<
>

Na Copa América, Alexis Sánchez faz em um jogo pelo Chile o que precisou de uma temporada no United

Dá para dizer que, em 2019, existiram dois Alexis Sánchez.

Um deles custa mensalmente uma verdadeira fortuna ao Manchester United e terminou a Premier League 2018/19 com apenas um gol e três assistências.

O outro defende o Chile e, na goleada por 4 a 0 sobre o Japão na Copa América, fez 1 gol - igualou a marca pelos Red Devils em toda a última temporada – e deu 1 assistência.

Titular no Morumbi, ele fez o terceiro de sua seleção ao receber cruzamento de Charles Aránguiz e testar para as redes. Foi o 42º gol do atacante, maior artilheiro da história da seleção. A assistência foi para Eduardo Vargas, que anotou o quarto da estreia.

“Alexis precisava desse gol”, definiu o companheiro Arturo Vidal após a partida. “Faz muito bem a ele. Também faz muito bem a confiança que o professor (Rueda) o dá. Todos sabemos que não teve um bom ano, teve muitas lesões”, explicou o meio-campista.

O próprio atacante passou pela zona mista sem falar com a imprensa. O que se sabe, contudo, é que sua condição física não é a ideal.

"Corremos um alto risco de deixar ele tanto tempo em campo", afirmou o treinador Reinaldo Rueda. "Mas isso demonstra seu caráter de jogador de elite. Fez gol e deu passe para gol", analisou o comandante de 'La Roja'.

No total, foram 87min com o Chile contra os japoneses – foi substituído por Junior Fernandes – contra 877 pelo United na Premier League, campeonato no qual ele jogou todos os 90 minutos apenas uma vez, em duelo diante do Leiceister.

A falta de gols e do bom futebol fez com que o United já pensasse em negociar o jogador. Atlético de Madrid, Juventus, Inter de Milão, Real Madrid e PSG são alguns dos clubes especulados pela imprensa europeia para o chileno. Resta saber qual será seu futuro.