<
>

Campeões da Libertadores do Palmeiras: Veja o que fazem hoje os heróis da conquista da América

Reportagem originalmente publicada em 16/06/2019 e atualizada


Neste domingo, às 16h (de Brasília), a TV Globo reprisará o jogo em que o Palmeiras conquistou o maior título de sua história: a sonhada Copa Libertadores da América.

Em 16 de junho de 1999, no Palestra Itália abarrotado, o Verdão venceu o Deportivo Cali-COL por 2 a 1 e forçou a decisão nos pênaltis, já que havia perdido a ida por 1 a 0.

Na marca da cal, Júnior Baiano, Roque Júnior, Rogério e Euller converteram para os palmeirenses, Bedoya perdeu para os gringos e Zapata chutou o último para fora.

Assim que a bola passou triscando a trave, ficou imortalizada a imagem do goleiro Marcos, grande jogador daquela campanha, correndo com os braços abertos para comemorar.

Ao mesmo tempo, o restante do elenco, que estava no meio do campo durante as penalidades, corria enlouquecidamente pelo gramado, enquanto o técnico Luiz Felipe Scolari ia às lágrimas com o título.

São muitas imagens marcantes daquele dia: os torcedores exultantes de alegria nas arquibancadas, o atacante Paulo Nunes usando suas máscaras e o capitão César Sampaio erguendo a taça...

Memórias que não saem da cabeça dos torcedores palestrinos e nem dos 26 atletas que formaram parte do elenco campeão do Palmeiras há exatas duas décadas - no ano passado, aliás, eles foram homenageados pelo Verdão antes da vitória por 2 a 0 sobre o Avaí, pelo Campeonato Brasileiro.

A ESPN conversou com quase todos os jogadores daquele plantel e conta ao fã de esporte o que eles estão fazendo hoje da vida.

Os heróis se emocionaram ao lembrarem seus momentos favoritos da Libertadores de 1999, e contaram causos e histórias de bastidores da inesquecível conquista da América.

Veja abaixo:

1. VELLOSO

O que faz hoje: É comentarista da Band e do Bandsports

Momento favorito de 1999: "O jogo contra o Corinthians, ainda na primeira fase. Foi um jogo difícil, mas conseguirmos a vitória por 1 a 0, no Morumbi, com gol do Arce"

2. ARCE

O que faz hoje: É treinador. Atualmente, dirige o Cerro Porteño-PAR

Momento favorito de 1999: "As semifinais contra o River Plate, porque teve duas facetas bem marcantes. O primeiro jogo foi o que o Marcos salvou situações incríveis, e aí confirmou o apelido de 'Santo'. E, no jogo de volta, logo depois do primeiro jogo, ainda em Buenos Aires, lembro do Luiz Felipe entrando no ônibus enquanto a gente ia para o hotel e dizendo para a gente ficar tranquilo, pois tínhamos plenas condições de dar a volta no Parque Antárctica. O segundo jogo foi a consagração definitiva do meu compadre Alex, que foi peça-chave, fez dois gols, uma partida incrível e conseguimos ganhar de 3 a 0 e passar à grande final. Houve momentos incríveis durante toda a caminhada, mas esses dois jogos foram fantásticos, porque o grupo se fortaleceu muito. Por mais que a final tenha sido complicada, a gente tinha certeza que, passando o River, tínhamos grandes chances de ganhar o título"

3. JÚNIOR BAIANO

O que faz hoje: É treinador. Último clube foi o Itumbiara-GO

Momentos mais importantes de 1999: Júnior Baiano foi fundamental na campanha vencedora. Com cinco gols, foi artilheiro do time na competição - chegou a fazer dois gols em dois jogos seguidos no Paraguai, contra o Olímpia (2 a 4) e o Cerro Porteno (5 a 2).

4. CLÉBER

O que faz hoje: Tem investimentos no mercado imobiliário e mora nos Estados Unidos, onde estuda inglês

Momentos favorito de 1999: "Há vários momentos marcantes, é uma competição diferente. Eu joguei por seis anos no Palmeiras e sempre soube que o objetivo da diretoria era a Libertadores. Mas a final foi especial. O time deles era mais fraco tecnicamente, mas vinha empolgado, por chegar à final, tinha aquela expectativa. O momento que não sai da minha cabeça é o Marcos no gol para defender a cobrança de Zapata, ele correndo e a bola indo para fora"

5. ROQUE JÚNIOR

O que faz hoje: É dirigente. Foi gestor de futebol da Ferroviária-SP em 2019

Momento mais importante de 1999: Roque Jr bateu Cléber e ganhou a titularidade durante o torneio. Na semifinal, fez o segundo gol na vitória por 3 a 0 sobre o River Plate que levou o time à final.

6. JÚNIOR

O que faz hoje: Administra imóveis que adquiriu nos tempos de jogador

Momento favorito de 1999: "Todos os momentos foram bacanas, mas acho que o mais legal foi a conquista, mesmo. Os jogos contra o Vasco e o Corinthians foram muito difíceis. Mas foi realmente contra o Vasco que o time pegou mais corpo. Foi a partir dali que a gente olhou um para o outro e falou: 'Vamos ganhar!'"

7. PAULO NUNES

O que faz hoje: É comentarista do Sportv

Momento favorito de 1999: "Houve vários, escolher um só é muito complicado... Mas acho que foi a vitória sobre o Vasco. Foi o estopim de tudo. Ela nos deu muita confiança e mostrou a capacidade que o time tinha para crescer a partir daquele momento. Foi essencial para que a gente pudesse buscar depois o título da Libertadores"

8. CÉSAR SAMPAIO

O que faz hoje: É auxiliar-técnico fixo da CBF na seleção brasileira principal

Momento favorito de 1999: "Como capitão da equipe, confesso que foi um dos grandes momentos da minha vida, uma das grandes emoções como palmeirense desde a infância, levantar a taça da Libertadores no Palestra Itália lotado por meu time de coração. Foi uma dupla conquista"

9. OSÉAS

O que faz hoje: Administra imóveis que adquiriu nos tempos de jogador

Momento favorito de 1999: "Quando marquei o gol na final e levantei a camisa em que estava escrito: 'Salvador, 450 anos'"

10. ALEX

O que faz hoje: É comentarista da ESPN

Momento favorito de 1999: "Em uma palavra: a história! Hoje sei que aquele grupo pertence à rica história do clube. Vemos o reconhecimento todos os dias quando encontramos os palmeirenses espalhados por aí"

11. ZINHO

O que faz hoje: É comentarista do FOX Sports

Momento favorito de 1999: "Foi o pênalti contra o Corinthians, nas quartas de final, que decidiu a nossa classificação. Ali, havia muita pressão, porque estava no meu pé. Trabalhamos muito pra chegar até ali e eu poderia resolver para nós. A pressão foi enorme"

12. MARCOS

O que faz hoje: Possui uma linha de cervejas e uma de carnes com seu nome

Momento favorito de 1999: "Foi o ano que eu comecei a jogar. Até a Libertadores de 1999, eu nem titular do Palmeiras era, jogava no aspirante. Foi meu ano de estreia como titular e o 1º título que conquistei pelo Palmeiras. Então, todas essas lembranças são as minhas favoritas"

13. NENÉM

O que faz hoje: Trabalha com aço inox, em especial com corrimões

Momento favorito de 1999: "Os momentos do vestiário, dominado pelo Felipão. Lembro bem do clima, todo mundo unido, acreditando naquela conquista. Compramos a ideia do técnico"

14. RIVAROLA

O que faz hoje: Administra uma empresa ao lado da família e está abrindo uma agência de representação de jogadores ao lado de seu filho, Fabián Rivarola

Momento favorito de 1999: "Erguer o troféu de campeão da Libertadores ao lado de um grande técnico como Felipão foi um privilégio"

15. TIAGO SILVA

O que faz hoje: É agente de jogadores e possui a incorporadora TSS, que constrói prédios no Rio Grande do Sul

Momento favorito de 1999: "A vitória que a gente teve dentro de casa contra o River Plate, pela semifinal, depois de ter passado por uma partida muito difícil na Argentina, onde foi colocado o 'selo' em cima do 'São' Marcos por ter feito uma partida extraordinária. Ele ajudou que a gente não perdesse por mais gols e tivesse um placar mais difícil para reveter depois em casa. Perdemos só de 1 a 0 e no Parque Antárctica conseguimos ter uma atuação de gala, em que conseguimos fazer 3 a 0 e embalar. Depois disso, ficou difícil nos segurar. Antes, houve toda a aflição da disputa contra o Corinthians, mas essa volta por cima no River, que era um time muito qualificado, foi decisivo para que a gente conseguisse chegar ao título da Libertadores"

16. ROGÉRIO

O que faz hoje: Aposentado, faz jogos de exibição. Iniciou carreira de treinador, mas desistiu

Momento favorito de 1999: "O que mais me marcou foi a classificação contra o o Vasco, nas oitavas, que era o campeão atual da edição na época. Tivemos que ir para decidir no Rio, já que empatamos em casa. Fizemos um jogo brilhante em São Januário, foi sensacional"

17. EVAIR

O que faz hoje: Tentou ser treinador, mas desistiu

Momento mais importante de 1999: Um "titular que vinha do banco", Evair fez apenas dois gols na trajetória campeã. Um deles, porém, cobrando penalidade, foi o que abriu o caminho para a vitória na finalíssima sobre o Deportivo Cali (2 a 1) que levou o jogo para os pênaltis. Evair também foi expulso nesta partida.

18. JACKSON

O que faz hoje: Administra imóveis que adquiriu nos tempos de jogador

Momento favorito de 1999: "Minha lembrança favorita é o orgulho de ter feito parte daquele grupo. Só tinham campeões lá dentro, caras de altíssimo nível. Eu lembro sempre do dia-a-dia com eles, recordo que eles nem tinham a preocupação se iam ganhar ou não, porque o time jogava por música. Chegava ao ponto de um jogador levar o terceiro cartão amarelo e perder a posição, pois quem entrava no lugar tomava o espaço. O nível do grupo que o Palmeiras e a Parmalat montaram era um absurdo. A minha chegada foi incrível, entrei no vestiário e dei de cara com Zinho, Paulo Nunes, Evair, Júnior Baiano... Eu fiquei impressionado, porque tinha vindo do Sport e de repente estava dividindo o espaço com a nata do futebol brasileiro na época. Fiquei um pouco acanhado no começo, mas depois fui me adaptando, conhecendo os caras, todos gente boa. Caras como Marcão, Oséas, Júnior, Clebão, Alex e César Sampaio. O Sampaio é um cara raro no futebol, não sei se existe mais alguém desse nível. Algo que ninguém nunca vai tirar de mim é eu poder chegar e falar que joguei com esses caras, além do Felipão, que é um cara por quem tenho carinho muito grande. E na Libertadores a gente entrava para 'matar' os caras e ganhar todos os jogos"

19. PEDRINHO

O que faz hoje: É treinador

Momento favorito de 1999: "Quando lembro de 1999 dá muita saudade... Minha memória favorita são os amigos que fiz em quase dois anos de Verdão. Foram anos muito intensos, nos quais ganhei três títulos. E o mais importante, claro, foi a Libertadores, que nos eternizou na história do Palmeiras"

20. JULIANO

O que faz hoje: Administra uma loja de acessórios e equipamentos para academias, dá aulas de futebol e está inscrito no curso da Licença B da CBF para ser treinador

Momento favorito de 1999: "São dois. Na época, eu tinha 17 anos, era um menino, então é impossível esquecer a minha estreia. Participei de dois jogos no Paraguai, contra Cerro Porteño e Olimpia, na fase de grupos. E o segundo momento é ver aquele lance do Zapata chutando a bola para fora e sair comemorando o título da Libertadores"

21. RUBENS JÚNIOR

O que faz hoje: É gestor de futebol com curso CBF, foi diretor de futebol do Taubaté-SP e é proprietário da franquia de escolinhas de futebol CraqueNet

Momento favorito de 1999: "Aconteceu quando eu fui acertar meu retorno ao Palmeiras. O Felipão me ligou e disse: 'Venha que eu vou te dar um título, você vai ser campeão'. Eu era muito jovem, não tinha ganho nada ainda, estava aparecendo para o futebol. O atleta tem sempre que ter essa confiança, esse objetivo de conquistar coisas grandes. E quando vi o Felipão e aquele plantel todo, pensei: 'Temos grandes chances'. Quando chegou no último jogo e fomos campeões, fomos dar a volta olímpica e o Felipão lembrou disso. Enquanto a gente corria, ele gritava: 'Não te falei que ia te dar um título?'"

22. SÉRGIO

O que faz hoje: Empresário e em vias de abrir uma escolinha de futebol

Momento mais importante de 1999: "O que mais me marcou foram os jogos decisivos, contra o Corinthians, o River Plate e o Deportivo Cali. Aquele grupo tinha muito isso de família, tínhamos alguns jogadores que, como eu, tinham conquistado o Paulista de 1993, Zinho, Evair e Sampaio. Eu fui inscrito durante a competição e, como era muito amigo do Marcos, que era mais novo, eu conversava muito com ele, passava experiência. Éramos uma dupla, mesmo, sem clima de disputa. Não joguei, mas vivi todo aquele clima de decisão"

23. AGNALDO

O que faz hoje: É treinador e presidente do Sindicato dos Treinadores de Futebol do Estado de Santa Catarina. Último clube foi o sub-23 do Vitória

Momento favorito de 1999: "Sinto o maior orgulho de ter vivido essa grande conquista no Verdão, meu clube de coração! Esse time merecia esta taça, pois formamos um grupo muito forte e comprometido. Lembro muito desta conquista e sou lembrado também por muitos palmeirenses, que me agradecem até hoje pelo gol que fiz contra o Botafogo na Copa do Brasil de 1998, que foi a arrancada para o título que nos levou para Liberta de 1999. Os torcedores dizem: 'Ah, se não fosse o seu gol, não estariamos lá!'. Na Libertadores, lembro muito da final, é claro, e da nossa alegria de ver o Palestra lotadaço comemorando. Mas minha memória favorita foi minha participação no jogo de volta da semifinal, como titular, contra o River Plate. Vencemos em casa, revertemos um placar de 1 a 0 na Argentina para 3 a 0 no Palestra, uma atuação de gala de todos nós"

24. EULLER

O que faz hoje: Está fazendo curso de treinador da Uefa na Espanha, onde vive com a família

Momento favorito de 1999: "Bater o último pênalti do Palmeiras na final contra o Deportivo Cali, sem dúvida"

25. GALEANO

O que faz hoje: Trabalha no futebol, principalmente com captação de jovens jogadores

Momento favorito de 1999: "O que marcou muito para mim, além da formação do grupo inteiro, que era muito forte tanto em casa quanto fora, foi um dos jogos mais marcantes da campanha. Contra o Vasco fora, diziam que seríamos eliminados. E chegamos lá muito concentrados para tentar reverter a vantagem deles, depois do empate em São Paulo. Foi um baita jogo e ali marcou muito para mim, porque eliminamos um time como o Vasco, ganhamos muita força, e deu no que deu, conquistamos o título tão esperado"

26. EDMÍLSON

O que faz hoje: É agente de jogadores

Momento favorito de 1999: "Houve vários momentos marcantes, mas o melhor certamente foi quando levantamos a taça de campeão. Esse é um momento único"