<
>

São Paulo é cobrado em R$ 530 mil na Justiça por taxas de venda de Éder Militão e Cueva para o exterior

Éder Militão durante jogo entre Porto e Schalke 04, pela Champions League Getty Images

A Faap (Federação das Associações de Atletas Profissionais), entidade sediada em Brasília que presta assistência social e educacional aos atletas profissionais, entrou na Justiça pedindo R$ 529.660,00 do São Paulo.

No processo, ao qual a ESPN teve acesso, o órgão cobra taxas devidas pela equipe paulista nas transferências recentes de dois atletas para o futebol do exterior: o lateral/zagueiro Éder Militão para o Porto, de Portugal, e o meia Cueva para o Krasnodar, da Rússia.

Segundo a Lei Pelé, a Faap tem direito a 0,8% da alíquota de negociações de jogadores para o estrangeiro.

Com isso, a Federação alega que lhe são devidos dois valores, que somados dão quase R$ 530 mil.

O primeiro é de R$ 247.420,00 dos R$ 30.940.000,00 da ida de Militão para os "Dragões". O segundo é de R$ 282.240,00 dos R$ 35.280.000,00 referentes à saída de Cueva para o futebol russo.

"A autora promoveu notificação extrajudicial ao clube-réu a fim de que o mesmo recolhesse, em face dessas cessões, a quantia de R$ 529.660,00. [...] No entanto, tendo recebido a notificação o réu permaneceu inerte", alega a Faap, em trecho da ação.

"Constatou-se, assim, que o réu não repassou os recursos diretamente à Faap, [...] não restando alternativa à autora senão a de buscar a justiça para obter o que lhe é de direito, fazendo-a na forma desta cobrança em face da omissão do réu em fornecer o valor real da transferência, na forma da lei", completa.

A entidade ainda exige que o Tricolor arque com os honorários advocatícios do caso.

O caso corre na 25ª Vara Cível de São Paulo e será julgada pelo juíza Leila Hassem da Ponte.

Procurado, o time do Morumbi disse que não comentará o caso.