<
>

Bundesliga: Ele já ganhou do Bayern com time amador e agora tenta levar Heidenheim da 4ª para a 1ª divisão

Frank Schmidt pode não ser um nome conhecido no futebol, especialmente fora da Alemanha, mas seu currículo registra feitos notáveis e surpreendentes no esporte. Nesta segunda-feira, ele pode escrever mais um capítulo assim.

O técnico de 46 anos tentará levar o Heidenheim à Bundesliga pela primeira vez na história. Para isso, terá de superar o Werder Bremen, em casa, às 15h30 (de Brasília), pelo jogo de volta da repescagem. A partida tem transmissão da ESPN e ESPN App.

Como o confronto de ida acabou em um empate por 0 a 0, um empate com gols garante a permanência na elite ao Werder. O time da casa precisa de qualquer vitória na Voith-Arena para completar o seu impressionante período de ascensão sob o comando de Schmidt.

No comando da equipe desde 2007, depois de ter se aposentado pelo próprio clube como atleta, ele chegou ao cargo quando o Heindeheim ainda estava na quarta divisão.

Desde então, fez campanhas sólidas e foi subindo, subindo...O destaque vai para o título da terceira divisão em 2013-14, mesmo ano em que o RB Leipzig também foi promovido como vice, ficando atrás no saldo de gols.

Desde então na 2.Bundesliga, o Heidenheim chegou a ficar em sexto em 2016-17 e tinha no quinto lugar na campanha passada como seu melhor desempenho, até o terceiro posto da atual temporada. A equipe chegou à zona de playoff ao vencer o Hamburgo de virada com um gol aos 50min do segundo tempo na penúltima rodada.

Porém, antes desta impressionante história de 13 anos à frente do time, Schmidt já havia escrito um dos capítulos mais surpreendentes da história do futebol alemão. Em agosto de 1994, o então jogador defendia a equipe amadora TSV Vestenbergsgreuth, que ganhou do Bayern de Munique por 1 a 0, eliminando o gigante na primeira rodada da Copa da Alemanha na ocasião. Na época, os bávaros tinham nomes como Oliver Kahn e Lothar Matthäus, Jorginho e Mehmet Scholl.

A equipe ainda golearia o Homburg, então na segunda divisão por 5 a 1, antes de cair para o Wolfsburg nos pênaltis nas oitavas de final.

"Eu não acho que meus jogadores estarão interessados no que aconteceu há 26 anos. Mas é claro, isso me moldou", declarou o treinador em entrevista ao site da Bundesliga antes do primeiro jogo da repescagem.

"Todo mundo que me conhece sabe que eu não sou controlado pela minha cabeça, mas tenho uma aspiração e um dever, assim como meu time, e eu irei carregar isso até o fim. Eu darei tudo de mim e fazer o que funcionar até o fim. Essa é a natureza do futebol, é um jogo, e tudo é possível. Você tem que internalizar isso no espírito do time e com as melhores atuações possíveis.

Bom, se há algum que pode mostrar que tudo é possível no futebol, este alguém é Frank Schmidt.