o Benfica. Não sei se os presidentes falaram diretamente. Se ele for agora para o Benfica, vai ser maravilhoso. Se tiver de terminar a época no Marítimo, é bom porque está bem adaptado", disse o empresário Márcio Bittencourt ao jornal Record.

Rodrigo Pinho é filho do ex-jogador Nando, que atuou pelo Flamengo na década de 80, além do Bangu e do Hamburgo. Nascido na cidade alemã de Henstedt-Ulzburg, ele foi logo pequeno para o Brasil, quando o pai foi contratado pelo Internacional.

"Tem o lado da cobrança que é maior pela comparação com meu pai, em compensação ele já vivenciou tudo e sempre me passou muitos ensinamentos", analisou o atacante, em entrevista ao ESPN.com.br, em 2015.

Por não ter acompanhado a carreira de Nando, os vídeos se tornaram grandes aliados do meia atacante. "Ele sempre colocava os DVDs dele para eu me inspirar um pouco. Fui criado junto com o Zico, Junior, Mauro Galvão, que são amigos dele", contou.

Pinho fez toda a categoria de base e profissionalizou-se pelo Bangu, que o proporcionou uma experiência inesquecível em 2012.

"Fizemos uma excursão pela Europa e enfrentamos equipes de divisões inferiores da Alemanha. Conheci mais o meu país natal e espero um dia poder voltar para lá", lembra.

O jogador quase parou com o futebol logo na estreia como jogador profissional em 2011, pela Copa Rio. Pinho machucou o joelho e ficou sete meses parado, dois meses sem poder colocar o pé no chão. "Pensei até em desistir, mas minha família me apoiou acabei voltando e as coisas estão dando certo", relembrou.

Depois de superar a lesão, ele foi a grande sensação do Campeonato Carioca de 2015, marcando nove gols pelo Madureira e terminando como vice artilheiro na competição. O 'Tricolor Suburbano' surpreendeu e por muito pouco não se classificou para as semifinais. Um dos segredos da campanha teve inspiração em um dos grandes comunicadores da televisão.

Assim como o apresentador Sílvio Santos costuma fazer em seus programas aos domingos, Elias Duba, mandatário do time, todo final de jogo descia ao vestiário e pagava a premiação pelo resultado em dinheiro vivo.

"Era bem engraçado quando ia pagar o 'bicho'. Se a gente vencia era aquela festa, quando ele entrava a gente sempre cantava assim: 'Sílvio Santos vem aí, olê, olê, olá!''', disse o atacante.

O atleta recorda que os domingos após as partidas pareciam o programa "Topa Tudo por Dinheiro".

"A gente zoava muito falando 'quem quer dinheiro?'. Só faltava ele fazer os aviõezinhos para jogar para a rapaziada. A gente brincava que o vice-presidente era o Roque, assistente dele", divertiu-se.

A relação de Duba com o Madureira vem de longa duração, já que está á frente do clube que disputa a Série C do Brasileiro desde 1992, 11 anos a menos que o "Patrão", como Sílvio Santos é conhecido, comanda o SBT.

As boas atuações no Estadual de 2015 chamaram a atenção de vários clubes do Brasil e do exterior. Rodrigo acabou fechando com o Braga, de Portugal, e emprestado ao Nacional. Em seguida foi para o Marítimo no qual brilhou até despertar a cobiça do Benfica.