<
>

Champions League: conheça Tetê, ex-Grêmio, que destruiu o Real Madrid

play
Shakhtar surpreende Real em Madrid e estreia com vitória na Champions League 20/21 (0:56)

O Real recebeu o time de Donetsk no estádio Alfredo Di Stéfano, saiu perdendo por 3 a 0 no intervalo, reagiu, mas não evitou o revés por 3 a 2, nesta quarta-feira, pela primeira rodada do grupo B (0:56)

Participante nos três gols da vitória do Shakhtar Donetsk por 3 a 2 sobre o Real Madrid fora de casa na estreia da Champions League, Tetê teve uma quarta-feira mágica. Mas quem o conhece não se surpreende pela atuação destacada. Afinal, desde que chegou à Ucrânia, sua adaptação tem sido elogiável.

“Sabia que uma hora ia sair do Brasil para a Europa. Foi o passo mais importante para me adaptar”, disse Tetê, ao ESPN.com.br, em 2019.

O empresário Pablo Bueno, que cuida de Tetê desde a infância, conta que para acelerar esse processo, ele transferiu o máximo possivel da vida que o jogador levava no Brasil para a Ucrânia.

“Ele morava com a minha família, e trouxe todo mundo para cá. Achamos até a igreja que ele frequentava no Brasil. Os pastores nos ajudaram muito e costumamos fazer churrascos”, contou o agente.

Apesar de ter mais de uma dezena de brasileiros no elenco, Tetê fez aulas de russo e inglês para melhorar na comunicação.

O Shakhtar é visto como uma grande vitrine para jovens jogadores na Europa.

Contratado do Grêmio no começo do ano passado, ele já tinha brilhado na última temporada contra o Manchester City, pela Champions League. O meia foi eleito o melhor em campo, em um jogo que teve craques como De Bruyne, Agüero, Sterling.

Ele aplicou uma caneta no final do jogo no astro Bernardo Silva.

Nesta época, Tetê chegou a despertar interesse do Milan, mas negócio não teve andamento.

play
1:07

Tetê comenta falta de contato com Renato Gaúcho no Grêmio e lembra: 'Falou que eu não estava pronto'

Indicado ao Golden Boy, atacante campeão ucraniano foi vendido pelo time gaúcho ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, em 2019

Carreira

Descoberto jogando bola nas ruas de Alvorada (na região metropolitana de Porto Alegre), Tetê foi levado para o Grêmio aos oito anos. Apesar de ter feito muito sucesso na base, não atuou pela equipe principal do clube gaúcho com o técnico Renato Gaúcho.

“Eu amo o futebol e é um sonho realizado a cada dia que passa. Já nasci com a bola de futebol debaixo dos braços”.

“Eu vim de uma família humilde e passamos por muitas dificuldades. Não cheguei a passar fome, mas meus pais ficavam sem comer para dar de comer para mim. Isso foi uma das dificuldades mais dolorosas da minha vida, mas consegui suportar e estamos felizes”, disse Tetê.


“Eu me inspiro em Pelé”

No ano passado, Tetê disse que se inspira em Pelé, o “rei do futebol”.

“Meu ídolo é o Pelé, porque dentro e fora de campo é uma pessoa humilde. Ele não dava dribles para humilhar e sim o que precisava fazer. Era uma pessoa respeitada e parou uma guerra. Assisto direto os vídeos dele antes dos jogos. Desde pequeno meu pai falava sobre o Pelé, me apaixonei por ele, pela pessoa e pelo jogo dele. Ainda não tive a felicidade de conhecê-lo, mas logo isso vai acontecer. Eu quero encontrá-lo”.


Refrigerante, nem pensar!

Desde os 12 anos, Tetê não bebe refrigerante e não come "porcarias" para manter o físico de atleta.

“Nosso corpo é a nossa ferramenta de trabalho e precisamos cuidar dele para sempre ter bons resultados em campo”, complementa Tetê.