<
>

Cruzeiro contratou pai de santo para evitar rebaixamento no final do ano por R$ 10 mil, mas ficou devendo, revela portal

Numa tentativa de evitar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro contratou o babalorixá Reginaldo Muller Pádua, 58, por R$ 10 mil, mas ficou devendo R$ 4 mil ao pai de santo, forma popular como são conhecidos esses líderes espirituais.

A informação é do “Uol Esporte” desta quinta-feira.

Pelos serviços, foram acertadas três parcelas, entre 16 de outubro e 28 de novembro. A primeira foi de R$ 2,5 mil, na data combinada. A segunda foi de R$ 3 mil, em 13 de novembro. No dia 28, a equipe celeste transferiu a última cota, mas de apenas R$ 500 para.

De acordo com a reportagem, os pagamentos ao pai de santo foram autorizados por Benecy Queiroz, chefe do departamento técnico do clube. O dirigente confirmou que contratou Pádua e que o serviço foi solicitado por Zezé Perrella, então presidente do conselho deliberativo.

O pai de santo também confirmou as tratativas com Perrella.

“Ficou entre eu e ele [Zezé Perrella], como isso chegou até você, não sei. Realmente, eles não mandaram para mim os R$ 4 mil, mandaram só R$ 6 mil. Quem vai poder falar direitinho é o [Zezé] Perrella”, disse o pai de santo para a publicação.

Perrella rebateu, dizendo desconhecer o assunto. E o ex-presidente Wagner Pires de Sá afirmou que a contratação não foi feita em nome do clube e atribuiu a Perrella. "Tem gente que aprova o Perrella, inclusive, gosta muito".

O Cruzeiro foi rebaixado pela primeira vez na sua história ao perder para o Palmeiras na última rodada do Nacional.