<
>

Ronaldinho na prisão paraguaia: visitas de crianças, comida por advogados e acordando cedo

Cela própria, alimentação providenciada pelos advogados e visitas de crianças e até de ex-jogadores. É assim que Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Assis, têm passado no quartel do Grupamento Especializado da Polícia, onde os dois estão presos, segundo o chefe do local Blas Vera.

O paraguaio concedeu entrevista a duas rádios paraguaias nesta segunda-feira e deu detalhes das primeiras noites dos brasileiros, que seguem cumprindo a detenção determinada pela Justiça – seus advogados entraram com medida para tentar que os dois cumpram prisão domiciliar.

Segundo Vera, Ronaldinho e Assis já tem uma cela própria, ao contrário de quando entraram na prisão. As salas são equipadas com geladeira, televisão, ventiladores e alguns outros artigos.

A alimentação dos brasileiros, porém, é providenciada pelos advogados da dupla e não é semelhante à dos demais detentos do presídio.

Ainda segundo Vera, não há um horário estabelecido para que os presos se levante, mas Ronaldinho tem dormido normalmente até às 8h da manhã.

Vera também afirmou que Ronaldinho não demonstra abatimento e, inclusive, permitiu a visita de 50 crianças, que foram ao local com os pais para ver o ídolo. “Ficou sabendo que queriam cumprimenta-lo, e ele aceitou sem problemas”, disse.

Ronaldinho também foi visitado por pessoas relacionadas ao futebol, como ex-jogadores paraguaios e cartolas do país – nenhum nome, porém, foi revelado.

No local, porém, os brasileiros não têm acesso a telefones celulares, que têm acesso restrito. Já as visitas podem ser realizadas às quartas, sábados, domingos e feriados, das 8h da manhã às 17h, sempre que Ronaldinho aceitar recebe-las.

O quartel do Grupamento Especializado da Polícia, além de Ronaldinho e Assis, tem 200 presos.