<
>

Thiago Neves, Pedro Rocha e mais 6: organizada faz lista de dispensas do Cruzeiro e oferece 'cachaça'

play
Organizada do Cruzeiro critica Thiago Neves e cobra os jogadores baladeiros: 'Falta comprometimento' (2:31)

Máfia Azul nega que usará de violência para cobrar jogadores (2:31)

O clima segue tenso no Cruzeiro.

Nesta quarta-feira, durante treino para o jogo do próximo final de semana, contra o Palmeiras no Allianz Parque, a Máfia Azul, principal organizada do clube, voltou a protestar em frente à Toca da Raposa II.

Em faixa colocada em frente ao portão do CT, os uniformizados fizeram uma "lista de dispensas" com oito nomes.

"Thiago Neves, Edílson, Egídio, Robinho, Henrique, Pedro Rocha, Ariel Cabral e Jadson, sumam do Cruzeiro junto com essa diretoria, que está levando o time para as páginas policiais", escreveram - vale lembrar que Pedro Rocha tem apenas cinco meses em Belo Horizonte, tendo sido contratado em abril.

Também houve muita ironia, com acusações de excesso de baladas aos atletas.

"Prêmio para vocês: 11 garrafas de cachaça que estão aqui. Podem pegar", complementaram - a faixa de fato ficou ao lado de 11 recipientes de aguardente.

Em outras faixas, a Máfia Azul também demonstrou total apoio ao técnico Rogério Ceni.

"Rogério Ceni, não tenha medo de mudar. Tire os medalhões que nós vamos apoiar!", pediu uma faixa.

Na última terça, o diretor de futebol Marcelo Djian disse que a diretoria cruzeirense dará respaldo a Ceni para realizar mudanças drásticas na equipe.

No entanto, Djian também ressaltou que a Raposa segue contanto com Thiago Neves, que é um dos principais jogadores do elenco, além de ter um dos maiores salários do time.

Com apenas 18 pontos, o Cruzeiro está em 16º lugar no Campeonato Brasileiro, sendo o primeiro time fora da zona de degola.

Vindo de uma dura derrota por 4 a 1 para o Grêmio, em Belo Horizonte, o clube volta a campo no sábado, às 19h (de Brasília), contra o Palmeiras.