<
>

Cruzeiro é processado novamente por seu patrocinador, agora por venda de Arrascaeta ao Flamengo

play
Dedé explica o que está acontecendo com o Cruzeiro e diz: 'Essa fase vai passar, o momento bom já está vindo' (0:42)

Equipe mineira não vence há oito jogos (0:42)

Na última terça-feira, a ESPN mostrou que, por conta da negociação envolvendo a venda do lateral direito Mayke ao Palmeiras, em novembro de 2018, o Cruzeiro acabou processado pelo Supermercados BH, seu próprio patrocinador e parceiro.

Mas as ações na Justiça não param por aí...

Além da cobrança do repasse de 20% da negociação do ala, a empresa, que atualmente estampa seu logo na manga da camisa celeste, também quer sua fatia de 25% da venda do meia De Arrascaeta para o Flamengo, fechada no início de janeiro.

Ambos os processos correm na 7ª Vara Cível de Belo Horizonte.

O uruguaio foi negociado por 13 milhões de euros (cerca de R$ 55,3 milhões na época). A Raposa recebeu 7 milhões de euros à vista, 3 milhões de euros em junho de 2019 e ainda aguarda 3 milhões de euros em dezembro de 2019.

Como era dono de 25% dos direitos de Arrascaeta, em contrato feito antes da Fifa proibir a participação de terceiros em fatias de atletas, o Supermercados BH cobra o valor na Justiça, após ter notificado a equipe mineira extrajudicialmente por falta de pagamento (veja abaixo).

Procurado, o Cruzeiro disse que ainda não foi notificado sobre a ação e que, portanto, não irá se posicionar.

Vale lembrar que a empresa ainda é parceira do time mineiro nos direitos do zagueiro Dedé.

'SÓ QUEREMOS O QUE É DEVIDO'

Em entrevista à Rádio Itatiaia, o dono do Supermercados BH, Pedro Lourenço, salientou que "não quer briga" com o Cruzeiro, mas que foi à Justiça como última opção.

“Entramos com a ação para o Cruzeiro apresentar os contratos de venda do Mayke e do Arrascaeta. Não queremos briga, só queremos que o clube apresente os contratos e nos pague o que é devido”, afirmou.

Diferentemente do que ocorreu com Mayke, Lourenço ressalta que a diretoria celeste informou o patrocinador sobre a venda de Arrascaeta, mas depois não entrou mais em contato para tratar do repasse de 25%.

"O Wagner (Pires de Sá, presidente do Cruzeiro) chegou a vir na empresa e conversou comigo falando que venderia o Arrascaeta, mas depois não falou mais nada”, revelou.

O advogado do Supermercados BH, Guilherme Teixeira de Souza, confirmou à rádio que tentou entrar em contato com a Raposa em duas oportunidades solicitando as documentações das vendas de Mayke e Arrascaeta, de forma a tentar resolver o imbróglio de forma amigável. Como o time não respondeu, porém, a alternativa foi procurar a Justiça.

“Eles sonegaram a informação da venda que está prevista em contrato. Fizemos duas notificações para cada caso, mas eles sequer responderam. Aí não restou alternativa a não ser mover a ação”, observou.