<
>

Maradona até elogia Messi, mas diz: 'Ele não poderia fazer o que eu fiz no Napoli'

A primeira apresentação de Lionel Messi no estádio San Paolo, casa do Napoli, não foi brilhante como se esperava. Ainda mais por ser o mesmo o palco onde brilhou por tantos anos seu compatriota Diego Armando Maradona, uma divindade entre os torcedores napolitanos.

"Eu gostaria de ter visto isto. Eu veio jogar no San Paolo no momento em que San Paolo está em declínio. Messi não pode experimentar aquilo que eu vivi. Essa é a minha vantagem sobre ele, mas ele poderia facilmente jogar no Napoli. Acredito, no entanto, que ele não poderia fazer o que eu fiz. Mas eu gostaria que o Napoli tivesse um Messi", disse Maradona, em declaração reproduzida pelo jornal italiano "La Gazzetta dello Sport".

Maradona conquistou pelo Napoli dois títulos da Série A, uma Copa Uefa, uma Copa Itália e uma Supercopa da Itália. Até obter essas conquistas, a equipe celeste era vista como um time pequeno. Estava há anos luz de Juventus, Milan e Inter e muito atrás de Roma, Lazio, Torino, Verona e Sampdoria, que formavam o segundo pelotão.

As conquistas deram ao Napoli um protagonismo inédito. Ainda que a equipe tenha vacilado décadas depois, caindo para a segunda divisão e amargando alguns anos longe da elite, o legado deixado pelo período de Maradona ficou. O Napoli voltou a ficar forte nos útlimos anos é encarado com muito respeito. O vínculo com Maradona é eterno.

Quando El Pibe de Oro virou treinador pela primeira vez, ele chegou a trabalhar com Messi. Foi durante a campanha da seleção argentina na Copa do Mundo de 2010. A equipe teve momentos de empolgação, como a vitória sobre o México por 3 a 1, mas caiu nas quartas de final para a Alemanha. Derrota por 4 a 0.

Já o confronto entre Barcelona e Napoli foi válido pela ida das oitavas de final da Champions League e terminou empatado por 1 a 1, na última terça-feira, na Itália.

Foi uma partida em que os visitantes tiveram controle amplo da posse de bola (quase 70%), mas foram os mandantes que criaram as chances mais perigosas.

Mertens abriu o placar para os celestes, com um chute maravilhoso de fora da área, na gaveta do goleiro Ter Stegen, que sequer pulou na bola. Aos 14 minutos do segundo tempo, Busquets enfiou bola sensacional para Semedo, que cruzou rasteiro para Griezmann fuzilar e estufar as redes.

A partida de volta será dia 18 de março, no Camp Nou. Os catalães jogam por um 0 a 0 ou vitória por qualquer placar. Já os italianos precisarão ganhar ou empatar por mais de 2 a 2.