<
>

Tchê Tchê, Guedes e Keno? São Paulo vê nomes distantes e reformulação do elenco deve ser no Brasileiro

A pedido do técnico Cuca, que só assumirá o São Paulo no final de abril, o clube ligou o radar no mercado de transferências para reformular o elenco, mas a expectativa é que isso aconteça mesmo apenas no Campeonato Brasileiro.

A diretoria já avisou ao treinador paranaense que dificilmente trará algum jogador de impacto antes. Nem mesmo para a fase mata-mata do Paulistão, a partir de 23 de março, quando será possível inscrever novos atletas.

Há obstáculos para que isso não ocorra agora. O principal deles é financeiro.

O São Paulo deixou de ganhar entre R$ 25 milhões e R$ 30 milhões com a saída precoce da Copa Libertadores. O objetivo agora é reduzir primeiramente a folha salarial, que gira atualmente em R$ 12 milhões mensais, como já publicado antes.

O interesse em nomes como do atacante Roger Guedes, do Shandong Luneng (China), do meia Tchê Tchê, do Dínamo de Kiev (Ucrânia), e do atacante Keno, do Pyramids (Egito), são reais. Todos trabalharam com Cuca no Palmeiras e têm o perfil que o técnico considera ideal para remontar o São Paulo. Mas a negociação com eles é vista como muito complicada.

Guedes foi contratado em julho do ano passado por cerca de 9,5 milhões de euros (R$ 41,6 milhões). Mesmo não tendo sido inscrito na Liga dos Campeões da Ásia, os chineses relutam em liberá-lo sem qualquer retorno. Nem mesmo empréstimo.

Tchê Tchê também foi comprado pelos ucranianos ano passado por 4,8 milhões de euros (na época, R$ 20,5 milhões) e tem contrato até 2023. Um porta voz do jogador informou que por menos de 5 milhões de euros (hoje, R$ 21,6 milhões) não vê chance nem de os ucranianos sentarem para conversar com o São Paulo. E o valor é visto como impossível no Morumbi.

Por fim, Keno saiu do Palmeiras por R$ 37,8 milhões no ano passado e vem jogando com frequência na equipe egípcia. Foi titular em todas as últimas partidas do time. Soma 24 jogos e nove gols.

Outra dificuldade colocada para Cuca é que, apesar da janela de transferências estar aberta por aqui até 3 de abril, a maioria dos clubes têm seus elencos formados e, portanto, as negociações são mais duras e caras.

Cuca sabe disso e está ajudando a diretoria de futebol a buscar opções viáveis, com baixo custo.

Não estão descartados trocas e/ou empréstimos de atletas para formar o elenco.

SAÍDAS

Já está praticamente certo que o São Paulo não ficará com o lateral Bruno Peres para a continuação da temporada. O jogador deve retornar em julho para a Roma, clube que o emprestou ao time tricolor ano passado. Um novo lateral é procurado.

O meia Nenê teve uma proposta do Fluminense para sair. Contudo, o São Paulo não gostou das condições e as conversas não foram retomadas. Mas a tratativa pode ser retomada se o clube carioca oferecer algum jogador de interesse em troca.

Vale mencionar que o time paulistano sugeriu Marquinhos Calazans, 22, revelado em Xerém, mas o Fluminense nem cogita envolver o garoto em uma transferência assim. Tem outros planos para eles. Por isso, o assunto estacionou.

O volante Jucilei é mais um que pode ser negociado, mas não há propostas para ele.