<
>

Borussia Dortmund é o único campeão de Champions League desta edição que não tem jogadores brasileiros

play
Reus lidera o Dortmund na temporada para quebrar hegemonia do Bayern, mas agora precisa superar o Tottenham (1:37)

Ataque formado pelo alemão ao lado de Sancho e Alcácer já fez 34 gols na temporada (1:37)

Outrora um reduto de brasileiros, o Borussia Dortmund virou o único clube campeão da Uefa Champions League que está nas oitavas de final desta temporada a não ter jogadores do país tupiniquim em seu elenco.

Após perder para o Tottenham no duelo de ida na Inglaterra por 3 a 0, a equipe alemã precisa de uma goleada no Signal Iduna Park para avançar de fase.

Historicamente, Júlio César, Amoroso, Ewerthon, Dedê, Tinga, Evanílson e Felipe Santana obtiveram sucesso vestino a camisa aurinegra. Já outros nomes, como Antonio da Silva, Thiago, Flávio Conceição e Leandro de Deus (irmão de Dedê), tiveram passagens mais discretas.

Desde 2013, o Dortmund não tem jogadores brasileiros. O último foi o zagueiro Felipe Santana.

Entre todos os 16 times das oitavas de final da Liga dos Campeões, somente o Schalke 04 - que nunca venceu a competição - também ficou sem jogadores do Brasil depois de ceder o zagueiro Naldo no meio desta temporada ao Monaco.

Veja os brasileiros que deram certo:

O primeiro brasileiro a fazer sucesso com a camisa aurinegra foi o zagueiro Júlio César, cedido pela Juventus em 1994. O defensor revelado pelo Guarani, que foi titular da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1986, obteve destaque na Alemanha.

Faturou duas vezes a Bundesliga, a Champions League de 1997 - derrotando justamente a Juventus na final - e o Mundial de Clubes. Saiu do Dortmund na temporada 1998/1999.

Dedê é o maior ídolo brasileiro da história do Dortmund. Ele chegou à Alemanha em 1998 depois de passar pelo Atlético-MG. O lateral é o jogador estrangeiro com mais jogos com a camisa amarela e preta: 398. Em 13 anos no time, ele venceu duas vezes a Bundesliga e uma Supercopa da Alemanha.

Evanilson foi do Cruzeiro para o time alemão em 1999. Com uma passagem de sucesso até 2005, o ex-lateral da seleção brasileira foi campeão nacional na temporada 2001/02. E no mesmo ano foi vice da Copa da Uefa, sendo derrotado na final para o Feyenord-HOL, por 3 a 2.

Amoroso chegou em 2001 ao time aurinegro e logo foi campeão e artilheiro do Campeonato Alemão de 2002. Com isso, conquistou o coração dos torcedores alemães. Após uma queda de rendimento, o atacante foi negociado com o Málaga.

Revelado pelo Corinthians, Ewerthon teve boa passagem no futebol alemão. Não era titular absoluto do Borussia Dortmund na temporada do título (2002), mas ficou marcado por ter feito o gol de carrinho na vitória por 2 a 1 de virada sobre o Werder Bremen, que deu a conquista da liga. Até hoje é um herói dos torcedores.

Tinga jogou pelo clube alemão entre 2006 e 2010, com 154 partidas feitas e 31 gols marcados. Não foi campeão, mas foi bastante respeitado

“Quando eu cheguei só se falava em Amoroso, pois era o maior artilheiro estrangeiro da história da Bundesliga. O Borussia teve Dedê, Evanílson, Ewerthon. Fui muito feliz lá pela estrutura, torcida… Foi o melhor clube que eu trabalhei. Tinha um sonho de jogar em um clube como aquele. Nos quatro anos lá nunca joguei para menos de 60 mil pessoas”, relembrou o ex-meia, ao Resenha ESPN.

Felipe Santana saiu do Figueirense em 2008 rumo ao Dortmund. Comandado por Jurgen Klopp, o zagueiro faturou o bicampeonato do Alemão, a Copa da Alemaha e a Supercopa da Alemanha. Foi herói na campanha do vice-campeonato da Champions League (2013), quando fez o gol da classificação às semifinais do torneio Em 2013, foi para o arquirrival Schalke 04, tornando-se assim o último brasileiro a jogar com a camisa aurinegra.