<
>

Revista mostra acordo entre Cristiano Ronaldo e mulher que o acusa de estupro; astro se comprometeu a enviar teste de HIV

play
Advogado da acusação contra Cristiano Ronaldo explica por que suposta vítima não denunciou antes (0:57)

'Tinha um sentimento de que uma pessoa rica e famosa teria mais crédito', disse Leslie Mark Stovall (0:57)

O escândalo envolvendo Cristiano Ronaldo, atacante da Juventus, segue tomando forma.

Agora, a revista alemã Der Spiegel divulgou imagens do acordo secreto feito pelo jogador para encerrar a acusação de estupro de Kathryn Mayorga. O caso aconteceu em 2009, e os documentos foram assinados em 12 de janeiro de 2010.

Os papéis mostram que a mulher teria de manter silêncio sobre o suposto abuso sofrido em Las Vegas e destruir as provas. Para isso, Mayorga recebeu cerca de 375 mil dólares (cerca de R$ 1,44 mi na cotação atual).

No documento, Ronaldo usou o pseudônimo 'Topher'. Para que o acordo fosse fechado, ele se comprometeu a enviar resultados de um teste de HIV para "tranquilizar" a mulher.

Em trechos publicados pela revista alemã, aparecem respostas de Ronaldo sobre o caso: "Se queixava de que eu a teria forçado. Durante a relação, disse 'não' e pediu várias vezes para parar."

Em uma segunda versão do documento, publicada três meses depois, a fala de Ronaldo é diferente: a relação teria sido consensual e a mulher não teria falado "não" ou "pare".

A Der Spiegel também publicou imagens da ocorrência registrada pela polícia de Las Vegas, feita horas após o ocorrido. Nela, "a mulher chorava e se recusava a confessar o nome do homem". Mayorga dizia apenas que se tratava de uma celebridade, de um atleta. "Assinei o acordo porque estava aterrorizada por sofrer humilhação pública", disse ela ao revelar o caso.