<
>

'Era fascista, virei nazista e racista... O próximo será ser gay', diz Zozulya, pivô de polêmica na Espanha

O atacante Roman Zozulya, do Albacete, segue nos holofotes na Espanha por suas polêmicas.

No ano passado, o ucraniano foi chamado de "nazista" por torcedores do Rayo Vallecano, durante jogo pela 2ª divisão espanhola.

Por conta disso, o Rayo acabou punido com multa e foi obrigado a jogar com portões fechados.

Já no último sábado, Albacete e Rayo Vallecano se enfrentaram novamente, e, para não serem punidos, desta vez os fãs do clube de Vallecas chamaram Zozulya de "comunista", de forma irônica.

Em entrevista ao canal Sportanalytic, o ucraniano comentou as constantes provocações e disse que acha graça da situação.

"Quando tudo começou, me chamavam de 'fascista'. Depois, começaram a olhar meu Facebook e virei 'nazista'. Recentemente, me chamaram de 'racista', e hoje (no jogo entre Albacete e Rayo) eu não escutei, mas disseram que me chamaram de 'comunista'. As pessoas não se decidem", brincou.

"Da próxima vez, dirão que sou 'maricón', que significa 'gay' em espanhol. E eu seguiria sem me importar", afirmou.

Vale lembrar que a relação tensa entre Zozulya e a torcida do Rayo Vallecano começou ainda em 2017.

Na ocasião, a equipe de Madri contratou o atacante do Betis, mas teve que devolvê-lo após apenas um dia, depois que sua torcida protestou na sede do clube, acusando Zozulya de fazer parte de um grupo de extrema-direita na Ucrânia.

Na atual temporada, o polêmico jogador tem 3 gols marcados em 27 partidas pelo Albacete.