<
>

Barcelona anuncia contratação de Pjanic por R$ 367 milhões 90 minutos após venda de Arthur

O Barcelona anunciou nesta segunda-feira, com apenas 90 minutos de diferença, a ida de Arthur à Juventus e a contratação posterior de Miralem Pjanic, procedente do clube italiano. Pelo bósnio, o clube catalão irá pagar um valor fixo de 60 milhões de euros (R$ 366,9 milhões na cotação atual) e mais 5 milhões de euros (R$ 30,57 milhões) em variáveis.

O meio-campista de 30 anos, que irá se incorporar ao novo clube depois desta temporada, assina um vínculo pelas próximas quatro campanhas e terá uma cláusula de rescisão de 400 milhões de euros (R$ 2,446 bilhões).

A Juventus, na nota oficial em que especificou conjuntamente as duas operações, apontou em 41,8 milhões de euros (R$ 255,61 milhões) seu benefício com a transferência de Pjanic, que se converterá no segundo futebolista bósnio na história do Barça, depois do atacante Meho Kodro, que chegou da Real Sociedad e só permaneceu no Camp Nou durante a temporada 1995-96.

Pjanic, que foi para a Juventus no meio de 2016, procedente da Roma por 32 milhões de euros (R$ 195,68 milhões), começou sua carreira profissional no Metz na temporada 2007-08. Um ano depois, ele transferiu-se ao Lyon por 7,5 milhões (R$ 45,86 milhões). Ao final de três campanhas, em 2011, a Roma contratou o atleta, com o apoio implícito de Luis Enrique, que comandou o time da capital italiana naquela temporada.

Curiosamente, durante seu período como atleta da Roma, em 2013, se declarou fã do Real Madrid, assegurando que decidiu ser jogador de futebol “por Zidane, o melhor jogador que havia visto em minha vida”, e proclamando que jogar algum dia no clube merengue “seria um sonho”. De fato, esse sonho foi ima probabilidade que não se materializou em 2018, quando o Real Madrid perguntou à Juventus por sua contratação, o que o clube de Turim rejeitou.

Desde que estreou na primeira equipe do Metz, Pjanic acumula 515 partidas oficiais, tendo anotado 73 gols e mostrando uma regularidade inquestionável e um físico privilegiado, uma vez que somente perdeu 18 partidas por lesão nestas 13 temporadas. Com a Juventus, ficou fora dos planos dos treinadores em sete jogos durante as quatro temporadas, com uma baixa de 18 dias por problemas no adutor, na campanha 2017-18 como maior problema.

Meio-campista dotado de excelente qualidade técnica e de grande inteligência tática, o bósnio passou a atuar mais recuado nas duas últimas temporadas com a Juventus, ainda que se entenderia que no Barça, sendo Busquets intocável na posição de volante, deverá se readaptar novamente a jogar um pouco mais à frente, junto a Rakitic, Vidal (se ambos permanecerem no clube), De Jong e Riqui Puig como companheiros fixos em uma zona fundamental no jogo da equipe.