<
>

Cruzeiro derruba líder Santos na estreia de Rogério Ceni e volta a vencer no Brasileiro após 11 jogos

Uma estreia melhor como essa é impossível de imaginar para o torcedor do Cruzeiro e para o técnico Rogério Ceni.

Neste domingo, com um Mineirão lotado, o time celeste voltou a vencer no Campeonato Brasileiro com o 2 a 0 sobre o líder Santos pela 15ª rodada e começou com o pé direito a nova era no comando.

Logo aos 5 minutos de partida, Gustavo Henrique recebeu cartão vermelho após dar um carrinho em Pedro Rocha como último homem. A partir daí, o Cruzeiro partiu para cima e não deu chances ao Santos.

O primeiro gol, porém, demorou a sair - e teve a marca do artilheiro: Fred recebeu dentro da área de Thiago Neves e chutou cruzado para abrir o placar, encerrando assim uma seca de 16 jogos sem balançar as redes.

Na etapa final, logo aos 2 minutos, o camisa 10 foi quem acertou belo chute de fora da área para fazer o segundo e praticamente decretar o resultado final.

Assim, o Cruzeiro chega a 14 pontos e deixa a zona de rebaixamento do Brasileirão, beneficiado pela derrota do Fluminense no Maracanã para o CSA.

Já o Santos de Jorge Sampaoli estaciona nos 32 pontos após a segunda derrota seguida e tem apenas dois de vantagem para Flamengo e Palmeiras.

Na próxima rodada, o Cruzeiro visita o CSA, enquanto o Santos tenta a reabilitação em casa contra o Fortaleza - os dois jogos acontecem no domingo.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 x 0 SANTOS

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 18 de agosto de 2019
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS)
Cartão amarelo: Fred, Thiago Neves (CRU); Jorge Sampaoli (SAN)
Cartão vermelho: Gustavo Henrique
Gols: CRUZEIRO: Fred, aos 43 minutos do 1º Tempo, Thiago Neves, a 1 minuto do 2º Tempo

CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Fabrício Bruno, Dedé (Cacá), Egídio (Fred); Henrique, Dodô, Marquinhos Gabriel e Thiago Neves; Pedro Rocha e David (Robinho). Técnico: Rogério Ceni

SANTOS: Everson; Evandro (Pará) (Luiz Felipe), Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca, Carlos Sanchez (Alison) e Felipe Jonatan; Derlis González, Soteldo e Eduardo Sasha. Técnico: Jorge Sampaoli