<
>

São Paulo entra em acordo com Santos por Vitor Bueno, mas clubes aguardam documento da Ucrânia para selar negócio

A novela envolvendo a vinda do Vitor Bueno para o São Paulo acelerou no final de tarde desta quarta-feira, mas ainda não foi sacramentada. Depende do documento de rescisão do meia-atacante com o Dínamo de Kiev, da Ucrânia, ser enviado ao Santos, clube com o qual o jogador tem vínculo, chegar até meia-noite de hoje.

O caso é realmente complexo. Inicialmente o Santos não aceitou ceder o jogador ao São Paulo, alegando que não reforçaria um rival. Depois condicionou a transação ao Dínamo de Kiev fixar o valor de compra de Derlis Gonzáles em 6 milhões de dólares (R$ 23 milhões). O jogador é dos ucranianos e está emprestado aos santistas. Não rolou.

Por fim, o São Paulo sugeriu que a transação fosse feita abatendo R$ 2,6 milhões de uma dívida do Santos com o próprio clube tricolor por causa da compra de Cueva, do Krasnodar, da Rússia. Havia um acordo que o time paulistano receberia 10% do que fosse pago pelo peruano aos russos. Aí a negociação virou.

O Santos topou envolver a dívida --que será perdoada-- e mais o recebimento de uma quantia (R$ 600 mil). Assim Vitor Bueno ficará emprestado ao São Paulo até o final de 2020.

O martelo só não foi batido porque o documento de rescisão de Bueno com o Dínamo de Kiev tem de chegar ainda nesta quarta. Ou seja, ele precisa entrar no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF como jogador do Santos até 23h59.

Se chegar até esse horário, aí o São Paulo terá o jogador. O vínculo federativo de Bueno estaria assegurado com um clube brasileiro, sem impedimento para inscrição no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF. Se der certo, Vitor Bueno será o terceiro reforço do São Paulo para o ano de 2019