<
>

Palmeiras 'muda o tom' e pode dar nova oportunidade a Miguel Borja na temporada 2021. Veja os bastidores

Com 14 gols em 29 partidas, o centroavante Miguel Borja pode retornar ao Palmeiras para a temporada 2021.

O ESPN.com.br apurou com fontes ligadas ao clube paulista e ao estafe do atleta que houve uma 'mudança de tom' no tratamento de um possível aproveitamento do colombiano para o futuro.

Existem alguns fatores preponderantes que são importantes para o Palmeiras trabalhar com a ideia de dar novas oportunidades a Miguel Borja.

Uma delas é a grande fase artilheira que o atleta tem vivido recentemente com a camisa do Junior Barranquilla, clube ao qual está emprestado até o final de 2020, com seis gols nas últimas seis partidas.

Além disso, o Palmeiras quer um nome mais forte para o comando de ataque como opção ao elenco. Luiz Adriano, titular absoluto, tem sofrido recentemente com lesões e o desgaste ao longo da temporada.

Breno Lopes, contratado recentemente junto ao Juventude, é a única opção para a posição no banco de reservas. Utilizados recentemente, nomes como Marcelinho e Fabrício ainda não são vistos como 'prontos' pelo departamento de futebol.

Por conta da pandemia e da ausência de boa parte das receitas, o time paulista também encontra dificuldades para também ir ao mercado e acertar a chegada de um nome mais forte para o comando de ataque.

Por isso, o Palmeiras tentou empurrar boa parte das negociações e pagamentos dos novos acordos para a temporada 2021, ano que deve ter um retorno das receitas ao clube.

O retorno de Borja ao clube é complexo e pode fazer com que o centroavante fique atrelado ao clube até o final de 2023. No contrato de empréstimo de Borja ao Junior Barranquilla, havia uma cláusula que obrigava o clube colombiano a contratar o atleta em definitivo caso o centroavante entrasse em campo em 75% das partidas ou marcasse 23 gols.

Por conta da pandemia e dos problemas financeiros causados pela COVID-19, o Junior não teve condições de contratar Borja em defintivo. Com isso, Borja esteve impedido de entrar em campo, uma vez que causaria uma dívida do time colombiano para com o Palmeiras.

Porém, os dois clubes chegaram a um acordo e retiraram a cláusula de obrigatoriedade de compra.

Mas, isso faz com que, em março de 2021, caso o Palmeiras não encontre um novo destino, seja por venda ou por empréstimo, o contrato será renovado automaticamente até dezembro de 2022.

A mesma situação acontecerá em março de 2022 caso não aconteça nenhuma grande mudança, e o contrato será estendido até o final de 2023, quando enfim Borja poderá deixar o Palmeiras de graça.

Contratado ainda em 2017 por R$ 34 milhões (70% do atleta), Borja, mesmo sendo titular em boa parte do tempo e feito parte da campanha do título brasileiro de 2018, não caiu totalmente nas graças da torcida.

Porém, para evitar um prejuízo total em relação ao atacante, o Palmeiras estuda de fato dar uma nova oportunidade ao atacante para tentar uma venda e reaver ao menos parte do investimento realizado.

O Palmeiras ainda deve 3 milhões de dólares ao Atlético Nacional, da Colômbia, pelos outros 30%. O time colombiano foi à FIFA cobrar o clube paulista, que acertou um pagamento parcelado em seis vezes de 500 mil dólares, dívida que o Palmeiras está acertando com o Atlético Nacional.