<
>

Corinthians busca empate com o São Paulo, mantém tabu da Neo Química Arena intacto e segue líder do Campeonato Brasileiro

Corinthians buscou empate por 1 a 1, e São Paulo segue sem conseguir vencer na Neo Química Arena


Em um jogo com dois tempos muito distintos, o Corinthians buscou o empate por 1 a 1 com o São Paulo, neste domingo (22), na Neo Química Arena, pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O argentino Calleri, que vem se especializando em fazer gols no Timão e já virou "carrasco" do rival, abriu o placar para o Tricolor, depois de um 1º tempo de domínio são-paulino em Itaquera.

No 2º tempo, porém, os donos da casa melhoraram e pressionaram até encontrarem o empate com o jovem Adson, que acertou uma linda cabeçada.

De nota negativa para os mandantes, ficou a lesão do goleiro Cássio, nos acréscimos. Depois de realizar defesa milagrosa, o arqueiro sentiu fortes dores no ombro e teve que ser substituído por Matheus Donelli.

Com o resultado, o Corinthians mantém intacto o famoso tabu da Neo Química Arena contra o rival.

Desde que o estádio na zona leste de São Paulo foi inaugurado, em 2014, as equipes se enfrentaram 16 vezes no local, com 10 triunfos corintianos e agora 6 empates.

O placar também segura o Timão na liderança do Campeonato Brasileiro, mas agora com apenas 2 pontos de vantagem sobre o Palmeiras, que começa a se aproximar.

O técnico Vítor Pereira, por sua vez, segue sem vencer dérbis desde que chegou ao Parque São Jorge. Neste domingo, porém, ele conseguiu conquistar um ponto pela 1ª vez.

Situação do campeonato

Com o resultado, o Corinthians vai a 14 pontos e continua como líder isolado do Brasileirão, com 2 pontos de vantagem sobre o Palmeiras.

O São Paulo, por sua vez, vai agora a 12 pontos e está na 3ª colocação, logo atrás do Verdão nos critérios de desempate.

O cara: Adson

Sua entrada no 2º tempo, no lugar do zagueiro Gil, fez o Corinthians melhorar muito na partida.

Com Adson em campo, o Timão ganhou mobilidade, passou a dominar o terreno e conseguiu finalmente pressionar o São Paulo.

Nada mais justo que o tento de empate alvinegro saísse por meio do garoto da base.

Aos 35 da etapa complementar, ele acertou uma linda cabeçada para estufar as redes de Jandrei e explodir a torcida em Itaquera.

Foi o tento de Adson em 16 partidas pelo Coringão na atual temporada.

Foi mal: Patrick

Entrou em uma "fria" no 2º tempo, sendo colocado como lateral-esquerdo no esquema de Rogério Ceni.

Com Patrick mal no jogo, o Corinthians aproveitou para ir para cima, dominando o 2º tempo e achando o empate.

No lance do gol alvinegro, Adson subiu completamente livre para cabecear bonito e marcar.

Patrick, que deveria estar marcando o jovem corintiano, ficou apenas observando...

Foi pênalti?

No 1º tempo, os jogadores do São Paulo foram para cima da arbitragem pedindo pênalti depois que a bola bateu nas mãos de Renato Augusto, que estava caído no gramado dentro da área. E aí, era para marcar a penalidade ou o árbitro Wilton Pereira Sampaio acertou ao mandar o jogo seguir?

Impedimento milimétrico

Aos 36 do 1º tempo, o Corinthians chegou a marcar com Jô, completando cruzamento de Renato Augusto. No entanto, o VAR flagrou o meio-campista do Timão em impedimento milimétrico, e o tento acabou anulado pela arbitragem.

Próximos jogos

O São Paulo volta a campo na quarta-feira (25), às 19h15 (de Brasília), contra o Ayacucho-PER, pela Copa Sul-Americana.

Já o Corinthians joga na quinta-feira (26), às 21h, contra o Always Ready-BOL, pela Libertadores, com transmissão pela ESPN no Star+.

Ficha técnica

Corinthians 1 x 1 São Paulo

GOLS: Corinthians: Adson [80'] São Paulo: Calleri [45+6']

CORINTHIANS: Cássio (Matheus Donelli); Raúl Gustavo, João Victor e Gil (Adson); Gustavo Mantuan, Du Queiroz, Maycon (Júnior Moraes), Renato Augusto, Willian (Giuliano) e Fábio Santos (Lucas Piton); Jô Técnico: Vítor Pereira

SÃO PAULO: Jandrei; Diego Costa, Arboleda e Léo Pelé; Igor Vinícius (Rafinha), Rodrigo Nestor (Gabriel Neves), Igor Gomes, Alisson (Rigoni) e Reinaldo (Patrick); Luciano (Éder) e Calleri Técnico: Rogério Ceni