<
>

São Paulo: bastidores têm diretoria decidida a manter Diniz e Leco inclinado à demissão

O futuro de Fernando Diniz como técnico do São Paulo está nas mãos do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva. Leco terá a palavra final na situação do treinador, que tem a permanência defendida pela direção de futebol, apesar da derrota para a LDU, por 4 a 2.

Segundo informações de Mauro Cezar Pereira, comentarista dos canais ESPN, o dirigente máximo tricolor está inclinado à demissão. Ele segue no hospital depois de ter contraído COVID-19, já em um quarto, após ter deixado a UTI na última segunda-feira.

A pressão sobre o trabalho de Diniz não é novidade no Morumbi. Desde a queda para o Mirassol, no Campeonato Paulista, o movimento é forte nos bastidores. Raí sempre foi o maior defensor da permanência, com apoio também do gerente-executivo Alexandre Pássaro.

Entre conselheiros e torcedores, porém, a própria dupla é bastante questionada. Leco já sofreu pressão para demitir ambos, que são alvos constantes dos protestos que se tornaram rotineiros antes dos jogos do time nos arredores do estádio do Morumbi.

A derrota para a LDU deixou o São Paulo em situação delicada no grupo D da Conmebol Libertadores, precisando vencer o River Plate, na Argentina, na próxima quarta-feira. É pelo menos até lá que Raí luta para que Diniz permaneça, até pelo pouco tempo até o jogo.

É incerto se Leco manifestará qualquer posição sobre Diniz antes de receber alta do hospital. Ele vive os últimos meses de seu mandato como presidente, com término no final de 2020.

Na Libertadores, o São Paulo ocupa neste momento a terceira colocação de sua chave, com quatro pontos, três atrás do River e um acima do lanterna Binacional – que só venceu os brasileiros na competição. A LDU lidera de forma isolada, com nove.

Se não vencer na próxima quarta, o time do Morumbi estará matematicamente eliminado. Mesmo um empate deixa o São Paulo dependendo de um milagre, já que precisaria tirar uma diferença de saldo de 11 gols para o River na última rodada, contra o Binacional.