<
>

Taison não tem suspensão retirada após reagir a gritos racistas e ainda recebe 'aviso' da federação ucraniana

Nesta quinta-feira, a Associação Ucraniana de Futebol (UAF) anunciou que não vai retirar a expulsão de Taison por causa de sua reação aos cânticos racistas da torcida do Dínamo de Kiev durante o clássico contra o Shakhtar Donetsk no último dia 10.

Além de seguir com um jogo de suspensão, o atacante brasileiro também recebeu um "aviso" da federação e poderá ser punido com mais duas partidas caso receba vermelho novamente.

O Dínamo de Kiev jogará uma partida com portões fechados e também recebeu a punição condicional de dois jogos.

Taison mostrou o dedo do meio e ainda chutou uma bola na direção dos torcedores do Dínamo no segundo tempo do duelo em Kharkiv ao ouvir os gritos racistas - tanto ele quanto Dentinho deixaram o campo chorando.

A partida foi paralisada pelo árbitro, que depois deu sequência ao duelo e ainda expulsou Taison.

Em sua página no Instagram, o ex-jogador do Internacional afirmou que não se calaria contra o racismo.

"Jamais irei me calar diante de um ato tão desumano e desprezível! Minhas lágrimas foram de indignação, de repúdio e de impotência, impotência por não poder fazer nada naquele momento! Mas somos ensinados desde muito cedo a sermos fortes e a lutar! Lutar pelos nossos direitos e por igualdade! O meu papel é lutar, bater no peito, erguer a cabeça e seguir lutando sempre!", escreveu.

"Em uma sociedade racista, não basta não ser racista, precisamos ser antirracistas! O futebol precisa de mais respeito, o mundo precisa de mais respeito! Obrigada a todos pelas mensagens de apoio! Seguimos a luta".